Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Manifestantes indígenas fazem protesto na Paulista pela demarcação da área do Jaraguá

Manifestantes indígenas fazem protesto na Paulista pela demarcação da área do Jaraguá

Por: Mauricio Abbade – Fala! Cásper

 

Às 17h horas do dia 30 de Agosto de 2017, manifestantes começam a se reunir no vão do MASP, localizado na Av. Paulista, para em breve marcharem em direção ao Gabinete da Presidência da República – localizado na frente de uma das entradas do metrô consolação. Os protestantes ocupam a entrada do prédio e, aos gritos de “Fora Temer”, reivindicam a demarcação da área do Jaraguá.

O ato foi organizado no dia 21 de Agosto, depois de uma ação do então Ministro da Justiça do governo Temer, Torquato Jardim, que publicou a Portaria nº 683/17 que anula o reconhecimento da área do Jaraguá – do total de 512 hectares – como reserva indígena. Esta decisão irá afetar as cinco aldeias localizadas nesta região: Tekoa Ytu, Tekoa Pyau, Itakupé, Ita Wera e Ita Endy.

Gabriela Pereira, antropóloga de 35 anos, se identifica com a causa e possui filhos indígenas. Ela diz que a ocupação foi aprovada por Eduardo Suplicy (PT), vereador paulistano, que brevemente participou do ato. Ela, de cara pintada, afirma que “este é um momento de luta, não podemos ficar quietos durante uma atrocidade dessas”.

Entre cachimbos, cartazes, e uma roda de dança, Marcos Tupã, coordenador da comissão Guarani relata:

“Este texto contradiz a antiga portaria, publicada durante o governo da ex-presidenta Dilma Rousseff, à qual define a região do Jaraguá, localizada no noroeste da cidade de São Paulo, como território Guarani”.

Com parte do lado ímpar da Avenida Paulista interditado, os manifestantes – compostos por indígenas e simpatizantes do movimento – ergueram faixas como: “Demarcação Já!”, “Fora Temer” e outros. Todavia, um se destaca – de fundo branco e escrito de letras pretas, a reivindicação é clara: “Jaraguá é Guarani”.

Confira mais fotos, por Mauricio Abbade:

 Confira também:

– O contexto ambiental no Brasil e a COP 23

– O que aconteceu em Mariana?

0 Comentários