Menu & Busca
Fundação Dorina Nowill para Cegos promove Bazar

Fundação Dorina Nowill para Cegos promove Bazar


Fruto do trabalho de dezenas de mulheres de diferentes gerações, incluindo amigas pessoais da D. Dorina, a Fundação Dorina Nowill para Cegos promoverá, no dia 7 de novembro (quinta-feira), o 44° Bazar da Costura em São Paulo.

Bazar Beneficiente

O evento beneficente acontecerá na Paróquia São Gabriel Arcanjo, no Jardim Paulista, das 9h às 17h.  O valor arrecadado com a venda dos itens, que são produzidos durante todo o ano por essas mulheres, será totalmente revertido à Fundação.

Nessa edição do Centenário da dama da inclusão, a voluntária Thereza Kortas, que há 57 anos apoia a causa, destaca a importância de continuarem com esse legado que a educadora deixou. O voluntariado é um pilar muito importante para a Fundação Dorina, como complementa a Coordenadora do Voluntariado, Graça Oliveira

Dorina foi uma mulher à frente do seu tempo e sempre conquistou o apoio de muitas pessoas, das mais simples a autoridades. Sua causa é nosso legado e o Bazar, uma forma boa para arrecadarmos recursos para darmos continuidade a essa bela história. A Fundação nasceu do trabalho voluntário, que hoje conta com mais de 280 pessoas que nos apoiam ativamente em 18 áreas da organização. As voluntárias do artesanato nos acompanham há muitos anos com dedicação, criatividade e bom-gosto”.

Entre os produtos disponíveis, destacam-se toalhas de mesas e de lavabo, jogos americanos, nécessaires, enfeites de natal, entre outros. As peças novas e artesanalmente produzidas variam de R$10,00 a R$500,00. O Bazar da Costura é uma inciativa que, durante muitos anos, contou com a participação da própria D. Dorina que, este ano, completaria 100 anos.

Serviço:

Local: Paróquia São Gabriel Arcanjo

Endereço: Av. São Gabriel, 108 – Jardim Paulista, São Paulo – SP

Data: 07 de novembro (quinta-feira)

Horário: das 9h às 17h

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos

Há mais de 70 anos, A Fundação Dorina Nowill para Cegos trabalha para que crianças, jovens, adultos e idosos cegos e com baixa visão sejam incluídos em diferentes cenários sociais.

A instituição oferece serviços gratuitos e especializados de habilitação e reabilitação, dentre eles orientação e mobilidade e clínica de visão subnormal, além de programas de inclusão educacional e profissional. Responsável pela maior Imprensa Braille do Brasil e da América Latina, em capacidade de produção, a Fundação Dorina Nowill para Cegos é referência na produção e distribuição de materiais nos formatos acessíveis braille, áudio, impressão em fonte ampliada e digital acessível, incluindo o envio gratuito de livros para milhares de escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil.

A instituição também oferece uma gama de serviços em acessibilidade, como cursos, capacitações customizadas, sites acessíveis, audiodescrição e consultorias especializadas.

Contando com o apoio fundamental de colaboradores, conselheiros, parceiros, patrocinadores e voluntários, em 2017, a Fundação Dorina Nowill para Cegos foi reconhecida pela revista Época e pelo Instituto Doar como uma das 100 Melhores ONGs para Doar no Brasil, confirmando a seriedade de um trabalho que atravessa décadas e busca conferir independência, autonomia e dignidade às pessoas com deficiência visual. Mais detalhes: www.fundacaodorina.org.br.

Centenário de Dorina Nowill

Nascida em maio de 1919, na capital paulista, Dorina de Gouvêa Nowill ficou cega repentinamente, aos 17 anos, em consequência de uma doença não diagnosticada. A partir da perda completa da visão, ela começava a fazer história e a construir os pilares da instituição que, no futuro, levaria seu nome e sua causa.

Dorina Nowill foi a primeira aluna cega a frequentar um curso regular no Brasil. Posteriormente, viajou para os Estados Unidos, onde fez cursos de especialização na Michigan State Normal School e no Teacher’s College.

De volta ao país, percebendo a carência de livros em braille, criou a então Fundação para o Livro do Cego no Brasil, atual Fundação Dorina Nowill para Cegos, que iniciou suas atividades em 1946 com a produção e distribuição de publicações acessíveis por este sistema, dando início ao que hoje é uma das maiores imprensas braille do mundo em capacidade de produção.

À frente do seu tempo, Dorina Nowill também foi responsável pela articulação e implementação de importantes políticas públicas nacionais, amplo espaço de fala e representatividade internacional, como sua participação na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em 1981.

Dorina Nowill faleceu em agosto de 2010, aos 91 anos, deixando um legado que permanece e segue adiante por meio dos colaboradores, conselheiros, parceiros, patrocinadores e voluntários da instituição. Em 2019, celebramos o centenário dessa mulher, que desempenhou um importante papel na luta pela inclusão de pessoas com deficiência visual.

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas