GP do Bahrein: o grande vencedor não foi quem conquistou o 1º lugar
Menu & Busca
GP do Bahrein: o grande vencedor não foi quem conquistou o 1º lugar

GP do Bahrein: o grande vencedor não foi quem conquistou o 1º lugar

Home > Notícias > Esporte > GP do Bahrein: o grande vencedor não foi quem conquistou o 1º lugar

No último domingo, aconteceu, no GP do Bahrein, o primeiro de uma sequência de duas corridas da Fórmula 1 disputadas no país do oriente médio. Quem cruzou a linha de chegada primeiro foi, mais uma vez, Lewis Hamilton, o qual liderou a prova de ponta a ponta, mas nem de longe, foi o mais importante da prova de ontem.

O piloto da Haas, Romain Grosjean, sofreu um dos acidentes mais chocantes da história recente da categoria, e através de um verdadeiro milagre, saiu andando e está bem, como mostra a imagem tirada nesta manhã (não mostraremos imagens chocantes do acidente, em respeito a Romain e a todos os leitores).

Romain Grosjean
Romain Grosjean bem no hospital, após o aterrorizante acidente sofrido. | Foto: Twitter do Grosjean.

Nos treinos livres, Hamilton dominou completamente e liderou os dois de sexta-feira, e ficou em segundo no de sábado, demonstrando, novamente, muita força para conquistar mais uma pole position em sua gloriosa carreira. No treino classificatório, não deu chances para seus adversários e, com uma volta de 1:27:264, garantiu o primeiro lugar do Grid. Valtteri Bottas ficou com o segundo lugar e Max Verstappen, com a terceira posição.

GP do Bahrein

No domingo, as luzes se apagaram e os pilotos corriam em Sakhir. Tudo corria bem, até que na saída da terceira curva, uma cena que quem presenciou, jamais esquecerá. Ao tentar cortar para o lado direito da pista com agressividade, Romain Grosjean, piloto da Haas, se chocou com a dianteira do carro de Daniil Kvyat, e a mais de 250km/h, se chocou frontalmente com o Guard Rail, gerando uma enorme e assustadora explosão. No momento, era difícil pensar que o pior não havia acontecido.

Porém, o que parecia uma tragédia certa, de repente se tornou um verdadeiro milagre. Auxiliado pelas equipes médicas da Fórmula 1 com extintores, Grosjean, após quase 30 segundos sob as chamas, conseguiu se soltar do que restou de seu cockpit, pulou o Guard Rail e conseguiu sair andando em um dos momentos que entrarão para a história do esporte, como um milagre que aconteceu perante os olhos de milhões de pessoas ao redor do mundo.

Após muita tensão de todos no paddock, pilotos e equipes receberam a notícia de que estava tudo bem com Romain. O francês foi levado a um hospital da região, e inexplicavelmente, possuía apenas queimaduras nas mãos e nada mais. Ontem mesmo, Grosjean gravou um vídeo do hospital sorrindo como de costume, tranquilizando a todos que estava tudo bem, agradecendo o esforço de todos que o ajudaram e destacou a importância do Halo (a proteção acima do cockpit), pois acredita que, sem ele, o resultado teria sido diferente.

fórmula 1
Grosjean saindo andando, amparado pelos médicos após o acidente. | Foto: Jornal Correio.

Após este enorme susto e mais de uma hora de paralisação em bandeira vermelha, a corrida foi retomada em largada parada. Logo após a relargada, outro susto. Lance Stroll, da Racing Point, se chocou também com Kvyat, e acabou capotando. Por sorte, a batida não foi tão séria e o piloto não teve maiores problemas, em que até brincou em seu rádio: “Está tudo bem, mas estou de ponta cabeça”, tranquilizando todos que acompanhavam a corrida.

GP do Bahrein
O acidente de Lance Stroll. | Foto: F1.

Após muitos sustos, a corrida foi, de fato, retomada com largada lançada. Bottas teve que parar nos boxes durante o Safety Car para trocar os pneus e caiu para o fundo do Grid e o grande destaque ficou para Carlos Sainz, que largou em 15º por um problema de freios na classificação, e escalou o pelotão rapidamente, chegando à 7ª colocação com apenas 12 voltas de prova. Já quem se destacou negativamente foram as Ferrari’s, de Vettel e Leclerc. A equipe italiana vinha evoluindo nas últimas corridas, porém, no Bahrein, viu muitos carros os ultrapassarem com uma certa facilidade.

Os carros da Renault, que haviam se destacado no treino classificatório, largando em 6º e 7º, tiveram estratégias contestáveis ao longo da prova, e viram uma de suas equipes rivais no campeonato tirar vantagem destes erros. A McLaren, com Sainz e Norris, fez uma excelente corrida de recuperação, pois o espanhol largou em 15º e o inglês em 9º, e mesmo assim, estavam muito seguros ocupando a 5ª e 6ª posição e somando importantes pontos na disputa pela terceira posição no Campeonato de Construtores.

GP do Bahrein destaques
Ultrapassagem de Sainz sobre Ocon. | Foto: F1.

Mesmo com este expressivo resultado, a McLaren seguia na quarta colocação no campeonato, atrás da Racing Point. Isso porque, restando apenas três voltas, Sergio Perez ocupava a 3ª posição e vinha fazendo outra grande corrida. Porém, seu carro começou a esfumaçar e acabou pegando fogo, forçando o piloto a abandonar a prova a poucas voltas do fim.

Com isso, o criticado Alexander Albon pulou para terceiro e conseguiu seu 2º pódio na temporada. Quem se deu melhor ainda, foi justamente a McLaren, pois conquistou uma improvável 4ª e 5ª posição (Norris e Sainz, respectivamente), e ainda viu a Racing Point sair sem pontos, assumindo assim a 3ª colocação.

Em mais uma prova dominante de Lewis Hamilton, o inglês se sagrou o vencedor, acompanhado por Verstappen em 2º e Albon em 3º, ambos da Red Bull. Porém, em um dia como este, o verdadeiro vencedor não foi quem cruzou a linha de chegada em primeiro, ou quem conquistou mais pontos. Desta vez, está muito acima disso. Portanto, a grande vitória do dia foi de Romain Grosjean, que com muita sorte e coragem, escapou praticamente ileso, de um dos piores acidentes da história da categoria, e seguirá alegrando e divertindo a todos, com seu carisma e bom humor, por ainda muitos e muitos anos.


*Nós, do projeto Esporte em Pauta, estamos realizando uma parceria com o Fala!; se quiser ter acesso a mais conteúdos sobre os mais variados esportes, procure nossa página no Instagram (@esporte_em_pauta) e no Twitter (@EsportePauta).

_____________________________
Por Filipe Saochuk – Fala! PUC

Tags mais acessadas