O que esperar do Brasileirão 2020 nas quatro divisões nacionais?
Menu & Busca
O que esperar do Brasileirão 2020 nas quatro divisões nacionais?

O que esperar do Brasileirão 2020 nas quatro divisões nacionais?

Home > Notícias > Esporte > O que esperar do Brasileirão 2020 nas quatro divisões nacionais?

A principal competição nacional do país, como todos sabemos, é o Campeonato Brasileiro (carinhosamente chamado de Brasileirão). Nele, 128 equipes, distribuídas em 4 divisões (sendo 20 no primeiro, segundo e terceiro escalão e 68 no quarto), disputam, no formato de pontos corridos, vagas nos torneios continentais (clubes da Série A), nas divisões superiores (no caso das séries B, C e D), assim como lutam para evitar o rebaixamento à divisão inferior (no caso das séries A, B e C).

Com o calendário cheio e longo, o campeonato costuma levar grande parte do ano para ser finalizado. Porém, com a pandemia, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) teve que adequar o calendário ao momento de instabilidade sanitária, dando início ao torneio, a priori, apenas no segundo semestre do ano, algo bem atípico e inimaginável em anos anteriores.

Como consequência e para não sobrecarregar jogadores e comissão técnica, a entidade, em acordo com os clubes, decidiu estender o calendário até 2021, com a expectativa de encerramento da temporada na primeira quinzena do mês de fevereiro. 

Campeonato Brasileiro
A tão cobiçada taça do Campeonato Brasileiro, o Brasileirão, Série A. | Foto: Reprodução.

Além da emoção e entrega em campo, confira outros aperitivos e algumas das expectativas para o início do prestigiado campeonato nacional, começando pelas divisões de acesso:

O que esperar do Brasileirão?

Série D

Equivalente à quarta divisão nacional, a Série D adotará um novo formato de disputa a partir deste ano. Contando com 68 equipes, a competição se iniciará com uma fase eliminatória, na qual os 8 clubes nas piores posições do ranking da CBF disputam 4 vagas na fase principal que consistirá em 8 grupos com 8 equipes cada (as outras 60 equipes já estão com suas vagas garantidas na fase principal).

Vale ressaltar que os grupos são regionalizados, isto é, são separados por região, facilitando a logística de deslocamento das equipes.

Brasileirão
Divisão mais baixa do futebol brasileiro, a Série D do Brasileirão reúne a maior quantidade de equipes em busca do acesso: 68 no total. | Foto: Reprodução.

Na fase principal, os times que compõem o grupo enfrentam-se duas vezes cada, uma vez como mandante e outra como visitante, no sistema de pontos corridos, em um total de 14 rodadas. Os 4 melhores do grupo avançam para a fase de “mata-mata” (16 avos de final) e as outras 4 equipes são eliminadas sem direito à repescagem. 

cbf
Esse modelo adotado, em 2020, pela CBF veio para dar mais consistência ao calendário das equipes participantes. Anteriormente, eram 4 equipes por grupo. | Foto: Reprodução.

No “mata-mata”, os clubes, que se cruzarão após critérios ainda não estabelecidos pela CBF, se enfrentarão em um jogo de ida e de volta, sendo o jogo decisivo com mando de campo da equipe com melhor campanha na fase anterior. O vencedor seguirá para o próximo degrau (oitavas de final) e o perdedor dará adeus ao campeonato.

No mesmo esquema dos 16 avos, as oitavas reservam mais emoção e tensão, já que a competição vai afunilando-se e apenas as melhores equipes permanecerão. Mais uma vez, o vencedor avançará e o derrotado ficará pelo caminho.

A fase seguinte é dada, por muitas equipes, como a mais decisiva, levando em consideração que o objetivo principal de muitos dos clubes participantes, no pontapé da temporada, é subir de divisão. Restando apenas 8 times e no mesmo esquema das fases anteriores do “mata-mata”, as quartas de final darão, ao vencedor do confronto, o tão sonhado acesso à série C e uma vaga na semifinal.

