Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Lixeiro começa a correr e cria legião de atletas no sertão da Bahia

Lixeiro começa a correr e cria legião de atletas no sertão da Bahia

Por Heloise Pires – Fala!FIAM FAAM


Ivanildo começou a correr em São Paulo e levou o esporte para a sua cidade natal investindo com o seu próprio dinheiro.

Ivanildo Dias de Souza foi criado só pela mãe no povoado rural de Lagoa de Melo, em Monte Santo, a 340 km de Salvador, e hoje tem 38 anos.  No Sertão da Bahia, sua mãe não tinha dinheiro nem para uma bala, eram bem carentes.

O baiano veio para São Paulo há mais de duas décadas, tornou-se coletor de lixo e, na capital paulista, acabou desenvolvendo sua grande paixão: correr. Percorrendo cerca de 10 km correndo atrás do caminhão de lixo e coletando mais de 3 toneladas de lixo por dia, ele treinava diariamente cerca de 20 km na zona leste paulista, onde mora.

O resultado de todo esse esforço apareceu em dezenas de vitórias e boas colocações em tradicionais provas de rua: só no ano de 2018, ele diz ter vencido 44 troféus em provas atléticas, incluindo um segundo lugar nos 10 km do Troféu da Independência. Na São Silvestre do ano de 2017, Ivanildo ficou em 27º lugar, entre 30 mil inscritos, e sua história de superação já rendeu reportagens na imprensa.

Ivanildo Dias financia corridas no sertão da Bahia com o dinheiro de premiações de provas de rua – Arquivo Pessoal\BBC

Hoje, o corredor ganha premiações em dinheiro de algumas provas, mas poupa esse dinheiro para uma destinação especial: incentivar uma nova legião de corredores em sua cidade natal na Bahia. Ele criou, há 13 anos, uma corrida de rua que leva o seu nome e que virou atração entre os cerca de 8 mil habitantes de Lagoa do Meio e região.

Por ano, Ivanildo diz investir 9 mil do próprio bolso e do que ganha patrocinadores para financiar sua própria viagem à Bahia e para distribuir lanches, camisetas e prêmios da corrida, que vão desde brinquedos até cheques de até 300 reais para os mais bem colocados.

Com essa atitude, o atleta acabou impactando na vida de muitas pessoas em seu povoado, onde até então a única opção de esporte era o futebol de várzea. Uma das pessoas que mais foram influenciadas foi Joelton Dias de Jesus, 34, que participa das provas adultas desde o início e acabou sendo apadrinhado por Ivanildo, que trouxe a São Paulo e arrumou-lhe um emprego também de coletor de lixo da empresa, além de pagar sua inscrição para a última edição da São Silvestre.

O filho do atleta apadrinhado, de 7 anos, também participa regularmente das provas promovidas por Ivanildo, e ficou em primeiro lugar na corrida do ano de 2017. Joelton torce para que um dia ele também corra a São Silvestre.

Ivanildo cercado por crianças participantes das corridas – Arquivo Pessoal\BBC

O ânimo gerado pelas provas deu origem, há cinco anos, ao grupo de corridas “Flash Sport”, que reúne algumas das dezenas de corredores amadores de Monte Santo e região para compartilhar dicas de treino no WhatsApp, além de fazer vaquinha para dividir os custos de transporte para as provas de ruas regionais. O grupo também levou à criação de mais uma corrida de rua na região, esta no povoado de Lagoa do Saco, a 20 km de Lagoa do Meio.

Marina Eunice de Souza, 41, que passava o dia inteiro sentada no mercadinho onde trabalha com o marido, entrou em nesse mundo com a maior expectativa de manter a boa forma.

0 Comentários

Tags mais acessadas