Menu & Busca
Conheça Greta Thunberg, a Jovem Ativista Indicada ao Nobel da Paz

Conheça Greta Thunberg, a Jovem Ativista Indicada ao Nobel da Paz


Conhecida pelo seu comprometimento com as questões climáticas e ambientais, Greta Thunberg, de apenas 16 anos, é uma concorrente ao prêmio Nobel da Paz, foi considerada a mulher mais influente do ano na Suécia e esteve entre os 25 jovens mais influentes em 2018 da revista TIME.

Resultado de imagem para GRETA THUNBERG
Foto: Anders Hellberg

Seu estilo de vida vegano e ecologicamente consciente começou a exercer influência dentro de sua própria casa, levando sua família a adotar o uso de energia solar, carro elétrico e bicicletas, e também a cultivar uma horta. A partir dali, Greta começou sua jornada por um mundo sustentável.

O ato solitário de desobediência civil de Greta começou em agosto de 2018, quando a garota deixou de frequentar a escola às sextas feiras para protestar em frente ao parlamento sueco, exigindo dos políticos que tomassem medidas contra o aquecimento global e mudanças climáticas. Posteriormente, o movimento ficou conhecido como Friday For Future.

A saga de Greta ganhou visibilidade internacional quando a garota discursou na COP 24, a Conferência do Clima da ONU, que ocorreu em dezembro, na Polônia. “No ano de 2078, vou celebrar meu 75º aniversário. Se eu tiver filhos, talvez eles passarão esse dia comigo. Talvez eles perguntem sobre vocês, talvez eles perguntem por que vocês não fizeram nada enquanto ainda havia tempo para agir. Vocês dizem que amam seus filhos acima de todo o resto, mesmo assim estão roubando o futuro deles bem na frente de seus olhos. Até vocês focarem no que precisa ser feito ao invés do que é politicamente possível, não há esperança” discursou a jovem, na Conferência.

“Não podemos resolver uma crise sem tratá-la como uma crise. Nós temos que manter os combustíveis fósseis embaixo da terra e precisamos focar em igualdade”. Greta se mostra indignada com o fato das pessoas considerarem a alteração climática uma ameaça existencial, mas continuarem a viver sem fazer nada a respeito.

O movimento ganhou dimensões globais no dia 15 de março de 2019, quando mais de 1,5 milhões de estudantes foram às ruas ao redor de todo o mundo, convocados por Greta para uma marcha histórica pelo clima o #schoolstrike4climate.

Greta Thunberg já foi convidada a falar pelo Papa Francisco, discursou no Parlamento Europeu e participou de eventos internacionais – como a própria Conferência do Clima da ONU, na Polônia, e o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. De acordo com Greta, o Estado precisa ouvir os cientistas e tomar uma atitude rápida, pois o tempo está se esgotando e o Estado é quem controla a maioria dos emissores poluentes. Apesar dos diversos lugares aos quais foi convidada a ir, Greta se recusou a andar de avião, optando por trens e navios – por serem menos nocivos ao meio ambiente.

Schulstreik: Seit Wochen demonstrieren Schüler in mehreren deutschen Städten für mehr Umweltschutz.
Foto: Getty Images

Filha de Marlena Ernman, cantora de ópera, e Svante Thunberg, ator, Greta cresceu em Estocolmo, na Suécia, e começou seu histórico ativista já aos 9 anos de idade. Como é comum, Greta teve seu primeiro contato com os problemas climáticos na escola, quando seus professores lhe mostraram imagens de ursos polares com lares destruídos, florestas desmatadas e plásticos nos oceanos.

“Comecei a pensar nestas coisas o tempo todo e fiquei muito triste. Aquelas imagens ficaram na minha cabeça”, contou.

Diagnosticada com síndrome de Aspergertranstorno obsessivo-compulsivo e mutismo seletivo, Greta possui uma forma diferente de pensar, desenvolvendo uma grande capacidade de concentração e interesse extremo sobre um assunto, além de um grande poder de desenvolve-lo. “Se eu fosse como todo mundo, não teria começado essa greve da escola, por exemplo”, afirmou Greta. “Isso me faz diferente, e ser diferente eu diria que é uma dádiva. Me faz ver coisas além do óbvio”. No dia do autismo, Greta fez uma declaração:

“O autismo (assim como o TDAH, o ADD, o Tourette, o TOC, o ODD, etc.) não é um ‘presente’. Para a maioria, é uma luta interminável contra escolas, locais de trabalho e agressores. Mas sob as circunstâncias corretas, dado os ajustes certos, pode ser uma superpotência. Eu tive meu quinhão de depressões, alienação, ansiedade e distúrbios. Mas sem meu diagnóstico, eu nunca teria começado a escola. Porque então eu teria sido como todo mundo. Nossas sociedades precisam mudar, e precisamos de pessoas que pensam fora da caixa e precisamos começar a cuidar umas das outras. E abrace nossas diferenças.

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas