Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Marcas de Cervejas Mais Valiosas do Mundo

Marcas de Cervejas Mais Valiosas do Mundo

Conheça as marcas de cerveja mais valiosas do planeta e confira a colocação de nossas cervejas brasileiras, em relação a outras marcas espalhadas pelo mundo.

Em 10º lugar, está cerveja japonesa KIRIN, com o valor de marca avaliado em aproximadamente 6 bilhões de reais.

83_kirinichiban_1

O 9º lugar é ocupado pela COORS, americana, com sua marca avaliada em aproximadamente 6,6 bilhões de reais.

COL01757507 orig COL01407006

Vemos em 8º lugar a brasileiríssima BRAHMA, que refresca grande parte dos brasileiros e tem seu valor de marca estimado em aproximadamente 6,9 bilhões de reais.

1305294171312

Na 7º posição está a cerveja chinesa HARBIN, com seu valor de marca avaliado em aproximadamente 7,3 bilhões de reais.

Harbin-Beer

A partir do 6º lugar, já começamos a ver marcas estrangeiras mais conhecidas como a CORONA EXTRA, cerveja mexicana, com sua marca avaliada em aproximadamente 10 bilhões de reais.

COROANA BEER

O Brasil marca presença novamente no 5º lugar, com a cerveja SKOL, apreciada pela maioria dos universitários e com seu valor de marca avaliado em aproximadamente 10,5 bilhões de reais.
Skol_Brazilian_Beer

A 4º posição é ocupada pela marca japonesa ASAHI, com seu valor de marca aproximado em 11,1 bilhões de reais.

asahi_super_dry

Com a medalha de bronze, a cerveja americana BUDWEISER, também conhecida de muitos universitários, ocupa o 3º lugar com sua marca avaliada em aproximadamente 14 bilhões de reais.

bud

A HEINEKEN, holandesa, também muito apreciada pelos brasileiros, fica com a medalha de prata, ocupando o 2º lugar do ranking, com sua marca avaliada em aproximadamente 15 bilhões de reais.

Heineken-label

Em 1º lugar, detentora da medalha de ouro e da cerveja mais lembrada e desejada do mundo está a americana BUD LIGHT, com valor de marca calculado em aproximadamente 16 bilhões de reais.
bud_light_bottle_decal__70472

 

 

Por: Redação Fala! Universidades

0 Comentários

Tags mais acessadas