"Quase nenhuma" eficiência, diz Bolsonaro sobre máscaras contra a Covid-19
Menu & Busca
“Quase nenhuma” eficiência, diz Bolsonaro sobre máscaras contra a Covid-19

“Quase nenhuma” eficiência, diz Bolsonaro sobre máscaras contra a Covid-19

Home > Lifestyle > Saúde > “Quase nenhuma” eficiência, diz Bolsonaro sobre máscaras contra a Covid-19

O estudo realizado pela Universidade de Cambrigde e Greenwich afirmou desde junho e julho a eficiência das máscaras para a não infecção do vírus Covid-19, segundo o jornal Reuters.

Os testes realizados comprovaram que a eficácia da máscara se daria juntamente a lockdowns, lavagem de mãos e demais formas de proteção e higienização para o combate ao novo coronavírus.

De acordo com a BBC, o estudo feito pelas universidades ainda conclui que máscaras, mesmo que caseiras, podem reduzir tais infecções pela doença.

“Nossas análises apoiam a adoção imediata e universal de máscaras faciais pelo público” -Diz Richard Stutt que é pesquisador de epidemiologia da Universidade de Cambrigde e coator no estudo.

Covid-19
Profissional da saúde usando os devidos equipamentos para se proteger da Covid-19. | Fonte: Poder360.

Contudo, o encontro de Bolsonaro com apoiadores no Palácio da Alvorada, nessa quarta-feira (19), trouxe contradição à já provada efetividade das máscaras.

Após a apoiadora do presidente dizer que só tiraria foto com Jair quando o uso da máscara não fosse mais necessário, o presidente da República respondeu que máscara tem “quase nenhuma” eficácia, segundo o portal G1.

Ainda na quarta-feira (19), o Congresso negou ao presidente o veto, ou seja, a oposição de tal medida, do uso obrigatório de máscara em lugares públicos, como escolas, igrejas e comércio, conforme informações da UOL.

Bolsonaro e Covid-19

Jair Bolsonaro, o presidente da República, traz em seu cargo uma grande importância executiva e representativa para toda uma nação. Todavia, a forma de condução do país no momento de pandemia tem sido questionada.

Após inferiorizar por diversas vezes a gravidade da Covid-19, nomeando a doença como “gripezinha” e alegando que seu histórico de atleta, o presidente já testou positivo para o novo coronavírus. Cada vez mais a doença prova que não importa o cargo, a idade ou o histórico de atleta para a infecção acontecer.

A visão de Jair Bolsonaro sobre a doença traz consequências severas para todo o Brasil, principalmente ao questionar a eficácia de medidas preventivas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pesquisas realizadas por instituições renomadas internacionalmente.

Negligenciar o novo coronavírus não adiciona fatores positivos para o país, contudo, adiciona mais mortes para o cenário brasileiro.

Casos da doença

Apesar dos pontos negativos que o Brasil enfrenta diante a crise proporcionada pela economia já prejudicada e a saúde dos brasileiros ameaçada pela Covid-19, os casos de recuperação da doença trazem mais de 2 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Saúde.

Porém, não se deve ignorar os casos de mortes que ultrapassam 112 mil casos de óbito por Covid-19 e 3 milhões de casos confirmados por todo o país, conforme tal Ministério.

___________________________________
Por Amanda Marques – Redação Fala!

Tags mais acessadas