As outras duas fases subsequentes (semifinal e final) seguem até chegar ao campeão, que é oficializado após o término do jogo de volta da grande decisão, dando emoções finais à temporada. 

série D Brasileirão
O Brusque, de Santa Catarina, é o atual campeão da Série D do Brasileirão. | Foto: Reprodução.

Sem dúvidas, as equipes que entrarão mais duramente na competição devido à força e expressão que têm é a dupla ABC e América, de Natal, no Rio Grande do Norte.

Em uma considerável decadência, a dupla potiguar estava acostumada a jogar divisões maiores e de mais prestígio, tendo, inclusive, o América-RN disputado a Série A no formato atual (pontos corridos). Apenas para termos uma ideia melhor do quanto ABC e América-RN são atípicos na Série D, em 2013, há 7 anos, os dois estavam juntos na Série B do campeonato brasileiro.

Também não podemos subestimar os outros times que entrarão com força na briga pelo acesso, como o expressivo paulista São Caetano, o reinventado catarinense Joinville, o pernambucano Afogados da Ingazeira (que eliminou o Atlético de Minas Gerais na Copa do Brasil antes da paralisação da pandemia) e diversas outras equipes que lutarão até o último segundo de jogo atrás dos objetivos na competição. O torneio começará no final de semana dos dias 19 e 20 de setembro. 

Série C

A terceira divisão nacional (Série C) segue um formato distinto da quarta. Contando com 20 equipes divididas em 2 grupos regionalizados, com 10 cada, a competição adota, também, o estilo de pontos corridos entre os integrantes do grupo em turno e returno, totalizando 18 rodadas.

Ao fim, os 4 primeiros colocados de cada grupo prosseguem para a próxima fase, os 5°s, 6°s, 7°s e 8°s encerram a temporada sem acesso nem descenso, e os dois últimos classificados de cada são rebaixados à Série D.

série C Brasileirão
A Série C é uma das divisões mais emocionantes e apaixonantes do país. Na foto, a torcida do Santa Cruz, uma vez campeão da competição e participante da edição de 2020 do Brasileirão. | Foto: Reprodução.

Em 2020, a CBF decidiu dar uma inovada e reformular a fase seguinte. Nos anos anteriores, após o término da fase de grupos, os times se enfrentariam em uma das quartas de final e o vencedor do confronto em ida e volta, além de avançar à semifinal, conquistaria o acesso à Série B e seguiria na competição disputando o título na final (em caso de sucesso na semifinal, claro).

Neste ano, os 8 clubes classificados à fase decisiva formariam 2 grupos com 4 equipes cada, também em pontos corridos e ida e volta. De uma forma bem simples, os 2 primeiros colocados de cada grupo promovem-se à segunda divisão e os restantes seguem na terceirona na temporada seguinte.

campeonato brasileiro
Clube Náutico Capibaribe, campeão da Série C do Brasileirão 2019. | Foto: Reprodução.

A Série C reunirá muitos times de peso nesta temporada. No grupo A (formado por equipes do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país), os rivais paraenses Remo e Paysandu prometem dar sangue em campo na luta pelo acesso e pelo direito de “zoar” o rival caso um dos dois tenham sucesso e o outro fique pelo caminho.

Além da dupla de Belém, o Santa Cruz, de Pernambuco, vem com sangue nos olhos em busca da ascensão à segundona após amargar a terceira temporada seguida na Série C.

Outros clubes podem surpreender e os adversários devem ficar de olho do início ao fim, como os recém-promovidos Manaus, do Amazonas, e Jacuipense, da Bahia, além dos ambiciosos paraibanos Treze, de Campina Grande, e Botafogo, de João Pessoa, e o valente Ferroviário, do Ceará. Outro forte candidato ao acesso é o recém-rebaixado Vila Nova, de Goiás.

No grupo B (formado por equipes do Sul e Sudeste), o equilíbrio também tomará conta. O catarinense Criciúma, após 5 anos de segundona, teve seu descenso decretado na temporada passada e não pretende passar mais de um ano na terceirona.

