Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Resenha: Velozes & Furiosos 8

Resenha: Velozes & Furiosos 8

A franquia Velozes & Furiosos começou com um pé direito em sua oitava edição, depois da tragédia que foi a morte de Paul Walker no meio das filmagens de Velozes e Furiosos 7. E como VELOZES é hoje a galinha dos ovos de ouro da Universal, é natural que haja um investimento considerável no orçamento e tudo pareça cada vez mais megalomaníaco. Se já era assim nos trabalhos anteriores, no novo filme isso se cresce exponencialmente. Não apenas na aparente produção mais luxuosa, mas também na trama, nas locações e no elenco de celebridades, que não só conta com uma vilã notável Cipher (Charlize Theron), como com uma coadjuvante de luxo pra lá de chique.

Uma coisa que se percebe neste oitavo filme é que ele é pensado a partir das cenas de ação. Sem muita ligação com os filmes anteriores e fazendo referencia ao amado Paul Walker nesse, o filme segue a evolução esperada, tanta tecnológica quanto da história.

Dom (Vin Diesel) e Letty (Michelle Rodriguez) estão curtindo a lua de mel em Havana, mas a súbita aparição de Cipher atrapalha os planos do casal armando um plano para chantagear Dom, de forma que ele traia seus amigos e passe a ajudá-la a obter ogivas nucleares. Tal situação faz com Letty reúna os velhos amigos, que agora precisam enfrentar Cipher e, consequentemente, Dom.

Muito mais tiros e bombas do que o restante. A grande pena é que a cada filme vemos menos velocidade e mais fúria.

Desde o primeiro Velozes & Furiosos, em 2001, muita coisa mudou, entre elas a tecnologia, diversos diretores e produtores e é possível ver muito mais computação gráfica (grandes explosões no gelo, um submarino “apostando corrida” com os mais rápidos carros) e tudo parece muito mais irreal do que no restante da série.

O filme tem seus momentos bacanas e grandes falhas, mas pelo que parece hoje em dia eles já não ligam mais para o impossível, mas sim a ação que pode ser feita, carros voando, andando no gelo e explosões, que fazem até hoje os fãs irem ao cinema assistir, e que Vin Diesel não vai largar tão fácil assim o osso da franquia que até hoje é uma das maiores, mesmo sendo exagerada.

Para quem curte a franquia, não vai se decepcionar e vai se sentir em casa com várias referências, além de todos os clichês dos anteriores e não estou dizendo isso de forma pejorativa. Para quem começou agora, vai vibrar com a velocidade dos acontecimentos. E se sentir parte da FAMÍLIA ! (piada interna, precisa ver o filme para entender).

0 Comentários