Experiência no currículo é a única que conta? Entenda mais!
Menu & Busca
A experiência no currículo é a única que conta? Entenda mais!

A experiência no currículo é a única que conta? Entenda mais!

Home > Notícias > Mercado > A experiência no currículo é a única que conta? Entenda mais!

Durante o processo seletivo, candidatos com características como resiliência, boa comunicação e trabalho em equipe podem ser tão ou mais qualificados do que os com mais experiência.

Imagine a seguinte situação: existem dois candidatos para uma vaga em sua empresa. O candidato A é super comunicativo, pontual, teve a nota mais alta na dinâmica em grupo, é proativo e demonstra muito interesse em atuar na área oferecida. 

Já o candidato B se atrasou, aparentou não gostar de trabalho em equipe e apresentou indiferença sobre a proposta de trabalho. Ao analisar o currículo dos dois, foi observado que o candidato A tinha um currículo sem experiência profissional e o candidato B tinha experiência. Qual dos dois você contrataria?

Apesar de uma situação hipotética, é comum que a experiência do candidato seja supervalorizada no momento do processo seletivo, contudo, existem outras características nos candidatos que podem ser determinantes para a decisão da contratação. Continue lendo este texto para descobrir algumas dessas características e conheça a Recrud.

experiência
Saiba tudo sobre experiência profissional currículo. | Foto: Freepik.

Mas afinal, a experiência faz diferença?

Uma pesquisa do CareerBuilder, site de empregos estadunidense, demonstrou que 82% dos recrutadores valorizam extremamente as vivências profissionais anteriores ao contratar alguém. Isso acontece principalmente porque um funcionário com experiência, teoricamente, se adaptaria com mais facilidade ao novo ambiente de trabalho, além de demandar menos tempo de treino e aprendizado.

Contudo, isso nem sempre garante que a escolha por esse profissional tenha sido a melhor. Alguém com experiência prévia pode apresentar vícios do antigo emprego, menos disposição para aprender do que alguém que está começando agora e uma maior chance de mudar de emprego.

É preciso pôr na balança o que se espera de um candidato, uma vez que para cada cargo existe uma demanda e uma forma de trabalho. Portanto, nem sempre a experiência vai ser um fator determinante para avaliar o futuro desempenho daquele profissional. Se pensarmos em uma vaga de alta complexidade e com urgência na contratação, a experiência pode ser benéfica, mas se pensarmos na gestão de um novo projeto, novos pontos de vista podem revolucionar os resultados.

Quais características fazem diferença na hora da contratação?

Durante o processo seletivo, algumas características, que não só a experiência prévia, devem ser analisadas nos candidatos para que se avalie qual deles é o mais apto para a vaga. Confira algumas delas:

1. Resiliência

De acordo com o dicionário, a resiliência é um conceito da física que diz respeito à capacidade de um corpo voltar ao normal após sofrer um choque. Ao adaptar esse conceito para o entendimento da vivência humana, podemos entender a resiliência como a capacidade de enfrentar e superar as adversidades.

Um bom candidato é apto a resolver problemas utilizando criatividade, conhecimento pessoal e raciocínio lógico.  

2. Boa comunicação

A comunicação é primordial para qualquer interação humana, e no trabalho não é diferente. Um candidato que sabe se expressar, tanto de forma textual, como de forma oral, tem grandes chances de ser um bom profissional.

Isso ocorre porque uma pessoa que possui essa habilidade, para além de falar e escrever bem, também é um bom ouvinte e consequentemente alguém com uma boa capacidade de aprendizado.

3. Organização

Uma pessoa pontual, focada e orientada à solução pode ser uma ótima candidata para trabalhar em uma empresa, mesmo que ela tenha um currículo sem experiência. A organização é uma habilidade imprescindível dentro e fora do ambiente de trabalho e diz muito sobre alguém. 

Pessoas organizadas costumam aprender a lidar com o ritmo de trabalho com tranquilidade, porque sabem bem como gerir o tempo delas.

4. Trabalho em equipe

Essa característica é importante não só para o bem-estar dos funcionários, mas para o funcionamento de toda organização. A atuação coletiva favorece o desempenho para todos que atuam dentro da empresa e é muito importante valorizar essa característica em alguém. 

Quem trabalha bem em equipe demonstra não só ser um bom profissional, mas uma boa pessoa, que sabe lidar com opiniões diferentes, resolver melhor conflitos e buscar melhores formas de desempenhar uma função.

5. Respeito pela diversidade

Em conjunto com o trabalho em equipe, o respeito pela diversidade diz muito sobre alguém dentro e fora do ambiente corporativo. Uma empresa costuma ser composta por muitas pessoas, portanto, é normal encontrar culturas, gostos e religiões diversas, por exemplo, e é essencial que se contratem pessoas que valorizem o respeito acima de tudo a fim de manter um clima organizacional positivo e um quadro de funcionários alinhados com os valores fundamentais da organização.

Importância das oportunidades

A maioria dos currículos sem experiência prévia pertencem aos jovens que estão tentando inserção no mercado de trabalho. Portanto, é muito importante que o empregador entenda que, ao colocar a experiência como critério mínimo para a contratação, ele fecha uma porta que pode trazer muitos benefícios para a empresa.

Se jovens não conseguem emprego por não ter experiência, mas ao mesmo tempo não conseguem oportunidades para se desenvolver, o mercado se restringe a contratar os mesmos profissionais sempre, se fechando para novas visões e desperdiçando grandes potenciais.

Vantagens de contratar alguém sem experiência

1. Disposição para aprender

Alguém que nunca trabalhou vai buscar absorver ao máximo todo o conhecimento passado. Além disso, se esforçará para demonstrar que aprendeu, o que aumenta expressivamente a chance de um trabalho bem-feito.

2. Oportunidade de mudar uma realidade

Um estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que os mais atingidos pelo desemprego são os jovens de 14 a 24 anos. Portanto, ao contratar um jovem, a empresa contribui para a melhora de vida e de perspectiva de futuro do país. 

3. Aprendizado mútuo

A visão de alguém que nunca esteve em uma organização antes pode trazer insights completamente novos para uma empresa. Isso pode ser proveitoso para observar o que funciona e o que pode melhorar dentro do ambiente de trabalho e de suas funções.

4. Facilidade de adaptação

Um candidato sem experiência é também um candidato sem vícios, o que facilita muito no entendimento e na condução das tarefas. Além disso, esse profissional estará mais aberto a dicas e críticas construtivas, uma vez que estará sempre em busca do aperfeiçoamento.

______________________
Por Maria Eduarda Rocha Guimarães – Fala! UFRJ

Tags mais acessadas