Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Math Jones – uma marca feita por 2 amigos universitários

Math Jones – uma marca feita por 2 amigos universitários

Ter sua própria marca é algo que vem sendo cada vez mais comum entre os jovens. Com a Math Jones não foi diferente: dois amigos se juntaram e desenvolveram, ao longo de 1 ano, uma nova marca, com um conceito diferente. Confira abaixo a entrevista feita pelo Fala! Universidades com um dos criadores, o estudante de Relações Públicas Matheus Morato.

12346568_924618694253144_5313825563889082388_n

Fala!: Quem são os criadores da marca?

M.J: A marca era um sonho meu há 3 anos. No final de 2014 contei para um amigo meu sobre o projeto e ele se interessou, o que fez nos tornarmos sócios e a lançarmos de fato, em agosto desse ano, a marca no mercado.

Fala!:  De onde veio a ideia de criar a própria marca de roupas?

M.J: Sempre quis ter meu próprio negócio. Em 2012, inspirado em outras marcas que via, finalmente decidi o que queria fazer.

Fala!: Qual a origem do nome?

M.J: Eu queria como nome da marca algo que lembrasse o nome de alguém. Queria que tivesse algo meu, da onde vem o Math, porém, sem ser meu nome completo, já que se não desse certo eu estaria sujando meu nome. Até que um dia eu estava vendo Indiana Jones e tentei a junção. Acabou que ficou sonoro. Antes de fechar a parceria com meu sócio o nome já estava decidido. Ao contrário do que muitos pensam, o nome do meu sócio é Gustavo, não João.

 

Fala!: Quais são suas inspirações?

M.J: Nos baseamos no estilo jovem e casual, onde o que gostaríamos de usar é aquilo que fazemos para os outros usarem. O que me fez querer ter a marca foi a inspiração de outras, como a Approve, a Reserva e a Huck, do Luciano Huck.

12001059_489044531268816_5631274071803321830_o

Fala!: Como é feita a produção das peças?

M.J: Eu que desenho todas as estampas. A maioria sai na hora, questão de abrir o Photoshop, pegar umas imagens que eu acho que dariam uma boa camiseta e ir montando. O problema é a questão de direito autoral… Só posso pegar imagem com direito autoral livre para uso comercial, então já tenho sites específicos para pegar essas imagens. Com a estampa produzida, mandamos para um serviço terceirizado lá no Sul, que confecciona as peças e estampam as que são apenas camisetas com texto. Quando elas chegam aqui em São Paulo mandamos para outro serviço terceirizado, apenas para a estampagem das que possuem mais imagem, que são estampadas a lazer para a qualidade ficar melhor.

Fala!: Quais meios de divulgação a marca acredita serem interessantes para promoção?

M.J: No mundo de hoje não tem como você falar de divulgação sem citar redes sociais. Instagram e Facebook são ótimos para atingir um público o qual não conseguiríamos atingir no boca a boca. Porém, esse boca a boca de um amigo falar pra outro e assim por diante continua sendo o melhor modo de divulgar, pois passa mais confiança para a pessoa.

Fala!: Como promover a marca nesses meios?

M.J: O Facebook é muito bom por ter sistema de convidar os amigos para curtir a página, ou pelo sistema de impulsionar uma publicação, entre outras coisas. No Insta não temos tanto jeito de atingir outras pessoas dessa forma, o que complica um pouco mais.

12301670_924618697586477_3187672266482992300_n

Fala!: Como se destacar no mercado?

M.J: Você tem que vender aquilo que você usaria, na melhor qualidade que você puder fornecer e assim conquistar seu público. Mostrar o quanto tal público é importante exige uma preocupação que vai desde a produção da peça até a entrega na casa da pessoa, afinal, são eles que vão te fazer crescer.

Fala!: Como foi o apoio familiar? Financeiro? Emocional?

M.J: Sempre tive apoio, mas sempre com um pé atrás, sabe? Minha família começou de fato a acreditar que daria certo a partir do momento que foram vendo as peças sendo vendidas e os pedidos só aumentando. A primeira coleção só rolou por conta da ajuda financeira do meu pai para que iniciássemos de fato a empresa. Por parte dos amigos o apoio foi sempre muito grande, sempre com apoio em todos os sentidos.

Fala!: Qual o público alvo?

M.J: Todo mundo. Apesar de ser brincadeira, tem um fundo de verdade. A marca segue um estilo jovem, independentemente do sexo e idade. Dizemos isso por acreditar que ser jovem não tem idade. É um estilo criativo, original, que serve para qualquer um que se identificar com tais características. Nosso público acaba indo de 15 até uns 35 anos, é bem variado.

12347852_924618684253145_7455836465806881292_n

Gostou da marca? Quer saber mais? Entre em contato pelo site www.mathjones.com.br ou veja mais pela página da loja no Facebook e no Instagram!

 

Por: Pedro Bettamio e Fernando Lucarevschi – Fala!Cásper

0 Comentários

Tags mais acessadas