Menu & Busca
Os 15 melhores filmes de Tim Burton – incluindo Dumbo

Os 15 melhores filmes de Tim Burton – incluindo Dumbo


A Fantástica Fábrica de Chocolate, A Noiva Cadáver, Batman e Alice no País das Maravilhas são apenas algumas das super produções dirigidas por Tim Burton, esse gênio de Hollywood que, recentemente, dirigiu o live action de Dumbo. São incontáveis os filmes de Burton que marcaram infâncias, adolescências e vidas. Por isso, a Screen Rant fez um rank dos 15 melhores filmes dirigidos por Tim Burton:

15- O Lar das Crianças Peculiares

Uma criança segue pistas deixadas pelo avô para encontrar uma ilha misteriosa onde vivem crianças com poderes extraordinários. Esse filme representa perfeitamente o estilo de Tim Burton, apresentando-o como o  diretor peculiar que é. Ele cria um ambiente onde a melancolia e a fantasia se misturam, tirando os estereótipos do bem e do mal para construir uma narrativa assustadora, mas ao mesmo tempo, atraente.

14- Dumbo

Além de ser o filme mais recente de Tim Burton (estreou mês passado), esse remake live action da Disney é um dos mais emocionantes do diretor, que transformou o clássico em uma nova produção com alterações significantes, mas muito mais tocante. Dumbo ganhou um rosto CGI e Burton, mais uma vez, dirigiu um filme extraordinário e eternamente memorável.

13- A Noiva Cadáver

2005 foi um ano e tanto para quem curte os filmes do Tim Burton: foram lançados A Noiva Cadáver e A Fantástica Fábrica de Chocolate.

Com a influência de Edgar Allan Poe, esse é um dos filmes mais românticos de Burton. Ele conta como os planos para o casamento de Victor e Victoria são interrompidos quando o noivo encontra a zumbi Emily, que foi assassinada quando fugiu para casar com seu amor e agora decide se casar com Victor. Então, ele precisa voltar antes que Victoria se case com um vilão. A Noiva Cadáver é marca registrada do lado sombrio e reflexivo de Burton, onde os mortos são alegres e os vivos são gélidos.

12- Frankenweenie

Esse filme é assustadoramente fofo. A história conta de Victor, um garoto que adorava fazer filmes de terror caseiros com seu cachorro Sparky. Mas quando Sparky morre atropelado, Victor aprende sobre eletricidade em uma aula de ciências na escola. Assim, o garoto decide construir uma máquina para reviver o cão. O que ele não esperava era que seu amiguinho voltaria com alguns hábitos inesperados…

A produção, lançada em 2012, custou 39 milhões de dólares. Dos filmes dirigidos por Burton, esse é um dos mais especiais para ele.

11- A Fantástica Fábrica de Chocolate

Esse filme, estreado em 2005, marcou a infância de quem nasceu na primeira década deste século. Curiosamente, Roald Dahl, autor do livro que deu origem ao filme, ficou famoso por ter odiado a primeira adaptação, escolhendo Tim Burton meticulosamente para dirigir a segunda. E, de fato, o principal erro da primeira adaptação – focar a história em Willy Wonka e não em Charlie Bucket – foi corrigida por Burton. Johny Depp arrasou na sua performance como o pseudo-Michael Jackson Willy Wonka, mas a verdadeira estrela do filme é Freddie Highmore como Charlie.

10- As Grandes Aventuras de Pee-Wee

Essa comédia conta a história de Pee-Wee, um homem super infantil que tem sua bicicleta vermelha roubada. O filme foge completamente do tradicional de Tim Burton, mas comprovou que para o filme ter sucesso, basta colocar o nome de Burton nele: As Grandes Aventuras de Pee-Wee faturou seis vezes o seu orçamento de produção.

9- Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet

Mais um filme de mistério para a conta. Essa é uma adaptação da composição de Stephen Sondheim, que é massivamente amada e uma das figuras teatrais mais influenciadoras há décadas. A sua adaptação, no entanto, não é uma das mais queridas de Hollywood. A complexidade e abordagem lírica da composição torna muito difícil a sua tradução para a linguagem cinematográfica. Mas Burton deu o jeitinho dele em 2008: de todas as adaptações de Sondheim, Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet é, definitivamente, a melhor.

8- Marte Ataca!

