Coronavírus: Como o vírus afetou a temporada de 2020 da NBA
Menu & Busca
Coronavírus: Como o vírus afetou a temporada de 2020 da NBA

Coronavírus: Como o vírus afetou a temporada de 2020 da NBA

Home > Lifestyle > Saúde > Coronavírus: Como o vírus afetou a temporada de 2020 da NBA

Visando evitar a proliferação do vírus COVID-19, inúmeros grandes eventos nacionais e internacionais foram adiados ou até mesmo cancelados. No universo esportivo, não foi diferente: campeonatos, jogos e temporadas esportivas inteiras foram diretamente afetadas, dentre elas, a NBA 2020.

As medidas iniciaram-se no dia 11 de março, após a confirmação de que o francês Rudy Gobert, pivô do time Utah Jazz, testou positivo para o vírus. O diagnóstico foi divulgado minutos antes do início da partida entre Utah Jazz e Oklahoma City Thunder, com os jogadores já em aquecimento e o público em peso no Chesapeake Energy Arena, em Oklahoma.

Apesar de Gobert não estar na arena em tal ocasião, a partida não ocorreu. No mesmo dia, membros de ambos os times passaram por testes e a NBA anunciou oficialmente a suspensão da temporada por pelo menos 30 dias, com adiamento de todos os jogos.

Em entrevista coletiva no dia 9 de março, apenas 2 dias antes de ter sido confirmada sua contaminação pelo coronavírus, Rudy Gobert havia realizado comentários e atitudes banalizando a epidemia e as medidas tomadas em relação à mesma.

Agora, após toda a suspensão das atividades da liga, o jogador fez uma doação de 500 mil dólares para ajudar no combate ao vírus em Oklahoma e no pagamento dos funcionários da arena do Utah Jazz, dispensados de suas atividades em vista do fechamento de todas as 29 arenas dos times da NBA.

Espero que minha história sirva de aviso e conduza todos a levar isso a sério. Farei tudo que puder para ajudar usando minha experiência como maneira de educar outras pessoas e prevenir a proliferação do vírus.

Publicação de Gobert em suas redes sociais

Depois de Gobert, outros atletas testaram positivo para o vírus. Donovan Mitchell, também do Jazz, foi o segundo caso confirmado da liga, e pronunciou-se publicamente sobre o assunto em suas redes sociais, agradecendo o apoio dos fãs. O terceiro caso foi o do ala-pivô, Christian Woods, do Detroit Pistons, que enfrentou Gobert e Mitchell em quadra no dia 7.

Nos últimos dias, inúmeras doações já foram realizadas em apoio aos funcionários envolvidos na dinâmica das arenas, que podem sair prejudicados sem o recebimento por horas trabalhadas. Além de Rudy Gobert, Giannis Antetokounmpo prometeu uma doação de cerca de 100 mil dólares aos funcionários do Fiserv Forum, casa de seu time Milwaukee Bucks.

Outras ações semelhantes estão sendo realizadas em prol das outras arenas, como por Kevin Love (Cleveland Cavaliers) e Mark Cuban (proprietário do Dallas Mavericks), além dos jogadores e integrantes do Golden State Warriors em apoio ao Chase Center.

Apesar da paralisação dos jogos, os atletas continuam treinando em casa e se comunicando com o público via redes sociais, por meio de vídeos e mensagens de prevenção que ressaltam a necessidade de um olhar mais atento frente à pandemia.

Por fim, não se sabe com exatidão em quanto tempo as atividades poderão ser retomadas normalmente ou o tamanho do prejuízo para a agenda da temporada, mas, segundo a comissão da NBA, a tendência é que os jogos retornem gradualmente e de início sem público, assim que a situação relativa ao COVID-19 apresentar-se mais controlada. 

Até o momento, o Milwaukee Bucks lidera a conferência Leste e, apesar de sua derrota pelo Brooklyn Nets no último dia 10, a Oeste seguia com Los Angeles Lakers na primeira posição.

Como se prevenir do coronavírus.
Como se prevenir do coronavírus.

__________________________________
Por Isadora Noronha Pereira – Fala! Cásper

Tags mais acessadas