Menu & Busca
Whindersson Nunes – entre a comédia e a tragédia

Whindersson Nunes – entre a comédia e a tragédia


Por Caroline Brito – Fala!Cásper

Whindersson Nunes, um dos comediantes brasileiros mais famosos e admirados, conhecido pelo seu excelente humor, exibido no YouTube, na televisão por assinatura e em teatros pelo mundo todo, enfrenta depressão e preocupa fãs.

O comediante Whindersson Nunes, de 24 anos, natural do Piauí, prova que nem sempre um sorriso expressado no palco permanece fora dele. O youtuber passa por um momento delicado de sua vida, do qual muitas pessoas em todos os cantos do planeta passam ou já passaram: o princípio de depressão. A plataforma utilizada para comunicar os fãs e amigos sobre seu atual estado tem sido seu próprio Twitter (@whindersson), o mesmo em que frequentemente desabafa e busca alento de seus seguidores.

As antigas máscaras gregas que simbolizavam o teatro, nunca representaram tão bem o momento delicado em que o ator se encontra. Elas representam a tragédia e a comédia, uma felicidade entrando em cena a partir do momento em que a tristeza se vai por alguns instantes. Estes instantes definidos pelo próprio comediante são os que o fazem se sentir melhor, “quando eu subo no palco eu me sinto em um lugar bom, é luz, é felicidade, estamos todos ali por um propósito maior que é a felicidade” diz ele. Em outro tweet, o artista desabafa que por mais que ame fazer seus shows e ame o quanto dão certo, ele sente falta de um tempo com seus amigos para tomar um simples café.

A principal suspeita de depressão veio de uma declaração de amor que Whindersson fez para sua esposa, Luísa Sonza, que para ele tem sido uma “rocha” sustentando-o neste momento tão delicado – “Quando eu te conheci, estava à beira de uma depressão […] eu vivia fazendo os outros sorrir e chorava no hotel depois do show sem saber o que Deus queria de mim […] Foi quando você apareceu dizendo o que eu precisava ouvir ‘olha quanta gente te ama, olha quantos fãs, olha tudo que você construiu, olha de onde você veio, se você veio até aqui, pode ir até onde quiser”– disse ele em uma rede social.

Whindersson já revelou estar cansado da rotina estressante que leva. Por mais que a comédia seja sua paixão, o humorista voltou de uma turnê em 45 cidades, incluindo passagens por outros países, como em Moçambique na África. Além disso, estrela o programa “Os Roni” no Multishow e a continuação do sucesso cinematográfico “Os Parças 2” que sairá nas telas dos cinemas de todo o Brasil no final de 2019. Ademais, Whindersson lançará seu próprio show no Netflix previsto para o final do mês de Abril deste ano. Tudo isso, sem contar as inúmeras campanhas publicitárias, afastam o ator da companhia de sua família e de seus amigos ou de até mesmo um momento de descanso que todo ser humano necessita.

A fama modifica a vida das pessoas e muitas vezes de uma forma prejudicial. As pessoas que cercam a vida das celebridades nem sempre agem de forma amistosa. O próprio artista disse estar cercado de más pessoas – “Eu vivo rodeado de abutres, urubus, cada um querendo a sua fatia do bolo, e ver tantas pessoas ruins me deixa deslocado” – Disse também que não se importava com dinheiro ou números, mas a grande preocupação de todos foi ao revelar que não sentia mais vontade de viver.

Depois de ver a efervescência de seus fãs, corrigiu sua fala e esclareceu que não tinha o intuito de tomar medidas drásticas, como um suicídio, por exemplo, mas revela que o sentimento arrasador o acompanha durante anos de sua brilhante carreira – “Apesar de tudo de bom que vem acontecendo comigo, com tudo que já conquistei, eu me sinto há alguns anos triste. Eu sinto uma angústia todos os dias, todos os dias, algumas risadas, algumas brincadeiras e depois lá estou eu de novo com esse sentimento ruim” – alertando um problema ainda maior.

Grandes nomes da comédia como: Jim Carrey, Robin Williams e os brasileiros Chico Anysio e Eduardo Sterblitch sofreram de depressão em algum momento de suas carreiras, sendo assim um mal que se atenua ao passo que as pessoas tornam-se figuras midiáticas, e quebrando também o estereótipo de que “todo comediante ou toda figura pública leva uma vida perfeita e sem problemas”. Whindersson e tantos outros artistas alcançaram patamares inimagináveis e mesmo assim não se sentem completos subjetivamente e individualmente como seres humanos.

No dia 16, o humorista precisou passar por uma cirurgia urgente, da qual foi bem sucedida e se recupera bem. Ao retomar sua consciência depois da anestesia, anunciou uma pausa em sua carreira para que se recupere tanto do procedimento que sofrera quanto mentalmente, buscando forças e alegrias emanadas por sua família e fãs, que ele tanto ama e que o amam reciprocamente.


Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas