quinta-feira, 18 abril, 24
HomeCinema e SériesConheça 5 filmes que contam a história de grandes músicos

Conheça 5 filmes que contam a história de grandes músicos

Todo mundo adora uma boa música, é difícil achar uma forma de arte tão democrática e acessível quanto essa. As histórias por trás de seus interpretes e compositores também pode ser bem interessante, e tem sido amplamente divulgada pela indústria cinematográfica ao longo dos anos. Pois é uma maneira de acompanhar uma parte da vida de grandes músicos que tanto amamos escutar. E alguns deles possuem histórias extraordinárias que merecem ser contadas em tela.

Foi pensando nisso que reuni em uma lista cinco grandes filmes sobre cinco grandes músicos.

Grandes músicos
Muitas obras retratam histórias de grandes músicos. | Foto: Reprodução

1) La Bamba (1987)

La Bamba
La Bamba traz a história de Ritchie Valens. | Foto: Reprodução/ Pinterest

Dirigido por Luis Valdez, e reprisado inúmeras vezes na sessão da tarde, o filme conta a trajetória da carreira meteórica de Ritchie Valens (Lou Diamond Phillips), desde sua ascensão em uma fazenda do norte da Califórnia até sua trágica morte, no dia 3 de fevereiro de 1959, num evento que ficou conhecido como “o dia em que a música morreu”. Porque além de levar o músico de dezessete anos, também se foram os talentosos cantores Big Bopper e Buddy Holly.

A obra nos mostra a vida cotidiana do garoto que, mesmo jovem, conquistou tudo aquilo sonhava. Com uma mãe amorosa que o apoia imensamente, até seu namorinho com Donna Ludwig, musa de uma bela canção. E retratou muito bem a difícil vida dos latinos que moram nos Estados Unidos (Aliás, que é difícil até hoje).

Mas o que mais me chama a atenção nesse filme é sua relação com seu meio-irmão Bob, que apesar de ciumento e de caráter duvidoso, tem um amor incondicional pelo caçula.

Uma história emocionante e com muito rock n’ roll.

Melhor frase: “Eu vou ser uma estrela. Porque estrelas não caem do céu, não é?”

2) BOHEMIAN RHAPSODY (2018) é um dos filmes sobre grandes músicos

BOHEMIAN RHAPSODY
O filme conta a história da banda Queen. | Foto: Reprodução/ Pinterest

Ame ou odeie você tem que admitir: é o filme do Queen, uma das melhores bandas de todos os tempos. Por mais que foque na vida pessoal de seu vocalista, o grande Freddie Mercury (Remi Malek), o longa apresenta a criação dos sucessos “We Will Rock You”, “Love of my Life” além da música título.

A montagem das cenas das músicas são muito bem feitas. É a vantagem de se fazer um filme do Queen, a trilha musical sempre vai ser excepcional.

Apesar de ser um filme biográfico da banda, quem dá o show é Remi Malek, com sua excelente atuação. Ele consegue transparecer todos os trejeitos de Mercury, que já era por si só muito caricato.

Poderia ter focado um pouco mais no lado dos excessos do artista? Talvez. Mas não deixa de ser uma celebração do sucesso da banda, que conquista grandes fãs até hoje. Qualquer um que goste do conjunto, certamente, irá gostar desse filme.

Melhor frase: “Tenho pena de sua esposa se você acha que seis minutos é uma eternidade”

3) JOHNNY & JUNE (2005)

Jhonny e June
Um filme sobre Johnny Cash. | Foto: Reprodução/ Pinterest

Uma das figuras mais influentes da música pop americana, Johnny Cash, merece um filme a sua altura.

Dirigido por James Mangold e interpretado por Joaquin Phoenix, o filme conta a trajetória profissional do músico de maneira cronológica, mas em nenhum momento se tornando algo banal. Apresenta as facetas do cantor, com fama de violento e mal encarado, mas que na verdade era um homem sensível, atormentado pelos seus fantasmas do passado e tentando se provar para seu pai. E ainda de cara, o filme te presenteia com a história de superação e amor de Johnny com sua eterna musa, a cantora e comediante June Carter (Reese Whiterspoon).

Joaquin Phoenix e Reese Whiterspoon levam o filme nas costas, rendendo um Oscar de melhor atriz para Reese, representando a cantora que teve que enfrentar uma sociedade machista e conservadora por ter se divorciado duas vezes.

Os dois atores realmente cantam as canções dos personagens, o que passa mais credibilidade para suas atuações. Eles inclusive, receberam a benção dos próprios artistas que interpretaram antes das filmagens começarem. June Carter faleceu um pouco antes da finalização, e Johnny Cash logo em seguida alguns meses depois.

É um belo filme, que está aí para mostrar que a maior conquista de Johnny Cash não foi musical.

Melhor frase: “Ela não é minha mulher, diretor. Sempre peço a mão dela e ela sempre diz ‘não”.

4) Cazuza – O Tempo não Para (2004), um dos principais filmes sobre grandes músicos

Grandes Músicos
O filme que narra a vida do grande cantor Cazuza. | Foto: Reprodução/ Pinterest

Talvez eu seja suspeito para falar, pois sempre fui fã do eterno “Caju”, o símbolo de uma geração.

O filme, dirigido por Walter Carvalho e Sandra Werneck e baseado no livro da mãe de Cazuza Lucinha Araujo, mostra a juventude transviada e intensa do artista. Juntamente com sua descoberta e convivo com o vírus HIV.

O longa possui inúmeras frases feitas a cada diálogo, e representou os melhores momentos da carreira breve do compositor, que viveu a vida o máximo que podia. Por mais que deixe a desejar em alguns aspectos, pois deixou de lado alguns momentos importantes como sua amizade com o cantor Lobão, a coragem de revelar sua enfermidade para mídia e, principalmente, seu relacionamento com o cantor Ney Matogrosso.

Ainda assim, é uma história emocionante e gostosa que o nosso astro merece ao seu fã clube fiel.

Inclusive, é um dos poucos filmes que acho que mereciam um remake. Será que um dia veremos um novo filme do poeta para mostrar que ele ainda está mais do que vivo?

Melhor frase: “Num dia como esses a gente tem mais é que se apaixonar! Vamo pra praia?”

5) Ray (2004)

Grandes Músicos
Ray demorou 15 anos para sair do papel. | Foto: Reprodução/ Pinterest

A melhor de todas as produções de grandes músicos é sobre a lenda do jazz, do R&B e do Soul, Ray Charles Robinson, encarnado pelo carismático Jamie Foxx, levando o Oscar de melhor ator.

Ray é um filme fantástico, que levou 15 anos para sair do papel, dirigido por Taylor Hackford. Consegue ser bem equilibrado intercalando a vida pessoal e profissional do músico. E não tem medo de mostrar os seus problemas com drogas e o jeito mulherengo do artista cego, impulsivo e com a vida cheia de tragédias, atormentado pela culpa da morte de seu irmão. Faz você se conectar com personagem mesmo nunca tendo ouvido uma música se quer dele.

Cinebiografias podem ser um pouco enfadonhas, afinal, já vimos tantas. Mas Ray consegue inovar no estilo, utilizando o recurso de flashbacks de maneira bem inteligente e orgânica para explicar seus traumas do passado.

Mostra como o cantor assumiu o controle da sua carreira e tenta encontrar sua própria voz. Sempre se renovando e nunca se contentando em permanecer na sua zona de conforto.

Possui uma trilha musical tão contagiante que você vai se pegar cantando alguma das canções do filme a qualquer momento. Um trabalho fenomenal que mescla as gravações antigas e mais recentes da poderosa voz de Ray Charles, que faleceu quatro meses antes da estreia do filme.

Um retrato ousado e energético de uma lenda da música.

Melhor frase: “Se cortar isso eu te corto ao meio”

_______________________________________________________
Por Matheus Cosmo – Fala! FIAM FAAM

ARTIGOS RECOMENDADOS