Opinião: Por que o Instagram e Mayra Cardi podem ser perigosos
Menu & Busca
Opinião: Por que o Instagram e Mayra Cardi podem ser perigosos

Opinião: Por que o Instagram e Mayra Cardi podem ser perigosos

Home > Entretenimento > Famosos e TV > Opinião: Por que o Instagram e Mayra Cardi podem ser perigosos

Mayra Cardi é conhecida por falar sobre beleza e bem-estar em seu Instagram com 6 milhões de seguidores, além de vender produtos relacionados a esse tema. Ela se tornou uma grande influência nessa área e autointitulou-se “líder em emagrecimento natural”, apesar de não ter formação em medicina, nem em nutrição. E sua polêmica mais recente é perigosa justamente por isso.  

“Não imaginava que iria ser tão mágico”, Mayra Cardi escreveu em seu Instagram. A influenciadora realizou um jejum de 7 dias e compartilhou-o nas redes sociais, no dia 28 de abril, junto com uma foto de seu corpo como resultado e afirmou estar se preparando para um jejum de 14 dias. Logo após seu post, surgiu uma chuva de críticas direcionadas à coach, acusando-a de incentivar distúrbios alimentares.

mayra cardi
Mayra Cardi. | Foto: Reprodução/Instagram.

Por que o Instagram de Mayra Cardi é tão perigoso?

Ainda que tenha afirmado que sua intenção não era o emagrecimento, mostrar essa prática aos seguidores é de enorme irresponsabilidade, uma vez que promove comportamentos alimentares inadequados, além de ser um gatilho para o desenvolvimento de transtornos alimentares, como explica Fernanda Imamura, nutricionista do Ambulim (Programa de Transtornos Alimentares) do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP). Ademais, a publicação de Mayra Cardi também é perigosa para a saúde mental de seus seguidores, visto que tais distúrbios afetam diretamente o psicológico dos indivíduos.

A situação é ainda mais agravada quando se tratam de pessoas que já sofrem com transtornos alimentares. Segundo Elenice Moraes, psicóloga especializada em distúrbios alimentares do Ambulim, ler esse tipo de informação “reforça a crença de incapacidade: como ela consegue e eu não?”, o que pode causar uma piora dos sintomas e no quadro do indivíduo, além de poder levá-lo a desenvolver depressão, ansiedade e outros problemas psicológicos.

Em resposta às críticas, Mayra Cardi defendeu o jejum e ainda afirmou: “Ninguém é obrigado a acreditar, não mandei ninguém fazer (jejum). Mas tenho o direito de fazer e dividir na minha rede social! Vão falar do meu jejum?”. Sim, vamos falar. Influenciadores digitais, como o próprio nome diz, precisam entender o seu papel de influência na sociedade.

No caso de Mayra, a especificidade de seu conteúdo agrava a cenário, já que ela representa produtos de emagrecimento e beleza e é vista como referência nessa área para seus 6 milhões de seguidores. Assim, devemos falar e cobrar uma conduta melhor. Especialmente quando 10% dos jovens brasileiros são afetados por transtornos alimentares, os quais, em muitos casos, levam ao suicídio.

Como identificar distúrbios alimentares e quem procurar

Distúrbios alimentares são caracterizados por uma relação conturbada com a comida e uma preocupação excessiva com o peso e o corpo. Há diversos tipos de transtornos relacionados à alimentação, mas os sintomas mais comuns envolvem parar de se alimentar, vomitar logo após comer e comer compulsivamente. Tais doenças são perigosas e, em casos mais graves, podem levar à morte da pessoa. Portanto, mesmo que o indivíduo apresente poucos sinais, é necessário procurar ajuda para prevenir um possível distúrbio. 

O encaminhamento indicado é consultar um psiquiatra especializado em transtorno alimentar para se realizar o diagnóstico. Caso seja confirmado, o tratamento será feito de forma multidisciplinar, englobando, no mínimo, um psiquiatra, um psicólogo e um nutricionista, os quais tentarão melhorar a relação da pessoa com a comida e com sua imagem corporal.

______________________________
Por Luana Watanabe – Fala! Cásper

Tags mais acessadas