Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Uma poesia para o tiroteio na Praça da Sé

Uma poesia para o tiroteio na Praça da Sé

São Paulo (capital)

Começa a gritaria,

as pessoas logo chegam.

– O que está acontecendo? Ninguém responde.

Só se vê um homem e uma mulher discutindo na escadaria.

A polícia chega; a coisa fica feia:

– A mulher foi feita de refém, em frente à Catedral!

Ninguém se mobiliza.

Todos filmam.

– Olha lá, o morador de rua tá indo em direção ao homem!

O caminho está traçado. (dois tiros se ouve, o homem atirou).

Todos filmam.

A polícia dispara.

Todos abaixam.

A mulher sai ilesa.

O homem está morto.

E o morador de rua dá seus últimos passos em direção à porta.

A polícia chega perto:

– Positivo.

Tudo certo.

É só mais um que morre sem nome.

 

sé
Foto: Paula Paiva Paulo/G1
sé 2
Foto: Marcelo Brammer/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo

 

 

Por: Henrique – Fala!M.A.C.K

0 Comentários

Tags mais acessadas