Além dele, o conterrâneo Brusque vem surpreendendo cada vez mais nos últimos meses. Campeão da Série D em 2019, o Bruscão vem, em primeira ordem, em busca da manutenção, mas não descarta o sonho de um acesso para a Série B de 2021.

O Ituano, conhecido pela recente façanha de se consagrar campeão paulista em 2014, foi promovido à Série C no ano passado, após diversas tentativas frustradas de subir de divisão.

Não podemos esquecer de outros times que podem surpreender a qualquer momento durante a competição, como o carioca Volta Redonda, os recém-rebaixados São Bento, também de São Paulo, e Londrina, do interior do Paraná. A Série C 2020 tem data prevista para iniciar no segundo final de semana de agosto, entre os dias 8 e 9. 

Série B

O segundo escalão nacional é uma das divisões mais equilibradas do país, no qual os 20 clubes apresentam um nivelamento idêntico entre eles, fato que deixa a competição ainda mais emocionante e imprevisível. Adotando o sistema de pontos corridos e turno e returno do início ao fim, o campeonato conta com equipes tradicionais e de expressão nacional que podem, tranquilamente, garantir uma vaguinha na próxima primeirona.

Com 38 rodadas ao todo, o torcedor pode aguardar uma disputa acirradíssima desde o primeiro jogo da primeira rodada até a rodada final.

Equipes participantes da Série B
Equipes participantes da Série B do Brasileirão 2020. | Foto: Reprodução.

Com a presença ilustre do multi-campeão e que nunca caía Cruzeiro, de Minas Gerais, o torneio abrange todas as regiões do país (exceto o Norte) e dá a promoção aos 4 melhores colocados e o rebaixamento aos 4 piores.

Além do gigante mineiro, destacam-se o baiano Vitória (tentando o acesso após uma campanha ruim na temporada passada), o recém-promovido e atual campeão da Série C Náutico, do Recife, a campeã sul-americana e rebaixada da Série A Chapecoense e a dupla alagoana CRB e CSA (este tentando retornar à primeira divisão após ter seu descenso decretado na temporada passada).

Um dos xodós dessa temporada da Série B é o Confiança. Representando o estado de Sergipe, a equipe veio para acabar com os vários anos de ostracismo do futebol sergipano nas divisões de maior escalão do cenário nacional. A meta principal da equipe de Aracaju é permanecer na divisão atual, mas com o elenco organizado e talentoso do clube, não ficaríamos surpresos se o Dragão entrasse na briga pela classificação à Série A.

O atual vice-campeão da terceirona Sampaio Corrêa, do Maranhão, promete garra em campo para evitar o rebaixamento e manter-se na B. A competição tem previsão de início para os dias 7, 8 e 9 de agosto.

O Cuiabá Esporte
O Cuiabá Esporte, do Mato Grosso, é o único representante do Centro-oeste na segundona do Brasileirão 2020. | Foto: Reprodução.

Série A

É difícil encontrar algum torcedor, de qualquer que seja o clube, que não deseja ver o seu time do coração na primeira divisão. A Série A (elite do futebol brasileiro) é idêntica à segundona, a não ser pelo fato de que dá, aos melhores colocados, vagas nas competições internacionais, como a Copa Sul-Americana e a Libertadores (principal torneio de clubes da América do Sul). 

Série A
A Série A é a divisão mais badalada e cobiçada do país, torneio dos grandes astros do futebol brasileiro. Na foto, o atual campeão Flamengo, um dos maiores clubes e atual campeão do Brasileirão. | Foto: Reprodução.

Tendo o Flamengo como atual campeão e detentor do recorde de pontos em uma única edição do Campeonato Brasileiro, o torneio reúne as 20 melhores equipes de futebol do país, assim como recebe os maiores investimentos, tem as maiores médias de público e visibilidade no cenário internacional. 

Vale salientar e discutir acerca do crescimento do futebol nordestino na primeira divisão. Durante muitas décadas, o futebol do Norte-Nordeste do país costumou ser subestimado em todos os aspectos pelos clubes e torcedores do chamado “eixo”, que compreende as regiões Sul e Sudeste e onde estão concentrados os clubes mais conhecidos e campeões do país.

