Home / Colunas / Micos de Intercâmbio

Micos de Intercâmbio

Maria Fernanda Hohlenwerger Andrade Vaz – Fala!PUC


O que esperar quando menos se espera
 

Intercâmbio. 11 letras e muitos sonhos. Quem nunca sonhou em ir morar em outro país? Muitas pessoas já vivenciaram essa experiência, que deixa lembranças boas e algumas um tanto quanto inusitadas.

Para morar em outro país, só saber falar a língua local não é o suficiente. É necessário ir além disso, conhecer a cultura, costumes e hábitos. Por falta desse conhecimento, muitos intercambistas acabam passando por algumas situações constrangedoras, que chegam até a ser divertidas, mas que no momento fazem você querer desaparecer. E o pior, esses micos são inesperados. Não é algo que você pode se preparar afinal, eles simplesmente acontecem, quando você menos espera.

Pegar o ônibus errado e parar do outro lado da cidade. Essa é uma situação mais comum do que se pensa, ainda mais no começo da viagem. Além disso, a falta de conhecimento de produtos, alimentos e marcas locais provocam outro “mico”, como comer comida de cachorro por possuir uma aparência da comida do seu país de origem, por exemplo, ou até mesmo comprar algo achando que é uma coisa quando na verdade é outra.

Mas o verdadeiro desafio está na comunicação. Muitas vezes, o nervosismo e a falta de prática do idioma do local acabam colocando o intercambista em uma situação inusitada. É o caso de pessoas que, por exemplo, se confundem com a semelhança da pronúncia de algumas palavras e, em um restaurante, pedem um “stroke” (AVC) ao invés de um “straw” (canudo), ou em uma conversa falam que amam “poop” (cocô) ao invés de “puppies” (filhotes).

Outra famosa confusão ocorre com as palavras “push” (empurrar) e “pull” (puxar). São palavras simples, mas que confundem a cabeça e fazem com que muita gente se enrosque com algo tão simples como abrir uma porta.

Por outro lado, se a língua local pode se tornar um desafio, nem sempre falar a sua língua materna é sinônimo de algo bom. Teoricamente, se está em um país em que ninguém fala português, por exemplo, assim, isso pode servir como uma forma de escape para se falar com seus amigos, seja de algo bom ou ruim, sem que ninguém te entenda. Porém, deve-se  lembrar que os brasileiros dominam o mundo: não importa onde você esteja, um brasileiro pode sempre estar por perto. Assim, não diga nada em voz alta que possa fazer você se arrepender depois. A probabilidade de se ouvir “Eu entendi o que você falou” é mais alta do que se imagina.

A mímica também se torna um aliado deles, que acaba sendo usada quando não se consegue falar e expressar da maneira correta para que as pessoas te entendam.

Muitos desses micos podem parecer um pesadelo , mas depois percebe-se que até esses momentos, por mais constrangedores que sejam, fazem parte de um sonho.

Confira também

Unicórnios: onde começou essa moda?

Os Unicórnios dominaram tudo, deixando para trás os flamingos e os abacaxis. Hoje em dia ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *