Coronavírus: já existe uma vacina para curar a doença?
Menu & Busca
Coronavírus: já existe uma vacina para curar a doença?

Coronavírus: já existe uma vacina para curar a doença?

Home > Notícias > Coronavírus: já existe uma vacina para curar a doença?

O coronavírus continua em alta na China e globalmente. Diferentes organizações e laboratórios de pesquisa estão trabalhando ativamente na formulação de uma vacina eficaz. De acordo com o Journal du Geek, na França, o Institut Pasteur estima que encontrará um “candidato a vacina” em 6 meses.

La vaccination.

A vacina para o Coronavírus

Avaliação atual do coronavírus: 106 mortos na China, mais de 4.000 pacientes comprovados em todo o mundo, e ainda sem vacina. Para desenvolver uma vacina, precisa-se de germes do vírus alvo (retirado de pessoas infectadas), cultivados e reproduzidos em grandes quantidades. É então necessário isolar os elementos menos virulentos, capazes de serem usados para estimular as defesas imunológicas de uma pessoa sem deixá-la doente. O sistema imunológico estimulado forma um banco de anti-corpos armados contra o vírus. Finalmente, para garantir que você tenha encontrado a fórmula certa, é necessário passar por muitas fases de testes em animais e, depois de várias ordenações sucessivas, em humanos.

A Coalizão de Inovações em Prevenção de Epidemias (CEPI) – criada em 2016 pelo Fórum Econômico Mundial, pela Fundação Bill & Melinda Gates e por vários governos após a epidemia de Ebola – encomendou pesquisadores australianos para fazer pesquisas de uma vacina. De fato, estes últimos desenvolveram recentemente um método capaz de acelerar a formulação de uma vacina.

Graças aos “grampos moleculares”, é possível estabilizar melhor os elementos mais inofensivos de um vírus (como suas proteínas de superfície) que provavelmente constituem uma vacina. O CEPI e esses pesquisadores esperam poder formular uma vacina eficaz dentro de 6 meses. O Instituto Nacional Americano de Doenças Infecciosas e Alérgicas do Instituto Nacional de Saúde (NIH) anunciou que já está desenvolvendo uma vacina e estaria pronto para ir a testes em humanos (entre os últimos estágios de validação de uma vacina) daqui a três meses.

Um primeiro candidato à vacina em 6 meses?

No caso da França, o Institut Pasteur também possui amostras dos três casos de pessoas atualmente infectadas no laboratório. Seus cientistas estão trabalhando ativamente em uma formulação de vacina, mas preferem não deixar de lado os efeitos do anúncio. Na melhor das hipóteses, eles estimam que têm um “candidato à vacina” dentro de 6 meses. No entanto, eles apontam que testá-lo em humanos e fabricá-la seria extremamente caro. Entrevistado pela Sciences Et Avenir, Frédéric Tangy, chefe do Instituto de Genômica, comenta que, embora seja inteiramente possível “que a epidemia desapareça sozinha em alguns meses, como SARS em 2003“, é sempre benéfico” ter as fórmulas prontas, por precaução. “

Tags mais acessadas