Pittsburgh Steelers: o que esperar da grande campeã do Superbowl
Menu & Busca
Pittsburgh Steelers: o que esperar da grande campeã do Superbowl

Pittsburgh Steelers: o que esperar da grande campeã do Superbowl

Home > Notícias > Esporte > Pittsburgh Steelers: o que esperar da grande campeã do Superbowl

O time do oeste da Pensilvânia, Pittsburgh Steelers, se mostra um candidato a vencer a divisão após última temporada decepcionante

A tradicional equipe do Pittsburgh Steelers decepcionou seus torcedores na última temporada. Terminando com um recorde de oito vitórias e oito derrotas, o time comandado por Mike Tomlin não conseguiu se classificar para a pós-temporada, e viu seu grande rival, Baltimore Ravens, levar o título da divisão.

Pittsburgh Steelers
Steelers na última temporada da NFL. | Foto: Reprodução.

O resultado foi muito diferente do que se esperava, mas diversos fatores levaram a tal situação. Logo na segunda semana da temporada, contra o Seattle Seahawks, os Steelers sofreram uma perda irreparável: seu Quarterback titular e futuro Hall da Fama, Ben Roethlisberger, sofreu uma lesão no cotovelo direito e não voltou a jogar até o final da temporada.

O ataque Black & Gold passou a ser comandado pelos jovens Mason Rudolph e Devlin Hodges, os quais não conseguiram, nem de longe, dar o mesmo ritmo que “Big Ben” conseguia implementar. Mesmo com um setor tão enfraquecido, alguns jogadores tiveram um belo destaque.

Destaques do Pittsburgh Steelers

Dois nomes fazem a torcida dos Steelers sorrir: James Washington e Diontae Johnson. Ambos são jovens Wide Recievers e seus desempenhos na última temporada faz com que as expectativas para o futuro sejam bem grandes.

Sem Antonio Brown na equipe pela primeira vez em uma década, os olhares caíram sobre o jovem carismático e talentoso Juju Smith-Schuster. Porém, o atleta teve uma temporada muito abaixo do esperado e outros jogadores do elenco tiveram que “tomar as rédeas”.

Washington e Johnson, mesmo que muito jovens e com pouco tempo na NFL, deram um grande salto de evolução e mesmo que não estivessem jogando com um grande QB, conseguiram entregar ainda mais do que o esperado.

Se o ataque não foi lá essas coisas, o mesmo não pode ser dito sobre a defesa. Após começar com duas derrotas em dois jogos e perder Ben Roethlisberger, o General Manager da equipe, Kevin Colbert, trocou sua escolha de primeira rodada no Draft de 2020 pelo Safety do Miami Dolphins, Minkah Fitzpatrick (vale destacar que o Pittsburgh Steelers não havia trocado sua escolha de primeira rodada desde o ano de 1967).

Esse movimento pode ser classificado como “a troca dos sonhos” para Pittsburgh, pois a adição de Minkah transformou uma boa defesa, em uma das melhores. Uma unidade que contém além do novo Safety, jogadores como TJ Watt, Bud Dupree, Cameron Heyward, Devin Bush, Joe Haden e companhia, se tornou muito dominante, e foi capaz de vencer jogos mesmo com um ataque tão fraco.

Steelers e preparação para a próxima temporada

Com o fim da temporada, os Steelers começaram a se preparar para a temporada seguinte, e os movimentos começaram na Free Agency. Sem muito espaço no Salary Cap, a diretoria reestruturou diversos contratos de jogadores para tentar liberar um pouco mais de dinheiro.

Assim, foi possível trazer nomes, como o sólido Tight End dos Colts, Eric Ebron, o Fullback dos Chargers e irmão de TJ Watt, Derek Watt, o Guard Stefen Wisniewski, campeão do Superbowl com o Kansas City Chiefs, e o Defensive Lineman ex-Ravens, Chris Wormley.

Com as principais necessidades do elenco devidamente endereçadas, os Steelers foram para o Draft com apenas seis escolhas, e nenhuma de primeira rodada.

Mesmo com um baixo capital de Draft, os Steelers fizeram um bom trabalho e escolheram nomes interessantes, como o WR Chase Claypool, vindo da universidade de Notre Dame, o EDGE Alex Highsmith de Charlotte, o RB Anthony McFarland, de Maryland, e o OG Kevin Dotson, de Louisiana Lafayette.

Os Steelers possuem um elenco muito jovem e talentoso, recheado de grandes promessas nos dois lados do campo, porém, o sucesso no presente depende de apenas uma coisa: o retorno de seu Quarterback. Após passar por uma cirurgia no cotovelo, Big Ben finalmente está 100% recuperado e conseguindo lançar novamente, como divulgado pelas próprias mídias sociais do time e do atleta.

Com o retorno de seu grande comandante, somados com uma comissão técnica experiente, um treinador do calibre de Mike Tomlin, jovens promissores tanto no ataque quanto na defesa e uma unidade defensiva de elite, a torcida tem muito com o que se empolgar.

Para sabermos se tudo isso será revertido em resultados, teremos que esperar até setembro para descobrir. As expectativas são altas com a franquia de Pittsburgh, que está em uma divisão muito complicada com Ravens e Browns, mas o time possui totais condições de buscar, pelo menos, uma classificação para os playoffs, algo que não ocorre desde 2017.

________________________________
Por Filipe Saochuk – Fala! PUC

Tags mais acessadas