Tudo Bem no Natal que vem - leia a crítica do filme Tudo Bem no Natal que vem - leia a crítica do filme
Menu & Busca
Tudo Bem no Natal que vem – leia a crítica do filme

Tudo Bem no Natal que vem – leia a crítica do filme

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > Tudo Bem no Natal que vem – leia a crítica do filme

Ao saber que Tudo bem no Natal que vem é estrelado por Leandro Hassum, provavelmente o telespectador já imagina que o filme é completamente voltado para o humor. Entretanto, o filme tem sim sua dose de humor, o que o torna mais leve e divertido, mas também faz refletir sobre muitas coisas da vida e faz com que o público, em especial o brasileiro, se identifique.

Foto: Reprodução/Netflix
Foto: Reprodução/Netflix

A história gira em torno da vida de Jorge, personagem que faz aniversário no Natal e faz de tudo para esquecer a data, mas em 24 de dezembro de 2010 ao sofrer um acidente, sua vida muda completamente. Todos os dias que ele acorda pela manhã é Natal e ele não consegue lembrar do ano inteiro que passou, é como se o dia anterior fosse o Natal do ano anterior. Contudo, mesmo não se lembrando do que aconteceu, ele precisa encarar tudo o que fez ao longo do ano, mesmo sem se lembrar o que de fato fez. 

O filme é muito interessante e uma das coisas que o torna ainda mais significativo por ser brasileiro, mostrando o típico Natal no Brasil. Em geral, os filmes natalinos, por serem em sua maioria internacionais, são repletos de neve e magia. Já um filme natalino no Brasil, tem suas características como o calor, o clássico tio do pavê, uva-passa no arroz, as filas enormes para as compras em cima da hora e outras coisas do tradicional Natal em família.

Contudo, é um filme que vale a pena ser assistido, principalmente com a pandemia que estamos vivendo em 2020, pois ele traz muitas reflexões a respeito da família e da importância de cada pessoa, além do nosso papel em suas vidas. É a realidade de um homem, pai que precisa passar por determinadas situações para entender o valor e significado das coisas e pessoas.

_____________________________________________
 Por Marcela de Sousa Almeida – Fala! Cásper

Tags mais acessadas