Apesar desse empecilho, o futebol nordestino vem tentando (e conseguindo) ganhar um espaço considerável entre as melhores equipes do país, sendo em campanhas na Série A, gestões satisfatórias, médias de público surpreendentes e jogos acirrados em torneios continentais.

Na edição de 2020, o Nordeste contará com 4 times no primeiro escalão: Sport, do Recife, Bahia, de Salvador, Fortaleza, da cidade homônima, e Ceará, rival e conterrâneo do Fortaleza.

Fortaleza Esporte Clube
O Fortaleza Esporte Clube foi a equipe nordestina de maior destaque na Série A devido à campanha consistente em 2019 (9° lugar) e à sua média de público surpreendente (a segundo maior do país, atrás apenas do campeão Flamengo). | Foto: Reprodução.

A expectativa é de campanhas sólidas e seguras de Bahia e Fortaleza devido à campanha da dupla tricolor no Brasileirão de 2019. Do outro lado, devido a um orçamento mais baixo e algumas dificuldades, o esperado para o Ceará é a luta insana contra o rebaixamento (assim como nas duas últimas edições do Vozão na elite).

Em uma situação ainda mais preocupante está o Sport Recife, que, após uma boa campanha de acesso em 2019, afundado em dívidas e sofrendo na justiça do esporte por causa de gestões passadas, precisará redobrar-se em cada um dos 38 jogos para manter-se na primeirona.

No Sul, podemos esperar uma verdadeira batalha em campo em busca da melhor colocação possível no campeonato para os grandes rivais Grêmio e Internacional, de Porto Alegre, e o atual campeão da Copa do Brasil Athletico, do Paraná, que terá a companhia do grande rival Coritiba, recém-chegado da segundona.

No Sudeste, o estado de São Paulo contará com 5 equipes (sendo assim, o estado com mais representantes na elite). Vice-campeão na temporada passada, o Santos tenta o título brasileiro depois de 16 anos na fila, enquanto Palmeiras entra como um dos mais cotados ao caneco e, o Corinthians, endividado e com dificuldades em campo, um dos que brigarão, em um melhor cenário, por um lugar na Libertadores, assim como o bem-sucedido São Paulo.

O RB Bragantino, receptor de investimentos da bilionária empresa Red Bull, tem tudo pra ser uma das sensações do futebol brasileiro em poucas temporadas e busca fazer um campeonato de manutenção após ser campeão da Série B em 2019.

O Rio de Janeiro, com 4 times, também vem forte, com o Flamengo que, mesmo após turbulências envolvendo o ex-treinador Jorge Jesus, embarca na batalha pelo 2° título consecutivo (a última vez que isso ocorreu foi com o Cruzeiro, em 2014), junto aos rivais conterrâneos Botafogo, Fluminense e Vasco, que lutarão por uma vaga numa sonhada Libertadores da América.

Para encerrar a região, Minas Gerais, pela primeira vez em muito tempo, só terá 1 representante na primeira divisão em 2020. Com o inédito rebaixamento cruzeirense no ano passado, o Atlético-MG carrega a responsabilidade de fazer bonito e honrar o estado mineiro. Na melhor das hipóteses, o Galo travará uma disputa pela Libertadores.

E o que falar da dupla goiana Goiás e Atlético-GO? Em grande feito para o Centro-Oeste, o Esmeraldino e o Dragão, de Goiânia, lutarão para ficar bem na fita e se manter na divisão atual, dando trabalho para os gigantes do nosso futebol. 

Quem levantará essa taça do Brasileirão?
Quem levantará essa taça do Brasileirão em 2020? | Foto: Reprodução.

E o seu time do coração, como se sairá em 2020? Independente da divisão e do momento atual, não espere menos que muita (muita mesmo) emoção no 90 minutos de todas as partidas. Prepare a pipoca e o sofá, o Brasileirão, um dos melhores campeonatos nacionais do mundo começará.

________________________________
Por Raul Holanda – Fala! UFPE

Tags mais acessadas