Veja as cidades da Europa que pagam para estrangeiros morarem nelas
Menu & Busca
Veja as cidades da Europa que pagam para estrangeiros morarem nelas

Veja as cidades da Europa que pagam para estrangeiros morarem nelas

Home > Lifestyle > Viagens > Veja as cidades da Europa que pagam para estrangeiros morarem nelas

Você já pensou em se mudar do Brasil? Morar em um novo clima, uma nova cultura, com novas paisagens, quem sabe na Europa. Muitas pessoas possuem esse sonho de morar no exterior. Algumas justificam essa vontade por diversas causas, como a piora na situação econômica brasileira ou os altos índices de violência.

Embora morar em outro país envolva muita burocracia e exija ter uma considerável quantia em dinheiro para investir em moradia e transporte, a situação dos índices de emigração aumentaram cerca de 183%, de acordo com a Receita Federal de 2011 a 2018 .

Para facilitar a mudança, uma das melhores opções é optar por locais que tenham políticas de boas-vindas, isto é, cidades ou países que possuam políticas favoráveis para imigrantes. Algumas cidades europeias oferecem incentivos para conquistar novos habitantes, como dinheiro e moradia.

cidades europeias para morar
Bormida, Itália. | Foto: Marie Claire.

Cidades europeias que oferecem incentivos a imigrantes

1. Champ-du-Boult, França

Pequena comunidade de poucos habitantes, com menos de 400 pessoas (até 2010), na região de Normandia. Em virtude dos jovens se deslocarem para outras cidades e regiões na procura de emprego, o prefeito Patrick Madeleine decidiu oferecer terrenos de 900 a 1000 metros quadrados por 1 euro o metro quadrado.

Isso trouxe para Champ-du-Boult mais de 300 propostas de compra, por ter sido funcional, a cidade Conflans-sur-Anille com 560 habitantes fez o mesmo. A condição para a venda é apenas construir uma casa no decorrer de um ano.

2. Bormida, Itália

Aldeia na região montanhosa de Ligúria, em Savona, onde o prefeito prometeu 2000 euros para qualquer um que quiser morar lá. As casas para os novos moradores podem ser alugadas por 12 a 15 euros por semana, ou subsidio único por 200 euros.

O lugar é famoso por suas lindas praias da costa do Mar da Ligúria, o litoral de Varigotti fica a 28 km e Portofino, conhecida como a capital do glamour da riviera italiana, a 100 km.

3. Ottensein, Alemanha

Pequena comunidade na estado da Baixa Saxônia, com cerca de 1250 habitantes (até 2008). Os jovens da comunidade passaram a se mudar para as grandes cidades e os residentes diminuíram sucessivamente, a escola primária quase fechou, por isso, o prefeito decidiu presentar famílias com filhos com terrenos no valor de 10.000 euros. A única condição é que os novos residentes precisam viver e construir uma casa no decorrer de 3 anos na cidade.

4. Ponga, Espanha

Cidade na província e comunidade autônoma das Astúrias, região no noroeste, com 598 habitantes (até 2018), o governo espanhol gostaria de atrair famílias para repovoar a cidade, por isso, paga até 3.000 euros para casais e mais 3.000 euros para cada filho, se possuírem. Entretanto, a moradia fica por conta da família e a condição é que a família ou o casal que se muda para a cidade fique por, no mínimo, 5 anos.

5. Tristan da Cunha, Reino Unido

É considerada a ilha mais remota do mundo, faz parte do domínio britânico, mas fica no meio do oceano Atlântico, entre a África e a América do Sul, possui menos de 300 habitantes (até 2010). O governo inglês paga 25 mil libras por ano, concede transporte e moradia para os novos moradores que decidirem se mudar para a ilha.

6. Utrecht, Holanda

A cidade não possui um pequeno número de habitantes, mas, mesmo assim, oferece um auxílio de 900 euros para quem mora no lugar, assim, os moradores podem escolher se querem trabalhar ou não. A população faz parte de um estudo que observa a produtividade de indivíduos que recebem incentivos econômicos do governo.

7. Candela, Itália

Município que se localiza perto do mar e a menos de duas horas de Nápoles, onde fica o palácio real e construções do século XIII, possui  2.824 habitantes (até 2017), mas comporta 8 mil residentes e deseja aumentar sua população desde 2018, para compensar a saída dos jovens do local. 

A cidade paga 800 euros para solteiros, 1.200 euros para casais, de 1.500 a 1.800€ para famílias de três membros e mais de 2.000€ para famílias de quatro a cinco membros. Além disso, a prefeitura avalia possíveis créditos tributários para eliminação de impostos, contas e mensalidades em creches.

Para ter todos esses estímulos financeiros, existem alguns requisitos como: alugar, ou comprar uma casa e possuir um trabalho com um salário de, no mínimo, 7.500 euros por ano e a cidade de origem dos novos residentes deve ter 2 mil habitantes ou mais.

8. Albinen, Suíça

Pequena cidade localizada no sul, no Cantão de Valais, o povoado oferece 50 mil euros para famílias que se comprometam a morar no local. Os requisitos para receber o benefício são ter menos de 45 anos, ficar por, no mínimo, dez anos e comprar uma casa de mais de 171.500 euros.

9. Molise, Itália

Cidade paradisíaca no sul do país que oferece 700 euros por mês, durante três anos, para quem estiver disposto a morar em cidades da região com menos de 2 mil habitantes. A campanha segue o que já foi feito na região da Sicília, para receber o benefício, o novo residente precisa se comprometer a investir em um negócio na cidade.

E aí, ficou com vontade de viver em uma dessas cidades? Conseguiu pensar nessa ideia? Já pensou em morar na Europa? 

______________________________
Por Jennifer Alexandre – Fala! Uniso

Tags mais acessadas