Verstappen quebra a hegemonia da Mercedes no GP dos 70 anos da F1
Menu & Busca
Verstappen quebra a hegemonia da Mercedes no GP dos 70 anos da F1

Verstappen quebra a hegemonia da Mercedes no GP dos 70 anos da F1

Home > Notícias > Esporte > Verstappen quebra a hegemonia da Mercedes no GP dos 70 anos da F1

Na 5ª corrida do ano, o holandês, Verstappen, foi o primeiro piloto a bater as Mercede nesta temporada

Neste domingo (9), foi realizado, em Silverstone, o Grande Prêmio dos 70 anos da Fórmula 1 e um resultado surpreendente em uma corrida eletrizante fizeram a corrida lembrar grandes momentos da história da categoria.

Verstappen
Verstappen e sua equipe no momento da chegada. | Foto: ge.

GP dos 70 anos da F1

O fim de semana do GP da comemoração do aniversário da F1 começou com notícias que muitos dos fãs estavam esperando: a confirmação de que Nico Hülkenberg participaria de mais um fim de semana de corrida com a Racing Point.

O primeiro piloto da equipe canadense, Sergio Perez, ainda se recupera da contração da Covid-19, e não foi liberado para participar do GP em Silverstone, dando, assim, mais uma oportunidade para o piloto alemão mostrar seu valor em sua nova e provisória equipe.

Durante a classificação, algo que seria impensável há algumas semanas aconteceu. Nico, que é famoso por sua má sorte e nunca ter conquistado um pódio na carreira, conseguiu uma surpreendente 3ª colocação no grid de largada, e demonstrava que o seu grande momento talvez estivesse mais próximo. Outra surpresa foi a não pole position de Lewis Hamilton, a qual ficou para Valtteri Bottas, em que o piloto inglês largou na segunda posição.

No domingo, ao contrário do que aconteceu com Hülkenberg no GP da Grã-Bretanha, todos os 20 carros largaram na pista. As luzes se apagaram e, no começo, tivemos Bottas e Hamilton mantendo suas posições, e Max Verstappen rapidamente pulando para a 3ª posição e iniciando uma caça às Mercedes.

Vale dizer que a estratégia da Red Bull do começo ao fim foi muito bem planejada e executada, e o holandês largou com pneus duros, diferente de seus principais concorrentes. No meio do grid, não tivemos tantas brigas no início, e talvez as equipes que se venham se destacando mais sejam as duas Renault’s, que apresentam um ritmo de corrida mais forte a cada fim de semana de provas.

corrida
A largada da corrida. | Foto: ge.

A situação da Ferrari não está nada fácil, seja dentro ou fora da pista. Se nos bastidores as polêmicas envolvendo seus comandantes, que são muito questionados por suas decisões e estratégias, que fizeram um carro muito abaixo do “padrão Ferrari” na pista, as coisas também não parecem melhorar.

A relação entre Sebastian Vettel e a equipe está cada vez mais desgastada, e depois de o seu carro apresentar problemas nos motores nos treinos de sexta-feira e o alemão não fazer nenhuma questão de disfarçar sua frustração na corrida, o tetracampeão rodou na primeira curva e caiu para a última posição. Vettel colocou a culpa na sua equipe, que não respondeu às reclamações dele em seu rádio.

Destaques

A corrida do GP dos 70 anos da Fórmula 1 foi relativamente limpa, em que apenas um carro abandonou. Kevin Magnussen da Haas, após fazer uma manobra perigosa para cima de Nicholas Latifi da Williams, e receber uma punição de 5 segundos, teve um problema em seu carro e teve que ir para os boxes, local de onde não saiu mais e teve que se despedir da corrida.

Verstappen

Se muitas equipes são criticadas pelas suas estratégias duvidosas, a RBR calou todos os críticos nessa prova. Max Verstappen largou com pneus duros (pois foram os pneus em que ele cravou seu melhor tempo no Q2) e conseguiu pressionar as Mercedes, que sofreu mais uma vez com o desgaste nos pneus, o que não vinha acontecendo nas outras corridas.

O holandês ultrapassou Bottas e Hamilton e fez uma corrida muito consistente até o fim, fazendo excelentes pit stops junto a sua equipe, e terminando a prova com 10 segundos de vantagem para Lewis Hamilton. Ele quebrou a invencibilidade da Mercedes no ano em uma corrida eletrizante na parte de frente do pelotão, coisa que ainda não havia acontecido na temporada.

fórmula 1
A imagem da corrida. | Foto: ge.

Fim da corrida

Após uma corrida surpreendente e que terminou com uma vitória de um piloto não chamado Lewis Hamilton ou Valtteri Bottas, o pódio foi formado por: Verstappen em primeiro, Hamilton em segundo e Bottas em terceiro.

Vale destacar mais um excelente desempenho de Charles Leclerc com a sua problemática Ferrari, terminando em 4º colocado e se distanciando cada vez mais de seu companheiro Sebastian Vettel, deixando-o cada vez mais pressionado.

Nico Hülkenberg terminou apenas em 7º, e não foi dessa vez que o seu pódio veio, mas mostrou que tem totais condições de garantir um assento na Fórmula 1 para a próxima temporada.

Verstappen fórmula 1
Classificação final da corrida em em Silverstone. | Foto: ge.

No campeonato de pilotos, Hamilton ainda lidera, mas vê Verstappen se aproximar em segundo, Bottas caiu para terceiro. No campeonato de construtores, a Mercedes segue dominante, seguida pela Red Bull e pela Ferrari, que ultrapassou a McLaren, em que a escuderia de Woking não teve um bom fim de semana.

Sexta-feira já teremos carros na pista, dessa vez, no Grande Prêmio da Catalunha, e que promete muitas disputas e competitividade. Afinal, Max Verstappen mostrou que a Mercedes pode estar muito à frente das outras, mas não é invencível.

_________________________________
Por Filipe Saochuk – Fala! PUC

Tags mais acessadas