Justiça do RJ determina que Especial de Natal do Porta dos Fundos saia do ar
Menu & Busca
Justiça do RJ determina que Especial de Natal do Porta dos Fundos saia do ar

Justiça do RJ determina que Especial de Natal do Porta dos Fundos saia do ar

Home > Notícias > Justiça do RJ determina que Especial de Natal do Porta dos Fundos saia do ar

Na quarta-feira (08), a Justiça do Rio de Janeiro ordenou que o Especial de Natal do Porta dos Fundos, “A Primeira Tentação de Cristo” seja retirado da Netflix.

 porta dos fundos especial de natal
Justiça do RJ determina que Especial de Natal do Porta dos Fundos saia do ar. | Foto: Reprodução Netflix.

Especial de Natal do Porta dos Fundos deve sair do ar

A decisão foi anunciada pelo desembargador Benedicto Abicair, da Sexta Câmara Cível do TJ-RJ, a pedido da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura, uma entidade conservadora católica. Abicair diz que a medida foi necessária para “acalmar os ânimos” da população.

A retirada do programa é mais adequada e benéfica, não só para a comunidade cristã, mas para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã, até que se julgue o mérito do agravo.

Afirmou o desembargador Benedicto Abicair.

Segundo Abicair, o Ministério Público do Rio de Janeiro definiu o Especial como “abuso do direito de liberdade de expressão através do deboche e do escárnio com a fé cristã”.

Desembargador que emitiu a ordem foi contra ‘censura’ a Bolsonaro

O que chamou a atenção dos internautas, no entanto, foi que Benedicto Abicarir, foi contra censura a Bolsonaro em ação por homofobia em outra ocasião. Confira o que ele disse, na época:

Não vejo como, em uma democracia, censurar o direito de manifestação de quem quer que seja.

Benedicto Abicair, em sua decisão em novembro de 2017.

VEJA A POLÊMICA ENVOLVENDO EDUARDO BOLSONARO, PORTA DOS FUNDOS E A NETFLIX

Opiniões nas Redes Sociais

Com toda a repercussão do caso, as redes sociais estão repletas de comentários, a favor e também contra, a decisão tomada pela justiça do Rio. No Twitter, alguns consideraram a ação como censura, outros, como necessária. Confira algumas reações:

0 Comentários

Tags mais acessadas