Compare o preço dos alimentos em 2019 e veja a super inflação pós pandemia 2021
Menu & Busca
Compare o preço dos alimentos em 2019 e veja a super inflação pós pandemia 2021

Compare o preço dos alimentos em 2019 e veja a super inflação pós pandemia 2021

Home > Notícias > Compare o preço dos alimentos em 2019 e veja a super inflação pós pandemia 2021

Desde o início da pandemia, o mercado financeiro do Brasil tem passado por turbulências que estão provocando a inflação dos produtos. As expectativas do aumento da inflação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 8,69% a 8,96%. Já pensando nos números de 2022, o alcance foi de 4,18% para 4,40%. 

No entanto, cabe ressaltar que o Banco Central esperava uma meta da inflação de 3,75% para 2021 e  3,50% em 2022. Ou seja, os números atuais estão acima do que estava programado para o cenário econômico atual. Sendo assim, a crise institucional entre os poderes, a queda da bolsa de valores e o aumento do dólar estão piorando a situação econômica do país. 

Por isso, elencamos abaixo os produtos que foram extremamente afetados desde 2019 a 2021 pela super inflação pós pandemia. 

Inflação: comparação dos preços do alimentos em 2019 e 2021

Para exemplificar, selecionamos a tabela de preços dezembro de 2019 e outubro de 2021 de dois supermercados do Brasil: Guanabara e Extra. Assim, a partir de alguns alimentos, você perceberá a inflação do contexto econômico da pós pandemia e o que esperar para 2022. 

Guanabara

Produto20192021
AçúcarR$ 1,99R$ 3,99
Leite Condensado (Nestlé)R$ 2,99R$ 4,99
Arroz R$ 8,95R$ 16,95
FeijãoR$ 2,87R$ 5,99
inflação
Tabelas de preços do Supermercado Guanabara em 2019 (esquerda) e 2021 (direita) | Foto: Montagem/Reprodução.

Extra

Produto20192021
MargarinaR$ 3,99R$ 10,99
Papel higiênico R$ 12,79R$ 17,99
Café R$ 8,59R$ 12,99
inflação
Tabelas de preços do Supermercado Extra em 2019 (esquerda) e 2021 (direita) | Foto: Montagem/Reprodução.

Diante da comparação dos preços, é possível perceber que a pandemia agravou o quadro econômico do Brasil aumentando a inflação. Caso mudanças não ocorram na gestão, os números do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobe a expectativa. 

_____________________________
Por Lucas Kelly – Redação Fala!

Tags mais acessadas