Currículo: 10 dicas para se destacar no mercado de trabalho
Menu & Busca
Currículo: 10 dicas para se destacar no mercado de trabalho

Currículo: 10 dicas para se destacar no mercado de trabalho

Home > Notícias > Mercado > Currículo: 10 dicas para se destacar no mercado de trabalho

Em uma época em que a taxa de desemprego no Brasil tem aumentado em níveis alarmantes, uma das perguntas que pairam durante a procura por uma oportunidade no mercado de trabalho é como se destacar? Além dos dados pessoais, o currículo busca entender suas experiências profissionais, formação escolar ou acadêmica e trabalhos voluntários prestados pelo candidato ao emprego. 

Mas como elaborá-lo de forma simples e objetiva? Sendo assim, acompanhe, abaixo, 10 dicas para você se inspirar em um modelo de currículo e investir no seu marketing pessoal. 

Currículo
Confira 10 dicas para se destacar no mercado de trabalho com seu CV. | Foto: Andrey Popov/Thinkstock.

10 dicas para montar um bom currículo

1 – Estrutura de um currículo

A estrutura do currículo não é pautada somente ao design ou tipografia. Estar atento a todos os detalhes é importante para não colocar informações demais ou de menos. Lembre-se de que cada recrutador terá uma visão sobre você e que, assim como o seu, terão outros documentos e perfis concorrendo à mesma vaga.     

O ideal é que o texto contenha equilíbrio e cada tópico, uma continuidade (início, meio e fim). Assim, abaixo, veja informações básicas sobre como confeccionar um currículo:   

Dados pessoais no CV

É o cabeçalho do CV. Nele, constam nome completo, e-mail, telefone de contato, cidade onde mora, idade e endereço de redes sociais, como o LinkedIn, caso tenha. Não é necessário inserir número de documentos, como RG e CPF, pois são dados irrelevantes para a ocasião e, se o possível empregador precisar, será solicitado em algum momento a você.

No entanto, atenção! Cuidado com os nomes utilizados em e-mails e endereços de redes sociais. Além de passar a impressão negativa aos recrutadores, seu perfil passa a ser não profissional, crie conta com seu nome real e, se for o caso, um número adicional. Certifique-se também de possuir acesso ao e-mail e número de telefone fornecidos. 

Objetivo no currículo

É a sua pretensão à vaga na qual está se candidatando. Não é inserir o cargo pretendido, mas, sim, em poucas palavras, a sua área de atuação. Dessa maneira, em caso de primeiro emprego, disserte sobre a vontade de aplicar conhecimentos adquiridos em cursos na área, isso pode demonstrar ao empregador que você possivelmente pode se destacar e se aperfeiçoar no determinado setor.  

Formação Acadêmica

Descreva de forma breve seu nível de escolaridade, cursos de graduação ou pós-graduação. Portanto, use a ordem cronológica do mais recente ao mais antigo e insira a modalidade do curso, título, nome da instituição de ensino e período (se concluído ou em andamento, nesses casos, inserir ano de conclusão).    

Experiência Profissional

Parte do currículo em que todas as suas evidências profissionais serão descritas. Atenção à relevância e perfil da vaga. Use a ordem cronológica do mais recente ao mais antigo e insira o nome da empresa, período de trabalho (ou se ainda está nela), último cargo ou função realizada e descrição das suas atividades. 

Atenção! Se possui muitas experiências anteriores ou fora da área pretendida, o ideal é que desconsidere. Lembre-se da objetividade, coesão e coerência. Assim, não crie uma lista de todas as empresas que trabalhou, escolha as cinco relevantes, ainda que antigas.  

Competências

Descreva seus cursos e habilidades desenvolvidas. É o campo onde inserimos um curso de idiomas, sistemas operacionais (pacote Office, por exemplo), que seja coerente ao trabalho a ser executado.

Cursos ou atividades complementares

Insira, nesse campo, participação em trabalhos voluntários, que contribuiu para o desenvolvimento e experiências administrativas ou com o público e cursos de educação continuada voltados à sua área de atuação. 

2 – Observe o formato do currículo

Existem vários tipos de currículo, todos adequados a um perfil e cargo específico. Claramente, eles possuem uma finalidade corporativa, entretanto, o CV de um Chief Executive Officer (CEO) não será como de um analista, que também não será igual a de um estagiário. Ainda que a estrutura seja a mesma, os objetivos são diferentes. Veja exemplos: 

Primeiro emprego

Não ter experiência, não significa que você é incapaz! Saiba que seu currículo pode ser tão bom e competitivo quanto ao que possui uma vasta lista de habilidades. Todos nós fomos iniciantes um dia.

Então, foque na sua proposta de valor para a empresa. Procure conhecer a missão, visão e valores da instituição. Descrever as atividades desenvolvidas na escola ou universidade, projetos independentes ou, até mesmo, trabalhos voluntários pode contar pontos favoráveis durante a seleção. 

Posições Iniciais

É indicado para quem está na fase inicial da carreira, mas já possui experiência no mercado. Destaque a formação, cursos de extensão e potenciais competências desenvolvidas no cargo ou atividade anterior.  

Trainee

Procure facilitar a visualização do resumo das suas qualificações. Importante destacar as habilidades, competências e experiências profissionais ou internacionais (intercâmbio, por exemplo), caso possua.  

