Realmente vale a pena ser representante de sala na faculdade?
Menu & Busca
Realmente vale a pena ser representante de sala na faculdade?

Realmente vale a pena ser representante de sala na faculdade?

Home > Universidades > Realmente vale a pena ser representante de sala na faculdade?

Se sua faculdade tem representante de sala, é provável que já tenha tido que votar para escolher o colega de sala que será representante de turma, ou até mesmo foi um dos que se candidatou. A tarefa de ser representante de sala tem tanto seus lados bons quanto ruins, e como representante de turma há dois anos, separei alguns prós e contras que permeiam de modo geral essa vivência. Vamos lá!

Os lados bons de ser representante de sala

Estar em contato direto com o que está rolando

O representante é a ponte entre a turma e os professores e coordenadores, tanto de um lado quanto do outro, por isso, é quem fica por dentro do que ocorre no curso, e, algumas vezes, até fora dele. É possível que oportunidades de estágio ou trabalho sejam repassadas dos professores/coordenadores para os representantes caso se destaquem.

Desenvolvimento da comunicação interpessoal

Uma habilidade que, com certeza, é mais desenvolvida ao ser representante é o da comunicação interpessoal, já que boa parte das tarefas envolvem o debate entre os colegas da turma, entre os professores e a mediação de conflitos que possam surgir ao longo do semestre de ambas as partes.

Basicamente, esse processo é feito com uma troca de ideias constante entre pessoas, na qual é necessário cultivar uma boa relação entre os envolvidos e saber se expressar bem pra representar os interesses da turma de maneira clara e concisa.

representante de sala na faculdade
Benefícios de ser o representante de sala. | Foto: Reprodução.

Contato mais direto com os professores/coordenadores e alunos

Ser representante de turma provavelmente fará você estar mais próximo dos colegas, mesmo aqueles que você normalmente não fala. Ter um contato mais direto com professores e coordenadores é uma ótima vantagem, já que você pode ter um contato mais próximo com alguém que tem bastante conhecimento sobre sua área de atuação, sendo bom tanto pra seu desenvolvimento pessoal, quanto profissional.

Além disso, esse vínculo pode ajudar na escolha de quem vai ser seu orientador de TCC ou até em uma indicação para algum emprego. Só não vale ser puxa saco!

Diferencial no currículo

Atualmente, ser uma pessoa com boa comunicação é requisito importantíssimo no mercado de trabalho (independente da área) e ter no currículo a experiência de ter sido representante de classe é uma boa referência dessa habilidade. Com certeza, será um diferencial!

currículo
Ser representante de classe pode até ajudar no currículo. | Foto: Reprodução.

Horas complementares

E, então, temos as famosas horas complementares, que talvez sejam um dos benefícios mais lembrados, quando pensamos em ser ou não ser representante de sala. Pois é, dá aquela ajuda para completar as atividades complementares do curso e tem mais, o vice representante também ganha!

Os lados ruins de ser representante de sala

Estar em contato direto com o que está rolando 

Sim, é o mesmo tópico do primeiro lado bom, mas, assim como pode ser bom, também pode ser ruim. Por mais que seja ótimo estar por dentro de tudo, ser a ponte entre turma e professor significa que você é a pessoa que tem que estar envolvida nos problemas que aparecem e mediando conflitos, o que pode ser estressante e cansativo.

Estar constantemente disponível

Mais do que os outros colegas, o representante de classe tem que estar disponível quando for necessário. Isso porque demandas podem ocorrer também fora de aula, principalmente se o contato se estende a aplicativos de mensagem instantânea, valendo tanto para professores quanto para colegas de turma que possam precisar de ajuda, então, não dá para dar aqueles sumiços.

representante de sala
Estar constantemente conectado pode ser um dos malefícios de ser representante de sala. | Foto: Reprodução.

Em suma, os prós e contras são esses, mas, para além do que foi dito, é bom acrescentar que ser representante de sala, acima de tudo, é estar comprometido a vestir essa camisa, porque é mais do que repassar informações, é estar disposto a ajudar os colegas, auxiliar para que o semestre esteja indo na direção certa que sua turma precisa e até mesmo lidar com tretas. E, para isso, também é preciso obstinação para lidar com professores que possam ser inflexíveis, coordenadores teimosos e fazer reivindicações pela turma ou até mesmo na turma.

E, para além de qualquer benefício, por ser uma atividade constante ao longo do período letivo, é preciso saber lidar com pessoas, porque tudo gira em torno disso. Por isso, além dos benefícios que podem motivar na decisão, é necessário pensar se é uma atividade que você tem afinidade pra lidar. De qualquer forma, ser representante de classe pode ser uma ótima experiência em busca de suas habilidades. 

___________________________________
Por Thais Ribeiro – Fala! Universidade Salvador

Tags mais acessadas