Menu & Busca
Uma semana mágica para os fãs de futebol

Uma semana mágica para os fãs de futebol


Por Gabriel Herbelha -Fala! Cásper Líbero

Faltou folego e sobrou emoção, de domingo pra quarta, fomos premiados com partidas que demorarão para sair do nosso imaginário.

Domingo- 5/5 – Grêmio 4 X 5 Fluminense (Campeonato Brasileiro)

Jogando em casa, em apenas 20 minutos, o tricolor gaúcho abriu 3×0, decretando o fim do jogo certo? Errado! Os comandados de Fernando Diniz não acusaram o golpe, e no fim do primeiro tempo, já haviam marcado 2 vezes, o astral já havia mudado de lado, e no segundo tempo, num jogo lá e cá, com inúmeras chances para os dois lados, o fluzão virou, 4×3, não satisfeito, e precisando do resultado, o grêmio empatou, mas no apagar das luzes, já nos acréscimos, Yony Gonzáles virou o jogo de novo, 5×4 e vitória do Fluminense!  Porém, qualquer resultado seria justo, visto que os dois times se jogaram ao ataque, sem medo algum.

Segunda- 6/5 – Manchester City 1 x 0 Leicester (Campeonato Inglês)

Penúltima rodada do campeonato inglês, Manchester e Liverpool brigando ponto a ponto pelo título, e só a vitoria interessava para o City, aos Reds, restava apenas secar e torcer por um tropeço dos Citizens, num jogo difícil, com doses cavalares de sofrimento, de ataque contra defesa, o jogo teve um herói improvável, que só deixou ainda mais bonita a história do cada vez mais próximo título do time do lado azul de Manchester, Kompany, o zagueiro belga de 33 anos, simbolo do time, o jogador mais antigo do elenco, acertou um chutaço (improvável) de fora da área, sem chances para o goleiro para decretar o resultado.

Terça- 7/5 – Liverpool 4 X 0 Barcelona (Liga dos Campeões)

Precisando reverter um 3×0, sem suas duas principais estrelas, Firmino e Salah, a missão do Liverpool era quase impossível, mas não se pode menosprezar um time tão mistico como esse, já conhecido por remontadas espetaculares, como o “Milagre de Istambul” de 2005, e o que se viu no Anfield, foi um dos capítulos mais lindos da história do futebol, avassalador, o Liverpool conseguiu o improvável, um sonoro 4×0, e mais uma vez, com um herói improvável, Origi, reserva do time e pouco utilizado, marcou 2 vezes e levou os Reds para a final da Champions.

Com o apito final, a emoção tomou conta, Jürgen Klopp e os jogadores se abraçaram e se juntaram a torcida para cantar a clássica canção entoada todos os jogos por seus torcedores – You’ll Never walk alone.

Quarta- 8/5 – Ajax 3 x 3 Tottenham (Liga dos Campeões)

Os garotos do Ajax, que encantaram o mundo e surpreenderam todos eliminando nas fases anteriores o Real Madrid, atual campeão da competição, e a Juventus, chegou ao confronto como franco favorito para chegar na final, com um jogo baseado na posse de bola e na ofensividade, relembrando o “futebol total” do tempo de Johann Cruijff, do outro lado, o Tottenham, o time inglês já havia feito história, nunca, em seus 136 anos de vida havia chegado em uma semi final de Champions, mas o time comandado pelo excelente Mauricio Pochettino queria mais, porém, no primeiro tempo, o time holândes sobrou, fez 2×0 e se encaminhava para a final. No segundo tempo, tudo mudou, e nós, fãs do futebol, mais uma vez ficamos em estado de êxtase, com uma atuação magistral do brasileiro Lucas Moura (abre o olho, Tite!), fez um hat-trick e virou o jogo aos 50 MINUTOS DO SEGUNDO TEMPO, um jogo memorável, decretando a final inglesa na Champions!

4 dias, 4 jogos, que renovaram ainda mais a nossa paixão por esse esporte, com histórias incríveis de superação que entrarão para os livros, e daqui há um seculo, ainda se falará sobre, dificilmente alguém explicará tudo isso que aconteceu a partir da lógica, nem o melhor roteirista de Hollywood poderia pensar em algo tão majestoso como o que ocorreu dentro dessas 4 linhas, independente do poderio financeiro dos times que participaram do jogos citados, em todos eles existem um ponto em comum, fugiram da mediocridade, tão chata e comum no futebol jogado atualmente, os times buscaram o jogo, foram pra frente, queriam a bola pra si, não buscavam apenas o resultado, queriam, de fato, jogar futebol, e fizeram isso com classe, e nos fizeram brilhar os olhos.

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

1 Comentário

  1. Lucas Rafael Viana Bedani
    7 meses ago

    Parabéns pela noticia, foi muito bem feita a análise dos jogos!

Tags mais acessadas