Opinião: Evangélicos e a homofobia "comportada"
Menu & Busca
Opinião: Evangélicos e a homofobia “comportada”

Opinião: Evangélicos e a homofobia “comportada”

Home > Notícias > Política > Opinião: Evangélicos e a homofobia “comportada”

A polêmica envolvendo o pastor da Igreja Batista de Lagoinha, André Valadão, reacendeu o debate em torno do preconceito velado dentro da igreja. De acordo com o pastor, homossexuais não devem frequentar templos religiosos, seriam mais bem recebidos em um clube gay, afinal, esta prática não condiz com a vida da igreja. Mas de qual igreja ele está falando? Ora, daquela que está presente em nosso dia a dia. Escondida em seus preconceitos camuflados de liberdade de expressão, sua moralidade irrefutável e a empatia perversa que pode ser definida em uma única frase: “Eu respeito, mas não aceito”. Infelizmente, o discurso empedernido do pastor não é um caso esporádico no universo “progressista” cristão, outros líderes religiosos já tornaram evidente a homofobia comportada em seus posicionamentos sobre o tema.

No dia 06/09/2019, Silas Malafaia, pastor da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, divulgou um vídeo atacando a homossexualidade e a transexualidade. De acordo com Silas, o homossexual pode ser definido segundo a tríade: Abuso sexual, dificuldade com a figura paterna e  modelo de imitação. Tratando a diversidade sexual como um simples comportamento, em sua argumentação sobre a multiplicidade de orientações sexuais, o pastor diz:

Ninguém nasce gay, ninguém nasce com essas coisas.

Silas Malafaia

Sim, na definição de Silas, “essas coisas” é tudo aquilo que foge da heteronormatividade. Ou seja, todo o universo para além do mundo hétero é apenas uma questão  comportamental, algo influenciado por imitações, abusos sexuais e abandono paterno. Bem próxima de Silas Malafaia, a pastora e deputada federal Flordelis também carrega um pensamento peculiar em suas pregações sobre o assunto. Em um vídeo que ganhou destaque após Flordelis ser acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, a deputada evidencia o seu posicionamento a respeito da homossexualidade.

Eu vou para a cadeia satisfeita, mas eu vou continuar dizendo que prostituição, homossexualismo, não é de Deus. O meu Deus fez homem e mulher, o que passa disso, é de procedência maligna.

Flordelis.

Sob a égide do discurso moral, Flordelis, Malafaia e Valadão atuam para propagar o ódio para fins “benéficos”, em prol de uma liberdade que possa suplantar a dignidade da pessoa humana. Criminalizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), a homofobia/transfobia foi equiparada ao racismo. Comportada ou não, é crime.

____________________________________
Por Matheus Alves – Fala! Colégio Pedro II – Graduação

Tags mais acessadas