Saiba quem foi Marie Laveau, conhecida como a Rainha dos Vodus
Menu & Busca
Saiba quem foi Marie Laveau, conhecida como a Rainha dos Vodus

Saiba quem foi Marie Laveau, conhecida como a Rainha dos Vodus

Home > Entretenimento > Cultura > Saiba quem foi Marie Laveau, conhecida como a Rainha dos Vodus

Você já ouviu falar na religião vodu? Sabe quem foi Marie Laveau e qual foi a sua importância na história estadunidense? Se a sua resposta para qualquer uma dessas perguntas for “não” ou se você se interessou pelo assunto continue lendo

O que é Vodu?

Vodu
Saiba mais sobre a religião vodu. | Foto: Reprodução.

Não podemos falar sobre Marie Laveau sem ao menos introduzirmos o vodu. Criado no século XVII no Haiti, por escravos africanos que misturaram suas crenças originais com o cristianismo, que lhes foi introduzido por missionários, o vodu até hoje é uma das religiões oficiais do Haiti. 

No vodu, são cultuados os antepassados e as entidades chamadas de “loas”, que eles acreditam estarem por todas as partes. Então, os seres humanos são espíritos que vivem no mundo visível, já os espíritos invisíveis vivem em Ginen (um mundo invisível) e esses espíritos são importantes para a comunicação do ser humano com Bondje (criador do universo, segundo essa religião).

As cerimônias são muito marcadas por música, dança, comida e, é claro, o culto e reza para esses espíritos. O vodu não possui líderes, e sim sacerdotes, conselheiros, curandeiros e líderes de rituais. 

Biografia de Marie Laveau

Marie Laveau, conhecida como a rainha dos vodus. | Foto: Reprodução.

Tudo sobre Marie é um mistério para nós, mas acredita-se que ela nasceu por volta de setembro de 1801, no Bairro Francês, em Nova Orleans, Estados Unidos. Também é falado sobre seus pais serem uma escrava liberta, Marguerite, e o prefeito da cidade na época, Charles Laveau. O vodu era muito praticado nesse período em Nova Orleans e ela teria aprendido sobre ele com sua mãe e avó na fase da adolescência.   

Em 1819, ela se casou com Jacques Domingues, que no ano seguinte morreu de causas desconhecidas, a partir desse momento, ela passou a se referir como “Widow Paris” (“Viúva Paris”, em português). Com a herança de seu ex-marido, ela abriu um salão de cabeleireiro para conseguir se manter, algo que foi muito importante na sua vida como feiticeira. 

A Rainha do Vodu

Marie Laveau vodu
Além de cabeleireira, Laveau também praticava atividades religiosas do vodu. | Foto: Reprodução.

Sua carreira como cabeleireira andava muito bem, ela era muito conhecida na cidade e tinha vários clientes da elite. Mas seu trabalho caminhava junto às suas atividades religiosas, muitas vezes, atendia suas clientes em suas próprias casas, assim, realizava alguns trabalhos como curandeira, fisioterapeuta, leitora de cartas e até feitiços (ajudar pessoas enriquecerem e provocar abortos quando houvesse uma gravidez fora do casamento).

Laveau conduzia as cerimônias vodu realizadas na Praça do Congo, onde haviam diversos rituais diferentes, um deles sendo o sacrifício de animais – realizado aos domingos – e seus devidos sangues eram derramados naqueles que precisavam de purificação, muitos afirmavam que entravam em uma espécie de “transe” durante esse processo.

Amada, aclamada e temida, Marie era como uma mãe para várias jovens que se identificavam com ela. As pessoas pediam ajuda para ela com finanças, dívidas, casamento, saúde, casos judiciais, sentenças de morte, proteção, criação dos filhos, problemas domésticos e boa sorte. Laveau possuía inúmeras práticas e soluções para cada tipo de situação.

Sem nenhum motivo aparente, em 1860, ela parou de realizar seus rituais. Ainda rondava a cidade, mas, para os moradores, sua vida e a forma em que envelheceu foram um mistério. Em 1881, teria morrido durante o sono e, logo em seguida, tivera um enorme funeral, onde todos apareceram – inclusive a elite branca -, porém foi relatado que o túmulo seria falso. Muitos acreditam que ela tenha abandonado seu corpo, virado um corvo e tenha continuado observando a cidade até hoje. Seu legado de rainha do vodu foi mantido por uma de suas filhas.

Marie Laveau em American Horror Story

Marie Laveau American Horror Story
Laveau em American Horror Story. | Foto: Reprodução.

Interpretada por Angela Bassett (Pantera Negra) na terceira temporada da antologia, American Horror Story: Coven, que aborda assuntos tais como as bruxas de Salém e o vodu propriamente dito, Marie Laveau é retratada como um ser imortal (devido a um tratado com Papa Legba; a religião seria o ser que faria a intervenção entre os humanos e os Loas), que tem a magia muito avançada e é capaz de ressuscitar os mortos utilizando fantoches. Seu histórico de curandeira e feiticeira e seu salão de cabeleireiros foram mantidos na trama do seriado.

No programa televisivo, ela foi retratada na mesma época que Madame LaLaurie – uma socialite e serial killer de Nova Orleans que torturava e matava seus escravos mantidos em casa, que também existiu na vida real, por sua vez no século XVIII – e que vive até os dias de hoje trabalhando como feiticeira, mantém seu salão e alimenta sua rixa com as “bruxas brancas”, que seriam as descendentes das bruxas de Salém.

Vale lembrar que Marie Laveau foi retratada em diversos outros universos como a famosa revista em quadrinhos, Marvel, como uma implacável feiticeira e vampira. Vários cantores dedicaram músicas a ela e ajudaram a manter seu legado vivo. 

_________________________________
Por Ana Carolina Micheletti – Fala! Cásper

Tags mais acessadas