A contribuição do Brasil na Segunda Guerra Mundial
Menu & Busca
A contribuição do Brasil na Segunda Guerra Mundial

A contribuição do Brasil na Segunda Guerra Mundial

Home > Notícias > Urbano > A contribuição do Brasil na Segunda Guerra Mundial

O tema da Segunda Guerra Mundial é conhecido pela maioria da população, porém a participação do Brasil nela não tem o mesmo destaque. De acordo com Marcus Firmino Santiago da Silva, coordenador do curso de Direito da Escola Superior Professor Paulo Martins, do Distrito Federal, e estudioso sobre a Segunda Guerra, em entrevista ao site Nova Escola, a participação dos “pracinhas”, como são conhecidos os veteranos de guerra brasileiros, foi muito importante. “O apoio do Brasil foi disputado na Segunda Guerra. De forma um pouco velada por parte dos países do eixo (Alemanha, Itália e Japão) e de maneira clara pelos aliados, especialmente os norte-americanos, além da Inglaterra e da França”, afirma.

A seguir, saiba mais sobre a participação dos soldados brasileiros na Segunda Guerra Mundial e suas contribuições. 

Os Pracinhas: O Brasil na Segunda Guerra Mundial

Segunda Guerra Mundial e Brasil.
​Os pracinhas, como eram chamados os soldados brasileiros, contribuíram com a Segunda Guerra Mundial. | Foto: Divulgação/FEB.

​Os pracinhas foram integrados ao 5º exército estadunidense, atuando em combates no norte da Itália, em julho de 1944. Foram cerca de 25 mil homens da Força Expedicionária Brasileira (FEB), 42 pilotos e 400 homens de apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), comandados pelo General Mascarenhas de Morais. Os brasileiros enfrentaram algumas dificuldades nas batalhas, como o relevo e clima da região, obrigando-os a usar jornais para amenizar o frio. Além disso, os alemães já eram veteranos, soldados experientes no combate, com boas posições de defesa.

Logo da FEB.
Logo da FEB. | Foto: Reprodução.

Esses obstáculos influenciaram em baixas significativas aos brasileiros, na batalha de Monte Castelo, por exemplo, foram 400 mortes, fazendo com que recuasse. Porém, como o desenrolar dos combates, os pracinhas adaptaram-se às condições e reverteram a situação, conseguindo vitórias importantes, recuperando cidades e regiões estratégicas que estavam sob poder alemão, como a própria Monte Castelo, Turim, Montese, entre outras. Mais de 14 mil alemães se renderam aos brasileiros. Além da vitória, os pracinhas também ficaram com cavalos, carros e munição dos derrotados. O total de brasileiros mortos em combate foi 454. 

O exército brasileiro recebeu o convite para auxiliar na ocupação da Áustria, porém, segundo o historiador Frank McCann, o comando militar do Brasil rejeitou o convite. Marcus Firmino também afirma que o Brasil contribuiu de outras formas na Guerra, “foi fundamental para o esforço de guerra a cessão de bases navais e aéreas no território brasileiro. Um desses locais que teve participação decisiva foi Natal, no Rio Grande do Norte”, destaca o professor. A capital serviu como local para abastecimento dos aviões de guerra dos EUA e base naval antissubmarinos. A FEB foi desfeita em 1946.

_____________________________________________________

Por Eduardo Fabrício Ferreira – Fala! ESPM-SP

Tags mais acessadas