quinta-feira, 18 abril, 24
HomeSaúdeMastectomia: saiba como é a cirurgia para remover a mama

Mastectomia: saiba como é a cirurgia para remover a mama

A mastectomia é um procedimento cirúrgico que consiste na remoção total ou parcial da mama, e é geralmente associada ao tratamento de câncer de mama. Esta intervenção é uma medida crucial para muitas mulheres, e compreender os aspectos essenciais desta cirurgia é fundamental para quem está passando por esse processo ou para aqueles que desejam estar informados sobre o tema.

Entenda o que é a mastectomia, como é realizado o procedimento para remover a mama e quais são cuidados necessários no pré e pós-operatório. 

mastectomia
Entenda como é feita a mastectomia, cirurgia para remover a mama. | Foto: Freepik.

O que é a mastectomia

A mastectomia é um procedimento cirúrgico que envolve a remoção da mama, geralmente realizado em casos de câncer de mama ou como uma medida preventiva em situações de alto risco. Esta intervenção busca eliminar o tecido mamário afetado pela doença, buscando prevenir a disseminação do câncer ou reduzir a probabilidade de sua ocorrência.

Existem diferentes tipos de mastectomia. A escolha do tipo de mastectomia depende do estágio do câncer, das características individuais da paciente e de outros fatores determinados pela equipe médica. Entre os principais tipos de mastectomia, estão: 

Mastectomia total

Neste procedimento, todo o tecido mamário é removido, incluindo o tecido glandular, ductos, lóbulos, pele e, em alguns casos, os linfonodos próximos. Pode ser recomendada em casos de câncer de mama em estágio inicial ou como medida preventiva em mulheres com alto risco genético.

Mastectomia radical modificada

Além da remoção completa da mama, este procedimento envolve a retirada de alguns dos linfonodos axilares. No entanto, os músculos do peito não são removidos, como na mastectomia radical clássica. Geralmente é realizada quando o câncer se espalha para os linfonodos próximos.

Mastectomia subcutânea

Neste tipo de mastectomia, o tecido mamário é removido, mas a pele é preservada tanto quanto possível. Isso inclui a preservação da pele que cobre a mama e, em alguns casos, o mamilo e a aréola. Pode ser uma opção estética para algumas mulheres, mantendo a forma natural da mama.

Mastectomia dupla

Envolve a remoção de ambas as mamas, mesmo que o câncer esteja presente apenas em uma delas. Pode ser realizada como medida preventiva em casos de alto risco para câncer de mama contralateral.

Mulheres com mutações genéticas, histórico familiar significativo ou câncer de mama bilateral podem optar por essa abordagem.

Mastectomia profilática

Esta é uma mastectomia preventiva realizada em mulheres sem câncer de mama, mas com alto risco genético. Pode envolver a remoção de uma ou ambas as mamas.

É indicada para mulheres com mutações genéticas, como BRCA1 ou BRCA2, que aumentam significativamente o risco de desenvolver câncer de mama.

Mastectomia radical 

Este tipo de mastectomia, raramente realizada atualmente, envolve a remoção da mama, músculos peitorais, linfonodos axilares e tecidos adjacentes. Foi historicamente utilizada para tratar câncer de mama em estágios avançados, mas foi substituída por técnicas menos invasivas.

Quando é necessário fazer a mastectomia?

A decisão de realizar uma mastectomia é complexa e depende de vários fatores, incluindo o estágio do câncer, o tipo de tumor, a presença de mutações genéticas, a resposta ao tratamento e as preferências individuais da paciente. 