Currículo de estagiário

A ideia é fazer um CV que seja “direto ao ponto”. Dessa forma, deixe o destaque para a formação, data de conclusão do curso e considere as atividades complementares ou cursos de educação continuada que sejam coerentes com a vaga de atuação.   

Especialistas/Analistas

Tente direcionar sua carreira a uma área específica e que possa descrever suas experiências. Assim, vale destacar suas atribuições e participações em projetos que possam enriquecer seus conhecimentos à determinada função.  

Gerente

Foque nas últimas experiências. Importante considerar as datas, pois o recrutador consegue ter a percepção ativa de suas atividades no mercado. Destaque também a participação ou elaboração de projetos e estratégias em funções anteriores.  

CEO

Profissional de carreira muito consolidada. Aqui, os focos são as principais realizações em termos de resultados. Inserir planejamentos estratégicos, participação de processos de fusão de empresas.

Atenção! Envie o seu currículo em formato PDF, para evitar possíveis desconfigurações do formato de texto e renomeie o nome do arquivo ao seu nome, por exemplo, “CV – Fala! Universidades”.

 3 – Reflita sobre sua trajetória profissional 

Com certeza, você já ouviu falar em “jornada”, mas já parou para pensar, de fato, na sua jornada profissional? O que você construiu, aprendeu e os maiores desafios que você teve de enfrentar e se saiu vitorioso? Antes de passar para o papel (ou digital), construa uma história real da sua experiência e relate os passos principais da execução do seu trabalho, de forma eficaz e colaborativa.  

4 – Atenção aos erros ortográficos no currículo

Os erros ortográficos – embora pareçam bobos – são suficientes para um candidato perder pontos durante um processo seletivo. É normal passarem despercebidos alguns erros de digitação durante a montagem, mas, ao final, é de extrema importância que você faça a correção ortográfica, por meio de dicionários disponíveis on-line. Utilize o corretor automático do documento e ainda, se possível, consulte um especialista para fazer a revisão de possíveis erros de ortografia, concordância verbal ou gramatical.   

5 – Cuidado com a foto do currículo

Não é obrigatório ter foto no currículo, exceto se for uma exigência da empresa ou de determinadas áreas, mas se deseja inserir, é importante ter atenção quanto ao ângulo, resolução, boa luz. Prefira uma fotografia mais neutra possível, ou seja, nada de filtros ou selfies em festas ou viagens. A foto deve transparecer profissionalismo e simpatia, ao mesmo tempo. 

 6 – Seja objetivo

Até aqui, entendemos que cada CV possui um perfil de vaga, cargo e experiência, contudo, saiba filtrar quais informações, de fato, apresentam relevância para a vaga. Não deixe seu currículo extenso, com duas, três ou quatro páginas com atribuições que não se encaixam ao perfil que está sendo recrutado. Ao organizar os dados, facilite a leitura e a interpretação do profissional que irá analisar.   

7 – Inserir a pretensão salarial no currículo

A pretensão salarial não é um item obrigatório e o ideal é inserir somente se a empresa exigir. Normalmente, esse assunto é tratado durante as etapas do processo seletivo. Porém, caso a empresa solicite esse dado, pesquise o salário médio da profissão, tenha a sua experiência em mente e faça uma estimativa desse valor. Nada de exageros ou valores abaixo da média.  

8 – Especifique uma área de atuação 

Destacar uma área de atuação é apresentar com maior propriedade um departamento que possui maior expertise, como, por exemplo: sua área de formação é Marketing, mas sua maior habilidade é com Social Media. Procure descrever, em poucas palavras, sua atuação e estratégias de engajamento das redes sociais em projetos ou empresas anteriores. 

9 – Mantenha seu perfil em redes sociais corporativas atualizado (caso possua)  

Os avanços tecnológicos nos aproximou (e aproxima) cada vez mais das pessoas, seja com a família, um atendimento personalizado ou interações do dia a dia, conseguimos nos conectar cada vez mais, independentemente da hora ou do lugar. E com as empresas, não foi diferente: algumas redes sociais, como o LinkedIn, têm o intuito de aproximar a empresa ao (futuro) colaborador.  

Por isso, é importante manter atualizado seu perfil, assim como a descrição, a foto profissional e publicações de conteúdos relevantes, artigos de própria autoria ou compartilhamento de artigos de terceiros, mantendo a referência. Além de facilitar seu networking, pode dar um impulso positivo à sua carreira.

10 – Simplicidade é o melhor caminho: seja você mesmo!

O currículo será a sua primeira impressão e a porta de entrada da empresa na qual deseja ingressar. Na tentativa de impressionar os recrutadores, utilizamos termos técnicos, palavras difíceis, até mesmo descrevemos competências que não possuímos e que ao invés de ajudar, torna-se mais um papel dentre tantos outros. 

Aqui, mais um complemento desta última dica: não minta! Assim, seja sucinto, utilize palavras simples, demonstrando eficácia, transparência e expertise na área de atuação. Dessa maneira, tente fazer com que o recrutador imagine a sua persona executando as tarefas no departamento a ser contratado.

Para todos os campos, é de extrema importância ajustar a estrutura do currículo e preservar os dados de forma precisa, concisa e coesa. Quanto à entrevista, encare o processo seletivo como algo natural e, para evitar o nervosismo, pesquise mais informações sobre a empresa que está concorrendo à vaga, tenha otimismo, tente pensar positivo e tenha confiança para obter resultados surpreendentes. Boa sorte!

_________________________________
Por Érica Almeida Silva – Fala! Anhembi

Tags mais acessadas