Coronavírus: a importância da saúde mental em meio ao caos
Menu & Busca
Coronavírus: a importância da saúde mental em meio ao caos

Coronavírus: a importância da saúde mental em meio ao caos

Home > Lifestyle > Saúde > Coronavírus: a importância da saúde mental em meio ao caos

Há menos de dois meses as pessoas não imaginavam que passariam por isso: um caos generalizado decorrente de uma pandemia. É natural que estejamos rodeados de medo e insegurança, mas até que ponto isso pode não atrapalhar a nossa saúde?

Em entrevista ao HuffPost Brasil, o psiquiatra Pedro Neto, pesquisador da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, afirma que sensações de medo e ansiedade devem ser temporárias. Ao persistirem, viram fobias e podem desencadear transtornos mentais.

woman covering her face lying on green grass
Coronavírus: a importância da saúde mental em meio ao caos

Uma pessoa exposta a eventos traumáticos, como alguns dos que estamos vivenciando e compartilhando pelas redes sociais relacionados ao Coronavírus, tem maior chance de desenvolver um problema de saúde mental. Entretanto, o estresse é subjetivo e relacionado com a vulnerabilidade de cada um.

Publicidade

O nosso cérebro é diretamente afetado em situações encobertas por sentimentos ruins e depende muito de nós reagir da maneira adequada: enxergar somente os pontos negativos e entrar em um ciclo vicioso de vitimismo e reclamações não deve ser uma opção.

Como reagir?

De acordo com o Terapeuta Holístico e Constelador Sistêmico Júlio Paiva (@juliotpaiva), uma forma eficaz de lidar com a situação é fazer com que nossa mente seja controlada por nós. O que ele quer dizer é: se deixarmos a nossa mente nos controlar, não teremos mais liberdade. Liberdade para mandar na nossa própria vida.

tilt selective photograph of music notes
Coronavírus: a importância da saúde mental em meio ao caos

Parece estranho mas é importante que nossos pensamentos sejam “adestrados”: devemos fazê-los trabalhar por nós. Para este objetivo, muitas atividades são essenciais: praticar um exercício física dentro de casa, dançar, ouvir e criar músicas, desenhar, cozinhar, meditar, escrever, pintar e tocar instrumentos musicais são algumas opções. Pense no que te daria mais prazer e comece a fazer algo por você, já.

Publicidade

Ter uma regularidade de afazeres, momentos de prazer em família, dormir bem e meditar são alternativas eficazes na liberação de hormônios como dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina, os principais para diminuição do mau humor, da depressão, da insônia e da dor.

Outra solução é combater o medo com algo que nos faça sentir confiança, o que pode ser simples. Se vencer uma partida de jogo com o seu irmão te dá mais segurança, confiança e “mexe” com a sua autoestima, comece a jogar sempre que sua cabeça for tomada por notícias ruins.

Por: Izadora Del Bianco (@izadbr)

Tags mais acessadas