Dia do Estudante provoca manifestação na Avenida Paulista
Menu & Busca
Dia do Estudante provoca manifestação na Avenida Paulista

Dia do Estudante provoca manifestação na Avenida Paulista

Home > Universidades > Dia do Estudante provoca manifestação na Avenida Paulista

“Vida, pão, vacina e educação.” Na terça-feira (11), foi celebrado o Dia do Estudante. Por isso, diversos alunos de universidades e colégios realizaram uma manifestação na Avenida Paulista contra os cortes na educação e a evasão escolar durante a pandemia da Covid-19. Os protestos foram organizados pela União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e pela Associação Nacional de Pós-Graduados. 

Em discurso durante a manifestação, Bruna Brelaz, presidente da UNE, afirmou que mais protestos ainda acontecerão contra a atual gestão e que a luta pela educação será ainda maior. “E daqui pra frente, não haverá paz a Bolsonaro. Não haverá paz a esse governo que nos quer abaixando a cabeça. Nós somos um povo forte. Somos um povo que resiste historicamente a todas atrocidades dos tiranos”, declarou em voz alta na Avenida Paulista.

A manifestação no Dia do Estudante em São Paulo

“Todo estudante com título na mão.” Essa foi uma das mensagens que marcou a manifestação no Dia do Estudante na Avenida Paulista. A proposta era incentivar estudantes de 16 a 18 anos a participarem das eleições em 2022, e para isso, realizarem o alistamento eleitoral. Segundo dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral, os jovens de 16 a 17 anos formaram 0,7% do eleitorado brasileiro nas eleições municipais de 2020. 

Além disso, os protestos foram voltados à falta de investimentos do governo federal em relação aos recursos que as instituições carecem, bem como a ausência de um planejamento para o retorno às aulas presenciais após a vacinação da população estudantil. 

dia do estudante
Manifestantes pedem que estudantes de 16 a 18 anos façam o alistamento eleitoral. | Foto: Montagem/Reprodução.

“Em meio à pandemia, em que é necessário fortalecer pesquisas, adaptações para aulas a distância ou ensino híbrido, ampliar políticas de permanência, já que estudantes e suas famílias perderam renda, o governo opta por sucatear o ensino. É inaceitável”, declarou Bruna Brelaz em nota ao G1

Assim, o Dia do Estudante em 2021 foi marcado pela manifestação de entidades estudantis que querem melhorias na educação brasileira. 

______________________________
Por Lucas Kelly – Redação Fala!

Tags mais acessadas