A mastectomia pode ser recomendada nos seguintes casos:

  • Câncer de mama diagnosticado: Quando o câncer de mama é diagnosticado em estágios avançados, a mastectomia pode ser a opção mais eficaz para remover o tumor.
  • Presença de mutação genética: Mulheres com mutações genéticas, como BRCA1 ou BRCA2, que aumentam significativamente o risco de desenvolver câncer de mama, podem optar pela mastectomia preventiva para reduzir esse risco.
  • Recorrência do câncer: Em alguns casos, a mastectomia pode ser recomendada se o câncer de mama retornar após tratamentos anteriores, como radioterapia ou cirurgia conservadora.
  • Prevenção em casos de alto risco: Mulheres com alto risco de desenvolver câncer de mama, devido a fatores genéticos ou histórico familiar, podem escolher a mastectomia preventiva como uma medida de precaução.

Como é feita a cirurgia para remover as mamas?

A cirurgia de mastectomia é realizada por um cirurgião especializado em oncologia e pode envolver diferentes abordagens, dependendo do tipo de mastectomia selecionada. O procedimento geralmente segue as seguintes etapas:

  • Preparação da paciente: Antes da cirurgia, a paciente é submetida a uma avaliação completa, incluindo exames de imagem, biópsias e outros testes para determinar a extensão do câncer e ajudar na escolha do tipo de mastectomia mais apropriado.
  • Anestesia: A mastectomia é realizada sob anestesia geral para garantir que a paciente permaneça confortável e inconsciente durante todo o procedimento.
  • Incisão e remoção da mama: O cirurgião faz uma incisão na mama, seguindo as orientações do plano cirúrgico. Em seguida, o tecido mamário é removido de acordo com o tipo de mastectomia selecionado.
  • Reconstrução mamária (opcional): Em alguns casos, a reconstrução mamária pode ser realizada simultaneamente à mastectomia ou em um procedimento separado. Isso é discutido com a paciente antes da cirurgia.
  • Fechamento da incisão: Após a remoção do tecido mamário, o cirurgião fecha a incisão com suturas ou grampos. Em alguns casos, são utilizados drenos para eliminar o acúmulo de fluidos durante a recuperação.
  • Recuperação e monitoramento: Após a cirurgia, a paciente é monitorada de perto na sala de recuperação. A equipe médica fornece orientações sobre os cuidados pós-operatórios e o plano de recuperação.

Quais são os cuidados pré e pós-operatórios?

Confira:

Cuidados pré-operatórios

  • Avaliação médica completa: Antes da cirurgia, a paciente passa por uma avaliação médica completa para garantir que ela esteja fisicamente preparada para o procedimento.
  • Exames diagnósticos: Exames de imagem, biópsias e outros testes são realizados para avaliar a extensão do câncer e orientar o plano cirúrgico.
  • Discussão sobre opções e expectativas: A paciente discute com a equipe médica as opções de mastectomia, os resultados esperados e os possíveis efeitos colaterais.
  • Preparação psicológica: A mastectomia pode ter um impacto significativo na saúde emocional da paciente. Portanto, a preparação psicológica, incluindo o suporte de profissionais de saúde mental, é essencial.

Cuidados pós-operatórios

  • Gestão da dor: A equipe médica trabalha para garantir que a paciente tenha controle adequado da dor após a cirurgia, com a prescrição de analgésicos conforme necessário.
  • Cuidados com a incisão: A paciente recebe instruções detalhadas sobre como cuidar da incisão, incluindo a troca de curativos e a observação de sinais de infecção.
  • Atividades restritas: Durante o período inicial de recuperação, a paciente é aconselhada a evitar atividades físicas extenuantes e levantar objetos pesados para promover uma cicatrização adequada.
  • Acompanhamento médico: Consultas de acompanhamento são agendadas para monitorar a recuperação, discutir resultados patológicos e avaliar a necessidade de tratamentos adicionais.
  • Suporte psicológico e social: O suporte contínuo de profissionais de saúde mental, grupos de apoio e amigos/familiares é crucial para enfrentar os desafios emocionais pós-mastectomia.

A mastectomia é uma intervenção cirúrgica que desempenha um papel fundamental no tratamento e prevenção do câncer de mama. Para saber mais sobre a mastectomia, conheça o site Das Coisas que Tenho Aprendido!

ARTIGOS RECOMENDADOS