Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
O Surfe brasileiro e o início de uma nova temporada

O Surfe brasileiro e o início de uma nova temporada

Mais um ano começando e mais um ano de domínio brasileiro em águas marinhas. Nesse mês de abril, a primeira etapa do circuito mundial de surfe da WSL já está rolando nas famosas praias de Gold Coast, na Austrália.

Atual campeão, Gabriel Medina lidera uma caravana de 13 brasileiros, sendo dois estreantes, Peterson Cristiano (27 anos) e David Silva (24 anos). Além disso contamos com a participação de duas brasileiras, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb, nascida em Porto Alegre que, até abril de 2018, defendia a bandeira havaiana, e depois desse mês decidiu mudar sua bandeira para defender a amarelinha.

Após um ano espetacular, em que das 11 etapas do circuito mundial, nossos brasileiros, seguindo o apelido “Brazilian Storm”, venceram nada mais nada menos do que 9 de 11 etapas. Pois então, este ano as expectativas é de que seja ainda melhor, afinal estamos pelo terceiro ano consecutivo com o maior número de representantes de um país no circuito mundial.

Olimpíadas de Tóquio 2020

As olimpíadas estão chegando e, pela primeira vez, o Surf estará presente. A novidade é que o campeonato mundial terá um gostinho a mais para sua disputa, já que a partir desse ano, caso haja 2 representantes de um país ficando entre os 10 ao final do campeonato, automaticamente estarão na correria pela busca da medalha de ouro olímpica.

Novo Formato, Novas Regras

Este ano as primeiras fases tornaram-se mais atrativas, dando mais oportunidades para os atletas avançarem. Como explicado no site Globo Esporte:

“A primeira rodada classificará os dois primeiros direto para a terceira fase, enquanto o terceiro colocado na bateria cairá para a repescagem. Antes, apenas o vencedor do confronto ia direto para a terceira fase. Na repescagem, acontecerá a mesma situação: os dois primeiros avançam. Só que o terceiro colocado será eliminado. Na regra anterior, a repescagem era feita em baterias homem a homem. A terceira fase agora terá 16 confrontos (antes eram 12) e a quarta fase, 8 (antes eram 4 e com 3 atletas), e todos serão mano a mano e eliminatórios.”

0 Comentários