Opinião: O mal do Brasil, hoje, é o fanatismo político
Menu & Busca
Opinião: O mal do Brasil, hoje, é o fanatismo político

Opinião: O mal do Brasil, hoje, é o fanatismo político

Home > Notícias > Política > Opinião: O mal do Brasil, hoje, é o fanatismo político

Você, que defende seu político favorito, independente de ideologia, sigla e/ou partido, achas que ele faria alguma coisa a seu favor quando você precisar? Começo este artigo fazendo esta pergunta direta para aqueles adeptos do fanatismo político, que discutem e até partem para agressões físicas sob alegação de estar defendendo seu político predileto. Coitados desses que não sabem o quão ignorantes estão sendo com a própria inteligência.

fanatismo político
Opinião: O mal do Brasil, hoje, é o fanatismo político. | Foto: Reprodução.

Fanatismo político

Aqueles que defendem arduamente, por exemplo, o ex-presidente Lula, alegam que o petista foi o melhor presidente da história do Brasil e que está sendo injustiçado. Para sustentar a tese ideológica de melhor presidente da história, o exército fanático lulista alega o destaque econômico global após a descoberta do pré-sal e por ter conseguido se estabilizar enquanto o mundo declinava em 2008, com a crise econômica global.

Além da criação de programas sociais, como Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família, sendo que o Bolsa Família foi uma junção de alguns programas sociais originados no governo de Fernando Henrique Cardoso – PSDB, seu antecessor. Lula não fez mais do que a obrigação dele como chefe do Executivo: em fazer políticas públicas e ações de desenvolvimento econômico do país.

Para alegar que Luiz Inácio Lula da Silva esteja sendo injustiçado, alega parcialidade por parte do então juiz Sérgio Moro, nas condenações impostas a ele.

Para defender a tese pró-Lula, vale tudo! De se manifestar pacificamente até agressões físicas, hostilizar quem pensa diferente e até morrer por uma ideologia. Isto não é um exagero, é um fato!

Se de um lado há fanáticos de vermelho, do outro, tem fanáticos de verde e amarelo, numa atitude que chega a envergonhar as cores da bandeira do Brasil. Os bolsonaristas chegaram a ganhar apelidos, como o clássico ”bolsominion”, pelo grupo geralmente aparecer em grande massa na cor amarela, e por defender um presidente tudo como um ”malvado”. Mas isso é só um detalhe.

As atitudes dos bolsonaristas são vergonhosas e agressivas. Defendem a todo custo um presidente da república que ainda está construindo sua história no cargo. Para defender Bolsonaro, os fanáticos usam como alegação principal o fato do presidente não ter um caso de corrupção provado e, atualmente, o fato de Bolsonaro estar dando parcelas do auxílio emergencial para trabalhadores informais durante a pandemia do novo coronavírus; nada de mirabolante! Nada que chegue além das obrigações do chefe do Executivo: de ser honesto com o dinheiro público e de prestar assistência a seu povo em situações de crise.

Para defender o presidente, os alinhados atacam verbal e até fisicamente jornalistas e pessoas que até defendem Bolsonaro, mas não têm uma linha de pensamento irrestrita com ele. Quem diz a verdade, ou melhor, quem se opõe a um único ponto posto por Jair Messias Bolsonaro, é visto como um ”inimigo da nação que merece ser extirpado”.

Atitudes que lembram mais uma ditadura do que uma democracia! Pessoas levianas, irresponsáveis, antipatriotas, mesquinhas…, que têm atitudes ridículas, hostis, desumanas, irracionais, desnecessárias. Se você for tentar chegar perto de seu político favorito para pedir uma ajuda para comprar um pão, por exemplo, ele vai por os seguranças contra você. Não se deve confundir atitudes de mera obrigação do cargo com milagres. Não se deve endeusar alguém que fez nada de mais. Se ele está sendo investigado pela justiça, é porque há dúvidas sobre sua conduta. É difícil de entender isso?

Enquanto tais fanáticos verbalizam que os males do Brasil são inúmeros alvos, eles se comportam como um mal que tem que parar imediatamente. Divergir de opiniões não é motivo para uma guerra. A atitude desses alienados causa desprezo pela nação e pela democracia. Se é o desprezo que eles queriam, parabéns, estão conseguindo!

Ser um fanático político, defendendo um representante que não fez milagre algum, é a maior insanidade que pode haver. Por isso, eu pergunto de novo: você que defende seu político favorito, você acha que ele faria alguma coisa (de extraordinário) a seu favor quando você precisar? Reflita!

______________________________
Por Álvaro José – Fala! UFPE

Tags mais acessadas