Tio foi preso por suspeita de estupro que engravidou garota de 10 anos.
Menu & Busca
Tio suspeito de estupro que engravidou garota de 10 anos é preso

Tio suspeito de estupro que engravidou garota de 10 anos é preso

Home > Notícias > Tio suspeito de estupro que engravidou garota de 10 anos é preso

A prisão do tio, que foi indiciado por estupro de vulnerável e ameaça a garota de 10 anos em São Mateus, no Espírito Santo, ocorreu em Minas Gerais e detido pelas autoridades do local.

Segundo o jornal G1, o homem já tinha a passagem pela polícia por tráfico de drogas e esteve preso por 7 anos. Em entrevista, a chefe da Polícia Científica de Pernambuco, a Sandra Santos, afirmou:

Vamos traçar os perfis de DNA dessas duas amostras, enquanto o perfil de DNA do preso vai ser traçado no outro estado. O normal é ele negar, dizer que não foi ele, mas com isso, se apresentam provas materiais do crime de estupro e do que chamamos de paternidade criminosa.

Tio suspeito de estupro que engravidou garota de 10 anos é preso

Um vídeo circulou a Internet, nesta terça-feira (18), e o registro mostrou o tio da criança confessando seu desejo de querer se entregar as autoridades de São Mateus e pedidos para que exames também sejam feitos em avô e o filho, ambos residentes na casa, segundo o suspeito.

Suspeito de violentar sexualmente e ameaçar sobrinha de 10 anos grava vídeo revelando sua localização. | Foto: YouTube, Gira Betim.

O caso que chocou o Brasil do estupro da criança de 10 anos, a qual através da justiça se concluiu o aborto legal, segundo a Constituição brasileira, foi motivo de discussões políticas e polêmicas severas.

A abordagem de apoiadores do movimento considerado pró-vida e os religiosos do grupo católico pernambucano Porta Fidei é o caso mais grave que repercutiu sobre o aborto da criança, realizado no hospital de Pernambuco, tanto no apoio, quanto na discordância com tais pessoas.  

Assim, as consequências das repercussões negativas que essa criança terá de enfrentar são enormes e mais agravada quando a militante a favor de Bolsonaro, a Sara Winter, divulgou em suas redes sociais dados pessoais sobre a garota de 10 anos vítima de violência sexual.

O artigo 17, da lei n° 8069, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), afirma o direito do respeito e preservação da imagem e identidade da garota, segundo a Jusbrasil. Assim, a divulgação desses dados pode levar a militante de volta a cadeia, já que essa foi presa pela Polícia Federal (PF), mas, atualmente, está com uma tornozeleira eletrônica, proibida de se aproximar das sedes do STF por supostamente organizar e captar um financiamento para ações contra a ordem política e social, segundo o jornal UOL.

Nessa visão, Sara teve a publicação de tais dados deletados da internet e o canal na plataforma do YoTtube foi retirado por violar os termos de serviço do site, de acordo com o jornal O Globo.

Diante desse cenário, o procedimento do aborto já foi realizado no hospital de Recife e a prisão do suspeito será apurada pelas autoridades.

__________________________________
Por Amanda Marques – Redação Fala!

Tags mais acessadas