Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Resenha: Te Peguei!

Resenha: Te Peguei!

Foto: Reprodução/Warner Bros

Te Peguei!, o novo filme da Warner Bros, com direção de Jeff Tomsic é uma trama que supera todas as expectativas. O longa trata de uma história real do The Wall Street Journal, de 30 anos atrás, onde cinco amigos extremamente competitivos, desde a primeira série, se envolvem, durante um mês, em um jogo insano de pega-pega onde vale tudo. Arriscar suas vidas, empregos e relacionamentos para conseguir o maior objetivo: falar “Te Peguei!” ao tocar em um dos amigos.

É estranho. Sim, concordo. Mas isso elevou o patamar de comédia que estamos acostumados a ver. Ao mostrar uma história real, é interessante ver a mensagem de que nunca se fica velho o suficiente para não se divertir com seus amigos. Com um elenco encabeçado por Ed Helms (Se Beber, Não Case!), Jake Johnson (da série de TV New Girl), Annabelle Wallis (A Múmia), Hannibal Buress (Vizinhos), Isla Fisher (Truque de Mestre), Rashida Jones (Parks and Recreation), Leslie Bibb (Homem de Ferro 2), Jon Hamm (Mad Men) e o indicado ao Oscar Jeremy Renner (Guerra ao Terror e Vingadores). O peso dos atores e a experiência com comédia é decisivo para melhorar todo o enredo da trama.

Cortes rápidos, cenas em slow motion, timing cômico, movimentos de câmera genéricos e talento para as cenas de ação. Tomsic fez uma direção mais estética e cirúrgica para a comédia ter um algo a mais e a história de um simples pega-pega ser, de fato, interessante.

Foto: Reprodução/Warner Bros

Nenhum dos atores está necessariamente excepcional ou terrível, é um território livre o bastante para deixá-los entrar nos personagens, mesmo não sendo grandiosos. Eles estão perante um playground, justamente por interpretarem um grupo de crianças. O destaque vai para Jeremy Renner, que perdeu espaço dentro dos Vingadores e Missão: Impossível, mas aqui faz praticamente um super-herói, com cenas estilizadas mostrando sua agilidade mas sem perder o bom humor. Ele tem um bom papel de “antagonista”, e prova que há uma boa sinergia entre os atores mesmo que não hajam atuações muito além do razoável.

Nada de novo ou espetacular, mas Te Peguei! é um exemplo de como não se levar a sério e não dar a mínima para isso. Vai através de situações nonsense em um contexto absurdo para atribuir temas como amizade e vida adulta, com uma reflexão sobre a necessidade de retroceder para voltar às raízes de uma amizade. Mas ainda assim é mostrado de forma grosseira, falta uma conexão emocional que é deixada só para o fim do filme, e talvez seja um pouco fútil demais para alguns espectadores. Para quem estiver fazendo uma viagem longa de avião, Te Peguei! é uma boa pedida.

Assista ao trailer!

0 Comentários