Reflorestamento: por que é uma prática importante
Menu & Busca
Reflorestamento: por que é uma prática importante

Reflorestamento: por que é uma prática importante

Home > Notícias > Urbano > Reflorestamento: por que é uma prática importante

O reflorestamento traz várias vantagens para o solo, o ar e para toda a natureza em geral. Como consequência, o ser humano também é beneficiado pela melhoria ambiental, que ocorre ao reflorestar uma área devastada anteriormente. Por isso, saiba quais são os motivos que tornam o reflorestamento uma prática tão importante e muito vantajosa.

Reflorestamento: por que é importante reflorestar?

Primeiro, é preciso entender no que realmente consiste essa prática, para então, assimilar de fato como ela funciona, beneficiando atividades econômicas, qualidade de vida do ser humano e, claro, o meio ambiente. 

reflorestar
O reflorestamento traz benefícios para o solo e para o ar I Foto: Freepik

O que é reflorestamento?

O reflorestamento consiste na recuperação de uma área que anteriormente foi desmatada, por meio do cultivo de novas árvores. Esses locais podem ter perdido a sua vegetação, por conta de inúmeros motivos, que podem ser fruto da força da natureza ou da ação humana.

Homem

No caso de ocorrer em razão de uma atitude homem, essas ações podem ser, por exemplo, a exploração ilegal de madeira, a expansão de fronteiras agrícolas para plantações de monoculturas ou em busca de áreas de pasto para o gado, a construções de rodovias ou de queimadas acidentais ou não. 

O desmatamento é o grande responsável por graves problemas no meio ambiente. Dentre os prejuízos ambientais causados pela degradação da vegetação está a perda da biodiversidade, a destruição do solo, a redução da umidade do ar e da sua qualidade, o aterramento de rios e lagos e a desertificação de regiões.

Importância

No entanto, reflorestar é a solução para esses problemas. Uma vez que essa ação é capaz de restaurar as matas ciliares, devolver a vida a ecossistemas destruídos e absorver gases responsáveis pelo efeito estufa, por exemplo. A importância dessa prática ambiental é tanta que o reflorestamento é um assunto cada vez mais recorrente em cúpulas e reuniões internacionais, como do G20, grupo formado pelas vinte maiores economias do mundo, e a ONU (Organização das Nações Unidas), que destacam a necessidade de reflorestar zonas verdes.

Reflorestamento: dados do cenário ambiental

Prova disso, é um levantamento feito pela FAO, a agência da ONU destinada a tratar da alimentação e da agricultura, realizado em 2017, que teve os seus registros reunidos na base de dados aberta do Banco Mundial. A pesquisa mostrou que os países desenvolvidos foram os que mais ganharam árvores desde de 1990. Essas nações contabilizam mais de três milhões de superfícies reflorestadas apenas entre os anos 2000 a 2010. Enquanto, os países mais pobres perderam mais de dois milhões de áreas verdes.

Em contrapartida, o Brasil parece que ainda não percebeu a importância de se investir no reflorestamento. Segundo o mesmo levantamento mostrou, o país perdia até 2017, cerca de 2,5 milhões de hectares por ano, o que resultou em uma queda de 10% do total de sua cobertura verde.

A recuperação ambiental do solo, clima e ecossistemas, além de benefícios para a saúde, qualidade de vida humana e atividades de agricultura e pecuária, podem ser conquistados, por meio do reflorestamento, que é a maneira mais fácil e eficaz de atingir os benefícios citados. Por isso, essa prática é de extrema importância e necessidade nos dias de hoje, seja em zonas urbanas ou em áreas rurais com a finalidade de trazer melhorias para as áreas agricultáveis e plantações. 

Reflorestamento: motivos para reflorestar

Veja agora, mais a fundo, as razões para fazer o reflorestamento.

1. Preservação de lençóis freáticos

Parte da água da chuva chega ao solo a partir do gotejamento de folhas e ramos ou por meio do escoamento pelo tronco das árvores. Ao chegar no solo, a água se infiltra em seu interior e pode alcançar, dessa forma, os lençóis freáticos. 

Em uma área degradada, sem árvores, a água fica armazenada nas partes mais baixas do terreno, ocorrendo um escoamento superficial, ao invés de se infiltrar na profundidade do solo até atingir e abastecer o lençol freático. O piso florestal também é mais rugoso, o que ajuda a “segurar” essa água, impedindo-a de ficar acumulada nas áreas que são mais baixas. 

