Rússia e Ucrânia: como a guerra entre Rússia afeta os atletas russos?
Menu & Busca
Rússia e Ucrânia: como a guerra entre Rússia afeta os atletas russos?

Rússia e Ucrânia: como a guerra entre Rússia afeta os atletas russos?

Home > Notícias > Esporte > Rússia e Ucrânia: como a guerra entre Rússia afeta os atletas russos?

 A guerra entre a Rússia e a Ucrânia entra para a história tanto por seu caráter político e econômico, quanto pelas consequências sofridas pelos atletas russos que competem nos jogos internacionais que acontecem esse ano.

 A situação para os competidores já não estava em bons termos com as organizações dos esportes graças ao escândalo de doping em 2016, quando foi descoberto um esquema envolvendo o governo russo do qual havia alterações nos exames dos competidores enviados à Federação Internacional de Atletismo (IAAF). A atitude levou à exclusão da bandeira russa na Olimpíada de Tóquio em 2020. Assim, entenda como os russos estão afetados pela guerra para esta Olimpíada. 

Rússia e Ucrânia
Nas Olimpíadas de 2020, atletas russos competiram como Comitê Olímpico Russo. | Foto: Montagem/ Reprodução

Os impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia aos atletas olímpicos 

Por decorrência aos ataques sofridos pelos ucranianos, tanto o Comitê Olímpico Internacional (COI) quanto o Comitê Paraolímpico Internacional (CPI) recomendaram que as confederações, das quais organizam os jogos, retirassem a participação de russos e belarussos das competições que ocorreram nas Olimpíadas e Paraolimpíadas de Pequim. Caso ainda fossem permitidos, os atletas deveriam declarar-se como seleções neutras, sem as bandeiras dos respectivos países, além de não serem incluídos no quadro de medalhas da Paraolimpíada. Essa decisão não foi tomada como uma forma de puni-los, mas de justiçar os ucranianos que não poderão competir devido a caótica situação causada pela guerra e demonstrar apoio a um acordo de paz entre os países envolvidos. 

 Com base nisso, 24 modalidades não permitiram a participação dos atletas russos e bielorrussos nas olimpíadas, dentre elas estão basquete, surfe, tênis de mesa, entre outras. Por outro lado, foram permitidos competir em 6 modalidades (tênis, judô, ginástica, natação, ciclismo e skate) como seleções neutras. 

 A relação continua conflituosa entre as organizações e os atletas. Além da retirada da seleção russa da Copa do Mundo deste ano pela Fifa, os russos também não serão mais permitidos a participar de nenhuma competição de ginástica segundo a FIG (Federação Internacional de Ginástica). Essa decisão foi tomada após o atleta Ivan Kuliak exibir o “Z”, símbolo usado pelas tropas russas, em seu uniforme quando subiu ao pódio em uma competição ocorrida em Doha (capital de Qatar). De acordo com as regulações da FIG, a seleção foi excluída não somente por infringir as regras por não competirem como neutros, mas por usar um símbolo a favor da guerra. Quando o ginasta foi questionado pela atitude, ele disse ter ficado irritado pelo competidor ucraniano, do qual ganhou ouro na prova, ter sua bandeira permitida, por isso quis algo que representasse seu país e não deseja mal a ninguém.

Atletas da natação apoiaram Vladimir Putin

 Na natação também ocorreram problemas graças ao apoio de atletas ao governo de Vladimir Putin. A FINA (Federação Internacional de Natação) está investigando o bicampeão russo Evgeny Rylov por ter participado de um comício em Moscou organizado por Putin em favor da invasão à Ucrânia. O nadador também confirmou que não irá participar do Campeonato Mundial de Budapeste, que ocorrerá entre junho e julho, em amparo aos outros atletas russos que não poderão competir pela bandeira russa.

___________________________
Por Maria Clara Nunes – Fala! Centro Universitário Belas Artes de São Paulo 

Tags mais acessadas