quarta-feira, 22 maio, 24
HomeEsporteOlimpíadas: conheça a importância do Japão na competição

Olimpíadas: conheça a importância do Japão na competição

Mais uma edição das Olimpíadas chega ao fim, em contrapartida, já podemos dizer “olá” para as Paraolimpíadas. E apesar das belíssimas performances representadas por diversas nações, a preparação dos atletas e o local a serem sediadas as edições futuras são pautas discutidas muito tempo antes da sua divulgação.  

Sabe-se que o Japão foi definido como o país sede das Olimpíadas de 2020, mas você sabia que Tóquio foi a primeira cidade no continente asiático a sediar uma edição dos Jogos Olímpicos? Acompanhe, a seguir, a história da importância do Japão nas Olimpíadas.  

Surgimento das Olimpíadas

Originou-se em Olímpia (Grécia Antiga), em meados de 776 a.C. Naquele período, os jogos eram realizados em homenagem aos deuses gregos, sendo Zeus o mais homenageado, além disso, os jogos eram realizados com a intenção de promover a amizade e interação ente os povos.

Segundo os historiadores, o evento era chamado de Panateias, tinha ideais e premissas religiosas e era celebrado de quatro em quatro anos, período que se mantém até hoje. Evoluindo para a Era Moderna, termo conhecido até hoje, teve sua primeira organização em 1896, pelo barão Piérre de Fredy, que defendia a ideia de seguir com as mesmas tradições já estabelecidas pelos jogos da antiguidade.

olimpíadas
Conheça a importância do Japão na competição. | Foto: Reprodução.

Primeira Olimpíadas sediada no continente asiático 

Após o cancelamento da edição de 1940 em decorrência da Segunda Guerra Mundial, em 1964, Tóquio se tornou o primeiro país da Ásia a sediar uma Olimpíada e contou com cerca de 5.500 atletas de 94 países, que competiram em 20 modalidades. Em 1972, a cidade de Sapporo sediou também pela primeira vez os Jogos Olímpicos de Inverno. 

O Japão não foi convidado a participar dos Jogos de 1948 em Londres, mas foi readmitido ao Comitê Olímpico Internacional em 1951, e enviou uma equipe de 72 atletas para os Jogos de 1952, em Helsinki. Uma delegação de 100 homens e 16 mulheres viajou para Melbourne em 1956 e ganhou um total de 19 medalhas, incluindo 4 de ouro.  

Em 1960, o Japão organizou uma grande equipe de 147 homens e 20 mulheres para participar das Olimpíadas de Roma. Na cerimônia de encerramento, os atletas dos 84 países participantes foram relembrados que, dentro de quatro anos, se encontrariam novamente em Tóquio.  

Após um longo período enfrentado pelas guerras, a população japonesa lutava pela reconstrução do país. Há 57 anos, um sobrevivente da bomba atômica acendeu a pira olímpica na cerimônia de abertura dos jogos, que foi fundamental para o desenvolvimento turístico e econômico do Japão.

Japão em Números

Embora seja um território menor em comparação a outros países, o Japão possui estratégias de incentivo e investimento em esporte e educação, tornando cada vez mais próximo o objetivo das antigas e novas gerações conquistarem uma medalha, representando uma nação. O resultado? Recorde em execuções esportivas, ganhos em medalhas e o forte espírito olímpico japonês:

  • 142 medalhas de ouro;
  • 3º lugar em duas Olimpíadas: 1964 e 1968;
  • 13º lugar no ranking histórico;
  • 672 medalhistas.

Impacto nas Paraolimpíadas 

As Paraolimpíadas são o maior evento esportivo do mundo voltado para pessoas com deficiência física ou mental. Ao todo, são vinte e sete modalidades que compõem o programa dos Jogos Paralímpicos, cujo sucesso das primeiras competições proporcionou um rápido crescimento ao movimento paralímpico, que em 1976, já contava com quarenta países e, claro, o Japão também deixou sua marca registada ao longo das competições. 

Perseverança, coletividade e espírito olímpico: são atribuições que um atleta deve possuir para uma boa performance, vai além da força física e, nas Paralimpíadas, não é diferente. O Japão possui o considerado Panteão Paralímpico. Ainda em atividade, Shingo Kuneda é o maior tenista paraolímpico cadeirante japonês da história. Ele possui três medalhas de ouro na modalidade.

Outra personalidade trazendo a força feminina é a atleta Mayumi Narita, que é a 12ª atleta paralímpica que mais venceu as disputas nas edições, com 20 medalhas: 15 de ouro, 3 de prata e 2 de bronze. Nos jogos paralímpicos de Tóquio, serão 22 modalidades e 4,4 mil atletas de 170 países.

Seguimos vibrando e torcendo juntos, assim como os aros da bandeira das Olimpíadas que compõem cores diferentes para representar o respeito às diversidades de todas as nações e contrastam com o fundo branco, que representa a paz entre os continentes.

_______________________
Por Érica Silva – Fala! Anhembi

ARTIGOS RECOMENDADOS