Marvel: MCU - 3 fases e enormes ambições
Menu & Busca
Marvel: MCU – 3 fases e enormes ambições

Marvel: MCU – 3 fases e enormes ambições

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > Marvel: MCU – 3 fases e enormes ambições

2005,o Nascimento do MCU

No final dos anos 90, a Marvel está prestes a falir e vende seus personagens mais famosos a vários estúdios. A Universal herda Hulk, a Fox os X-Men e, a Sony, o Homem-Aranha. Os filmes da Marvel são, portanto, limitados aos filmes independentes produzidos por diferentes produtoras. Mas a Marvel Studios, que se recuperou de seus contratempos, teve outra ideia: criar vários filmes vinculados, como quadrinhos. Uma ideia ambiciosa. Talvez até um pouco demais.

O primeiro registro do projeto foi encontrado em 2005. Na época, foi a Variety quem deu a informação de que a Marvel havia assinado uma parceria com a Paramount para fazer filmes sobre os personagens que lhe restavam. Um filme sobre o Capitão América e outro sobre Nick Fury foram então considerados. Estamos falando de dez filmes.

2008, um primeiro passo

Em 2008, o primeiro filme do Universo Cinematográfico da Marvel foi   lançado: Homem de Ferro. Sucesso tão crítico quanto o público, o filme lança a pedra fundamental do MCU, sem ficar muito molhado. Estamos apenas seguindo Tony Stark, também conhecido como Homem de Ferro, contra Obadiah Stane.

Dirigido por Jon Favreau, Iron Man é um filme sólido como qualquer filme de super-herói. A Marvel tomou o cuidado de indicar os primeiros obstáculos do seu universo. Por exemplo, a mítica cena pós crédito de Nick Fury (Samuel L. Jackson) nos dá um gostinho da sequência.

Essa lógica é repetida no O Incrível Hulk. Não tendo nada a ver com o filme de 2003, o filme é o patinho feio do MCU, a Marvel há muito tempo tenta não fazer referência aos eventos do longa-metragem. Mas O Incrível Hulk, além de ser um autônomo, continua a tecer links que serão encontrados em todos os filmes, incluindo a presença de SHIELD ou uma nova cena pós crédito.

O mesmo método é aplicado no Homem de Ferro 2 – geralmente considerado um spin-off no estilo VingadoresThor e, especialmente, do Capitão América, que introduz a primeira Pedra do Infinito (voltaremos a isso mais tarde). Observe que em 2010, a Marvel é comprada pela Disney. Assim, o estúdio é completamente liberado de seu contrato com a Paramount e distribui seus filmes, além de produzi-los.

2012, a consagração 

E em 2012, a Marvel Studios faz um dos maiores filmes de sua história. Uma grande produção cinematográfica chamada Vingadores. Dirigido por Joss Whedon, o filme leva todos os códigos e padrões dos blockbusters. No entanto, o estúdio reúne pela primeira vez vários super-heróis na tela, lutando contra um inimigo comum: Loki (que já havia aparecido em Thor).

O filme tem bilheteria (mais de US $ 1,5 bilhão em receita) e estabelece o conceito de universo cinematográfico para o público em geral. Um sucesso crítico e público que conclui a Fase 1 do MCU. Vingadores foi lançado e a Marvel passou a primeira etapa de seu plano titânico. O estúdio lança, então, sua fase 2, que segue a fase 1. A fase 2 é um meio-tom, mas reforça o estilo do universo compartilhado.

Uma fase 2 em andamento

Após uma fase 1 que lançou o MCU, a Marvel Studios teve que se recuperar para continuar tendo sucesso. E dos sucessos de seis filmes, a Marvel produziu quatro sequências.

Quatro sequências (Homem de Ferro 3, Thor 2, Capitão América 2 e Vingadores 2), três das quais não renovaram sua licença. Ainda devemos fazer justiça ao Capitão América: O Soldado Invernal, que deu um novo impulso ao personagem, além de dar um gás na história do MCU com o “desaparecimento” do SHIELD. Foi também durante esse período que a Marvel deixou James Gunn livre para dar vida à sua licença: Guardiões da Galáxia.

Surpreendentemente, a Fase 2 não termina com Vingadores 2, mas sim com com Homem-Formiga. Uma decisão incrível que pode ser explicada pelo tormento experimentado pelo filme durante sua produção, com um Edgar Wright que decide lançar tudo em algumas semanas de filmagem e que agitou a data de lançamento do filme.

Uma fase 3 sob o signo de renovação

Com a fase 3, a Marvel esperava corrigir a situação. Seria a fase mais longa do estúdio, pois seria composta por dez filmes. Já foram lançados dois: Guerra Civil e Doutor Estranho. O primeiro não só termina a saga do Capitão América, mas também traz um novo status ao Universo Cinematográfico da Marvel. Um filme que realmente traz uma conclusão real para a fase 2 e que abala como sempre o universo do MCU.

Doutor Estranho traz ao universo um pouco de descanso, introduzindo não apenas um novo personagem, mas o conceito de magia dentro do universo. O resto dos filmes serão sequências, novas licenças e reinicialização. Uma olhada no calendário nos permite entender que essa fase será uma oportunidade para a Marvel concluir as licenças de envelhecimento e introduzir novas, a fim de deixar espaço para novos personagens (e atores mais baratos) .

O Caso Homem-Aranha

Mas a fase 3 da Marvel também é uma grande estratégia do estúdio. Enquanto as fases 1 e 2 avançavam, a Sony estava envolvida com o personagem do Homem-Aranha, cuja empresa havia adquirido os direitos no final dos anos 90. Dado o sucesso do MCU, a Sony havia pela ambição de criar um Aranhaverso, produzindo muitas sequências no O Incrível Homem-Aranha e spin-offs dedicados aos vilões. Mas após o fracasso (relativo) de The Amazing Spider-Man 2, as coisas começaram a mudar.

Marvel e seus fãs sonhavam em trazer de volta o pilar para a empresa, enquanto a Sony procurava desesperadamente uma maneira de rejeitar o personagem. Finalmente, em fevereiro de 2015, é feito um acordo entre as duas empresas. A Marvel produziria um filme do Spidey na companhia da Sony, que não teria voz na criação. O incrível Homem-Aranha seria então jogado no lixo, já que a Marvel queria seu próprio personagem.

O contrato estipulava que a Marvel teria o direito de fazer dois filmes e introduzir o personagem em outro. Então, o filme Homem-Aranha: de volta pra casa, estrelado por Tom Holland, é colocado em movimento e está incorporado no calendário já sobrecarregado da Marvel Studios.

De volta pra casa é um filme da fase 3 do MCU. No entanto, é particular, já que produzido tanto pela Sony quanto pela Marvel. Uma tarefa difícil dessa reinicialização para a Marvel Studios, que foi deixar claro ao público que esse novo Spidey evoluiu no mesmo universo que Tony Stark ou Capitão América. Aposta bem-sucedida, graças a uma promoção agressiva que antecipa o Homem de Ferro.

0 Comentários

Tags mais acessadas