Por isso, reflorestar é importante para a preservação desses rios subterrâneos, que muitas vezes são fonte de recursos hídricos para propriedades que utilizam poços artesianos como fonte de abastecimento.

2. Aumento da qualidade do ar

O reflorestamento diminui a concentração de gás carbônico (CO2) na atmosfera. Com isso, o ar tem uma melhora na sua qualidade, reduzindo, assim, a incidência de problemas respiratórios na população. Isso é ainda mais importante em regiões com pouco volume de chuva, onde a atmosfera já costuma ter uma menor qualidade ou estações mais secas, que no caso do Brasil é o inverno.

As árvores usam o gás carbônico durante a fotossíntese, o que possibilita a fixação do carbono na biomassa da vegetação e nos solos. Enquanto elas crescem, o CO2 é incorporado por suas folhas, raízes, galhos e troncos. Dessa forma, mais ou menos a metade da biomassa vegetal acaba sendo constituída de carbono.

3. Redução dos impactos do efeito estufa

A mudança climática é um problema ambiental grave e muito discutido nas cúpulas internacionais sobre o meio ambiente. Mas o reflorestamento, felizmente, pode ajudar, e bastante, a conter os avanços desse fenômeno. 

O gás carbônico é um gás do efeito estufa. Isso quer dizer que ele é um dos maiores responsáveis pelo aquecimento global. Como dito anteriormente, a presença do CO2 na atmosfera se torna menor após a ação de reflorestar essa área, sendo consequentemente uma forma de conter o aumento desenfreado da temperatura global.

4. Aumento dos recursos hídricos

Muitas matas ciliares ao longo do curso de rios se encontram destruídas, inclusive em suas nascentes, o que é ainda mais preocupante. Isso causa, sobretudo, a redução e, até mesmo, a extinção de rios e lagos, o que representa um grande prejuízo ambiental.

Quando revitalizadas, essas áreas em torno de fontes hídricas recuperam a sua função de proteção. Sendo assim, os rios podem voltar aos seus níveis e cursos normais. 

Isso porque, o reflorestamento previne o assoreamento. Isto é, o acúmulo de sedimentos em rios, açudes e lagos, por causa do depósito de terra, areia, argila, detritos, que acaba causando a seca dessas fontes hídricas. 

O assoreamento é uma consequência direta de enchentes pluviais, que ocorrem por causa da má exploração do solo, como por exemplo, o desmatamento das matas ciliares. 

5. Aumento do estoque sustentável de madeira legal

O reflorestamento também pode ter um objetivo comercial para servir de fonte de matéria-prima. Ou seja, ajudar a indústria madeireira a reduzir o desmatamento. Isso porque, a prática aumenta o estoque de madeira legal, impulsionando o mercado que atua conforme as regras e leis ambientais. 

A madeira dura tropical costuma estar sempre em falta no Brasil, por conta do aumento frequente da sua procura. Por isso, a sua reposição torna-se ainda mais importante para o meio ambiente.

É preciso reflorestar espécies exóticas, como o Mogno Africano, que oferecem esse tipo de madeira. Para que, assim, a sua exploração seja feita conforme o previsto nas regras ambientais. Devido a isso, o reflorestamento apresenta-se como a melhor alternativa. Dessa forma, cria-se um estoque dessas madeiras, abastecendo, de forma legal, o mercado e mais tarde o consumidor.

6. Melhoria do solo

As árvores têm uma função muito importante quando se trata do solo: elas previnem ou diminuem a sua erosão, além de reduzirem a contaminação de fontes hídricas, muitas vezes usadas para abastecer a população local. Logo, para um solo saudável é necessário reflorestar árvores. Além disso, será muito mais difícil de haver naquele solo deslizamentos de terra, que podem representar uma tragédia ambiental e humana.

7. Revitalização de ecossistemas

Ao plantar novas áreas, você também pode devolver a vida para ecossistemas que foram extintos pelo homem ou resgatar aqueles que tiveram a sua área muito reduzida. Em especial, quando o reflorestamento é feito com as suas árvores e plantas típicas. 

Dessa maneira, pouco a pouco, a flora e a fauna nativa da área ressurgem e, consequentemente, o funcionamento normal daquele ecossistema também. Isso porque, os animais reencontram as suas fontes de alimentos tradicionais e as árvores crescem no solo, com um clima adequado e com todas as condições naturais para o seu desenvolvimento.