Burton não tem medo de sentimentalismo e ou de catástrofes emocionais, mesmo quando essas coisas parecem inusitadas se combinadas com seu estilo melancólico. E Burton investe nisso em Marte Ataca!, de 1996. A obra fala de um ataque marciano que tem início quando naves espaciais cercam as principais cidades do mundo. O presidente americano acredita que os ETs vieram em missão de paz, até que uma aniquilação do Congresso do país faz com que o exército dos Estados Unidos clame uma retaliação nuclear total. É, sem dúvidas, um dos filmes mais engraçados de Burton, e se torna melhor a cada vez que você assiste.

7- Batman: O Retorno

Depois do sucesso que o filme Batman, dirigido por Burton em 1989, fez, é óbvio que ele foi escalado para dirigir a continuação, que foi lançada em 1992. Batman: O Retorno é, tecnicamente, um filme do Batman, mas é tão marcado pela identidade cinematográfica de Tim Burton que definitivamente não pode ser descrito como uma adaptação fiel da DC. A produção é uma homenagem bem viajada ao expressionismo alemão, quase que deixando o próprio Batman de lado. Burton transformou a Gotham eclética e desajustada em seu próprio conjunto de excentricidades, tornando o filme único comparado com qualquer outro do personagem.

Mas mesmo que tenha feito sucesso nas bilheterias, não chegou nem perto do faturamento de seu antecessor, Batman. Por isso, Burton foi desligado da franquia e substituído por Joel Schumacher.

6- A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça

Os melhores filmes de Tim Burton acontecem quando ele joga a precaução fora e cede livremente aos seus caprichos estilísticos. E é o que acontece nessa obra de terror de 1999, que foi um dos vários filmes do diretor a estrelar Johnny Depp. O filme conta sobre um policial de Nova York enviado à aldeia de Sleepy Hollow para resolver uma série de assassinatos envolvendo um cavaleiro sem cabeça.

A ideia de um drama old school misturada com uma melancolia e escuridão típica dos filmes de Burton que torna A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça um filme eternamente interessante

5- Batman

Deixar o reino de Batman nas mãos do então desconhecido Tim Burton foi um grande risco para a Warner Bros. Um risco que, no final das contas, valeu a pena ser corrido, já que Batman foi o segundo filme que mais arrecadou dinheiro em 1989.

Mas é claro que, hoje em dia, comparando o avanço tecnológico dos filmes e o desenvolvimento do Universo Estendido DC, esse filme pode ser considerado bem mais fraco.

4- Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas

Essa é um dos filmes mais tocantes de Tim Burton. Lançado em 2004, ele trata da figura paterna e seus problemas – tema que também é tocado pelo diretor em Eduardo Mãos de Tesoura e nos traumas de Willy Wonka em A Fantástica Fábrica de Chocolate -, essa produção se desenvolve na relação de Edward Bloom e seu filho, William, para quem ele tinha o costume de contar histórias extraordinárias. O menino nunca acreditou nas coisas que o pai contava, até que, quando Edward estava no seu leito de morte, o já adulto William, que havia se tornado jornalista, começa a investigar as histórias do pai e se surpreende com o que encontra.

3- Os Fantasmas se Divertem

Burton andava insatisfeito com os roteiros que chegavam até ele. Então, em 1998, concebeu a comédia de terror Os Fantasmas se Divertem. Depois de extensas revisões e reescritas, ele deu um jeito de trazer a vida a história do casal  Bárbara e Adam Maitland, que apósterem as vidas tiradas em um acidente de carro, se encontram presos em sua própria casa. Tempos depois, a chegada de uma nova família à antiga residência dos Maitland traz à narrativa uma pegada engraçada – e assustadora.

2- Ed Wood

Nesse filme de 1994, Tim Burton supera as expectativas dos fãs, fazendo uma abordagem diferente das suas produções convencionais, mas sem perder a marca Burton.

Ed Wood era considerado o pior diretor do mundo, mas unido aos amigos, ele vai contra o sistema burocrático e tradicional de Hollywood para tornar seus sonhos realidade. Burton consegue trazer um espírito honesto e sem maldades no personagem de Wood, deixando o público com a sensação de que ele era injustiçado e mal compreendido pela história.

1- Eduardo Mãos de Tesoura

Eduardo Mãos de Tesoura é perfeito para explicar o padrão de qualidade do diretor. Lançada em 1991, essa com certeza é a melhor produção de Burton. No filme, ele reinventou Frankenstein, fazendo do monstro um jovem homem com tesouras no lugar das mãos que quer, mas que tudo, se encaixar no mundo dos “normais”, mas é rapidamente rejeitado pelas pessoas que quer agradar. É uma narrativa de amor e terror, onde tudo que o protagonista segura se destrói.

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas