'I Am Mother': Como o futuro da humanidade foi decidido por droides
Menu & Busca
‘I Am Mother’: Como o futuro da humanidade foi decidido por droides

‘I Am Mother’: Como o futuro da humanidade foi decidido por droides

Home > Cinema e Séries > ‘I Am Mother’: Como o futuro da humanidade foi decidido por droides

O filme I Am Mother, dirigido por Grant Sputore, traz um cenário pós-apocalíptico, onde a raça humana foi extinta por robôs. O suspense de ficção científica traz o droide “Mãe” numa unidade altamente tecnológica, funcionando com o propósito de repopular o planeta Terra. O filme começa com o robô sendo montado e, logo em seguida, escolhendo um embrião, dentre os milhares que ali estão congelados, para ser gerado.

I Am Mother
Cena do filme I Am Mother. | Foto: Reprodução.

A data é mostrada de uma forma diferente, contando os dias desde a extinção e aparece em dois momentos: logo no início (001) e o que aparenta ser alguns anos depois (13867), com Filha sendo ensinada pelo droide. Como são apenas números após a data de extinção, fica difícil saber exatamente quantos anos se passaram.

Filha, foi criada pela Mãe acreditando que o mundo fora da unidade está infectado e que não há vida lá fora, mas tudo muda quando uma estranha, chamada Mulher, aparece na porta e a menina deixa-a entrar.

Publicidade

É a partir daí que tudo começa a se tornar duvidoso algumas coisas começam a ser explicadas como, por exemplo, o porquê de os seres humanos terem sido extintos. Os robôs acreditavam que poderiam criar seres, mais respeitáveis, com uma moral diferente e melhorada. No entanto, não explica quem é a Mulher e porque é a única pessoa que ainda está viva do lado de fora.

O cenário do filme foi pouco explorado, não conseguindo chocar o espectador quando os personagens entram num novo território. Embora a história pareça ser interessante, não chega a corresponder às expectativas. Muitas coisas ficam sem explicação e, no final, surge uma ambiguidade que deixa em aberto os acontecimentos do filme todo.

A Mãe não aparenta ser má, apenas um robô que foi configurado para melhorar a raça humana custe o que custar. Em alguns momentos parece até ter sentimentos pela Filha, uma típica mãe protetora que mente para os filhos por acreditar ser a melhor opção. Com um enredo pouco desenvolvido, o filme foi capaz de apresentar uma relação entre Mãe e Filha de tal forma que o robô acaba sendo humanizado em muitos momentos.

Publicidade

Sinopse e trailer oficial

Após a extinção da humanidade, uma adolescente criada por uma robô encontra outra humana e começa a questionar tudo o que aprendeu sobre o mundo.

FICHA TÉCNICA: I Am Mother

Título Original: I Am Mother
Duração: 113 minutos
Lançamento: 7 de junho de 2019
Distribuidora: Netflix
Dirigido por: Grant Sputore
Classificação: 12 anos
Gênero: Ficção científica, Suspense, Drama
País de Origem: Austrália

_______________________________________
Por Rafaela Thomaz Leite – Fala! PUC

Tags mais acessadas