8. Possibilita uma zona urbana mais agradável 

Pouco se fala do benefício direto que o reflorestamento ambiental nas cidades pode trazer para a nossa vida. Além da melhoria da qualidade do ar, diminuindo a quantidade de gás carbônico na atmosfera, as árvores também possibilitam a valorização de imóveis, embelezamento da paisagem, controle da temperatura e redução da poluição sonora dos grandes centros urbanos. 

Nem é preciso explicar como as árvores tornam um ambiente muito mais agradável do ponto de vista visual. Mas elas também contribuem para outros aspectos mais importantes.

A poluição acústica, que é muito recorrente nas zonas urbanas, é menor em locais com árvores, visto que elas conseguem reduzir a extensão dos sons. Reflorestar colabora, ainda, para a contenção do calor. Em zonas com árvores, a temperatura se mantém de 5 graus a até 9 graus abaixo do que em outras zonas urbanas que não tem uma cobertura  vegetal próxima.

Todas estas vantagens, claro, promovem uma valorização de imóveis urbanos que estão próximos dessas áreas de reflorestamento. Considerando essas vantagens, apostar em ações para recuperar a cobertura vegetal próximas de prédios e casas se tornou algo interessante para os investidores.

9. Regulação dos regimes de chuva

As folhas das copas das árvores são responsáveis por armazenar parte da água da chuva, que, mais tarde, irá evaporar para a atmosfera, possibilitando, assim, um novo ciclo de chuvas. A umidade gerada pela evapotranspiração das árvores é levada para regiões que estão no centro do país, longe da umidade dos oceanos. 

Por isso, reflorestar em zonas estratégicas pode evitar a desertificação de áreas distantes como locais urbanos e também zonas de cultivo. Logo, o abastecimento de água das cidades e a agricultura dependem das árvores, que se devastadas podem ocasionar a seca até mesmo em regiões distantes, criando verdadeiros desertos.

10. Fim do ecoturismo

O ecoturismo é um segmento do turismo que tem ganhado força como atividade econômica, e inclusive vem recebendo vários investimentos. Em um país como o Brasil, com tantas belezas naturais, é normal que as pessoas queiram conhecer um pouco mais da sua natureza e das suas áreas verdes. 

No entanto, para que isso seja possível é preciso haver florestas e matas ciliares para proteger fontes hídricas, como as cachoeiras. Por tal motivo, reflorestar também se torna essencial para as atividades econômicas do setor do turismo. Além disso, o ecoturismo estimula a preservação e conhecimento de um determinado ecossistema, tornando ainda mais interessante reflorestar regiões  antes devastadas para receber de forma consciente turistas que apoiam a preservação ambiental.

11. Ajuda na exportação e vendas

Você pode estar pensando, contudo, que reflorestar é vantajoso apenas do ponto de vista da produção para garantir chuva e um solo saudável para a sua plantação, mas não! Cada vez mais, os países desenvolvidos e os consumidores têm cobrado uma maior preservação ambiental dos seus fornecedores. 

Ter uma probidade que segue as normas e procura preservar a natureza é importante, se você pensar em exportar ou em ter uma boa imagem no mercado. Reflorestar áreas devastadas mostram que a sua empresa tem consciência ambiental. Produtores que tiverem um selo de respeito à natureza, com certeza, sairão na frente em acordos comerciais e também na preferência do consumidor.

Com o tempo, a tendência é essa preocupação do mercado e de países aumente, fazendo com que eles procurem comprar de nações e de produtores que não só preservam o meio ambiente, mas  também buscam recuperá-lo. Diante da intensificação das mudanças climáticas, a preocupação ambiental deve ser cada vez mais recorrente, assim como, as pressões por uma produção mais sustentável.

Reflorestamento: como reflorestar?

Se você acha que os vários benefícios compensam o reflorestamento de áreas que anteriormente foram desmatadas e, acima de tudo, entendeu a importância dessa prática ambiental para a agricultura, turismo, cidades e meio ambiente, pode começar já a sua revitalização! 

O Grupo Selva Florestal, fundado em 2006, atua no reflorestamento de áreas desmatadas. A empresa faz a produção de mudas, recuperação de áreas degradadas, comercialização de sementes e projetos técnicos na área agroflorestal e consultoria para plantio. Ela te ajuda a reflorestar! Então, está esperando o que para começar já essa prática tão importante?

______________________________
Por Camila Nascimento – Fala! Cásper

Tags mais acessadas