Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
MASP recebe a exposição Imagens de Aleijadinho, O expoente da arte barroca

MASP recebe a exposição Imagens de Aleijadinho, O expoente da arte barroca

Por Bianca Dias, Fernanda Ming e Gabriela Henrique – Fala! Anhembi
Fotos por Thiago Dias 

O Brasil é um dos precursores de diversos movimentos artísticos, e entre eles destaca-se o Barroco. Antes de sua ascensão como estilo artístico, o barroco era totalmente desvalorizado, enfrentando diversos pré-conceitos e se opondo às ideias modernistas.

O escultor Aleijadinho foi um dos primeiros artistas brasileiros a se destacar nesse movimento. Um dos marcos em sua carreira foi a junção entre suas obras e a questão da cultura africana, fundando assim “um modelo de mulatismo e mestiçagem”, sendo um marco na história da arte brasileira. Por isso, o Fala! trouxe um pouco mais sobre esse grande artista e sua exposição que está sendo realizada no MASP (Museu de Arte de São Paulo).

[read more=”Leia Mais” less=””]

A exposição

Imagens do Aleijadinho é uma das exposições que inauguram o calendário de programas do MASP 2018, cujo tema é “Histórias afro-atlânticas”. A exposição reúne um acervo de 37 esculturas devocionais, ou seja, obras em que as imagens representadas fazem devoção ao fiel. Todas as esculturas expostas foram feitas originalmente para serem usadas em  andores – estrutura utilizada em cortejos religiosos para se transportar, aos ombros, imagens – fazendo com que, ao longo do tempo, a maioria dessas obras se perdesse.

O acervo também conta com a amostra de obras de diferentes autores que fazem referência ao Aleijadinho, como imagens de fotógrafos, gravuras e trabalhos de artistas que tiveram influência do escultor.

A exposição, organizada por Rodrigo Moura (curador-adjunto de arte brasileira do MASP), foi inaugurada no dia 10/03 e vai até o dia 03/06.

 

Barroco no Brasil  

O Barroco é um estilo artístico que surgiu na Europa no século XVII, logo após o fim do Renascimento, e dominou a arquitetura, pintura, literatura e músicas daquela época. Por ser um estilo de arte ligada a pessoas nobres, ele manifestava-se a partir da ostentação e da extravagância, suas principais características.   

No Brasil este estilo artístico chegou no fim do século XVII, durante o período colonial quando o país estava entrando no “Século de Ouro”, onde a exploração desse minério foi um dos principais meios a movimentar a economia do país na época. Minas Gerais foi uma das regiões brasileiras que mais fora afetada nessa época, já que era a região que mais possuía jazidas no país. Dessa forma, a economia do Brasil começou a girar e se tornar mais estável.  

No Brasil, o Barroco ficou marcado pelas arquiteturas exuberantes e muito bem-feitas de Aleijadinho. O escultor produziu diversas esculturas, além de ter deixado seu legado por toda Minas Gerais, com igrejas, como por exemplo a Igreja de São Francisco em São João del-Rei e Nossa Senhora do Carmo em Ouro Preto, esculturas e arquiteturas com características do rococó, trazendo um estilo clássico e gótico, além de usar pedra-sabão como material para desenvolver suas esculturas.  

Aleijadinho

Antônio Francisco Lisboa (1730 – 1814), verdadeiro nome de Aleijadinho, era filho de um famoso arquiteto português com uma escrava africana. Nasceu em Minas Gerais, na atual cidade de Ouro Preto. Pela influência de seu pai, não cresceu como escravo e recebeu uma boa educação. Aprendeu a esculpir observando seu pai e seu tio, entalhador, trabalharem.

Suas obras são, na maioria, representações de acontecimentos e figuras religiosas. Uma de suas criações mais famosas são as estátuas no Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, também Minas Gerais. Estátuas esculpidas em madeira que representam os passos da Paixão de Cristo e os doze profetas esculpidos em pedra-sabão.

Essas obras são fortes representações do barroco no Brasil. A Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto e igreja de São João Batista, em Barão de Cocais, ambas Minas Gerais, são projetos arquitetônicos que também mostram muito de seu talento e características artísticas.

Aos 39 anos, foi atingido por uma doença, não se sabe ao certo qual, que lhe causou o atrofiamento de suas mãos e pés. Mesmo nesse estado, não abandonou sua arte: atuo suas mãos com uma correia de couro para segurar os instrumentos. O agravamento da doença o levou a morte.

INFORMAÇÕES:

Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01310-200

Ingressos:  Estudante – R$ 17,00

                        Inteira – R$ 35,00

Observação: No sábado (19/05) a visita será estendida e gratuita a partir das 18:00. E no domingo (20/05) a entrada no museu será gratuita durante TODO o dia.

Horário de Funcionamento:

Terça a Domingo das 10h às 18h* (bilheteria aberta até as 17h30)

Quinta das 10h às 20h* (bilheteria até 19h30)

*horários variam de acordo com a exposiçã

Mais informações nos sites do MASP e do Ingresso Rápido

[/read]

Confira também:

Basquiat: Janela do Passado e Presente

Conheça o Festival Path

0 Comentários