O futuro da moda é sustentável, inclusivo e feminista
Menu & Busca
O futuro da moda é sustentável, inclusivo e feminista

O futuro da moda é sustentável, inclusivo e feminista

Home > Lifestyle > O futuro da moda é sustentável, inclusivo e feminista

A marca de lingeries Lust é representante desta nova geração da moda

Isabela Warde, 20 anos, é a criadora da marca de roupas íntimas femininas on-line Lust (Lingeries Upsetting Sexist Traditions; em português, “lingeries perturbando tradições sexistas”). Ela tinha apenas 19 anos quando desenvolveu a marca, em dezembro de 2017.

lust
Lust, marca de roupas íntimas femininas on-line. | Foto: Reprodução.

No começo do negócio, Isabela costurou todas as peças com suas próprias mãos e cada uma se tornava exclusiva. Com a ascensão da marca, que atualmente têm mais de 5 mil seguidores em seu Instagram (@lustlingeries), Isabela pôde contratar um serviço terceirizado para lhe ajudar com a produção. Ela disse: “Eu comecei costurando peça por peça e, com o crescimento da marca, passei esse trabalho para uma costureira”. O preço dos produtos varia entre R$35 e R$75.

O processo de criação dos modelos é todo, e exclusivamente, feito pela jovem empreendedora. “Eu que faço todo o processo criativo das peças. Tudo é escolhido a dedo”, diz ela. Para isso, Isabela realiza um estudo do que está em alta no mercado da moda e também o que lhe está em falta. “Tudo isso sem perder a essência da Lust”, afirma.

Quando a marca surge

De acordo com Isabela, a marca nasceu de sua vontade de ser independente e de ter sua própria renda. Porém, a escolha por uma marca inteiramente de lingeries nasceu de sua paixão por moda, costura e feminilidade. “Eu sempre amei costura, e fazia minhas próprias roupas íntimas. Na época, eu estudava psicologia (Universidade Presbiteriana Mackenzie) e queria trabalhar com a sexualidade feminina. Algumas amigas sugeriram a ideia de transformar minha paixão em negócio, e foi assim que comecei a Lust”, afirmou ela.

 O negócio cresce gradualmente e vem conquistando seu espaço no mercado aos poucos. Isabela relatou que “tudo foi e é muito devagar e orgânico”, e completa: “A marca vem crescendo devagar, mas de forma efetiva, o que é muito gratificante”.

A última conquista da jovem empreendedora foi a criação de um site próprio destinado para a compra de seus produtos (www.lustlingeries.com.br). A faixa etária média de seus consumidores varia entre 15 e 25 anos, mas também faz sucesso com todos os públicos: “Posso dizer que já vendi bastante para mulheres entre 30 e 60 anos”, disse a jovem.

Proposta da Lust

A proposta principal da marca é a desconstrução de um padrão inalcançável imposto às mulheres e a inclusão de todos os tipos de formatos, tamanhos e cores de corpos femininos. “Eu comecei a Lust com o objetivo de devolver para ela (a mulher) e, na verdade, mostrar para ela, o que sempre foi dela: sua própria sensualidade”, explica Isabela. Ela afirma que, para isso, a lingerie pode ser um instrumento facilitador de fato.

Além de sua proposta inicial, Isabela promete uma marca sustentável e “amiga do planeta”. Os produtos, feitos de veludo, tecido ou renda, são de ótima qualidade, para que a cliente possa utilizá-lo por muito tempo, sem necessidade de reposição. As embalagens dos produtos são feitas 100% de algodão e podem ser reutilizadas pelas consumidoras como: porta biquínis e roupas íntimas, saquinhos para compras a granel (método de compras em que o consumidor fraciona a quantidade de produtos que quer compras) e porta maquiagem ou cosméticos.

Ademais, todas as compras acompanham um “cartão semente”. Ou seja, na compra de algum dos produtos da marca Lust, a cliente recebe uma semente de girassol, acompanhada de instruções para plantação e cuidados com a planta. “Eu acredito que para cuidarmos de nós mesmos, temos que cuidar de onde moramos (o planeta)”, diz. 

______________________________
Por Isabella Cavalcanti – Fala! PUC

Tags mais acessadas