Menu & Busca
Fraternidade 211 – o mais novo bar da rua Maria Antônia que foi inaugurado por dois universitários

Fraternidade 211 – o mais novo bar da rua Maria Antônia que foi inaugurado por dois universitários


Todo mundo sabe que no mundo universitário existe uma enorme disputa entre a sala de aula e a mesa do bar. O boteco é como aquela parada obrigatória depois da aula (ou antes, ou durante), seja para comemorar uma vaga de estágio, seja para afogar as mágoas de uma DP.

Mas hoje, vamos abordar uma história que foi além de tudo isso. Estamos falando do mais novo bar que foi inaugurado em plena rua Maria Antônia, uma das ruas mais boêmias deste planeta terra, onde dois amigos, Brothers, irmãos e camaradas, resolveram abrir o seu próprio bar.

Confira a nossa entrevista com Vinny Cello (Justinho) e João Henrique, dois alunos de Direito no Mackenzie que estão nessa nova empreitada há pouco mais de um mês.

dsc08905

Vinicius Souza (justinho)

FALA!: Salve Vinny! Obrigado pelo seu tempo, cara. Durante a faculdade você já cogitava a ideia de abrir o bar?

Vinny: Quando a gente tá bêbado a gente pensa nisso, né! Hahaha – mas na verdade não, eu nunca havia pensado nessa possibilidade.

FALA!: Então como surgiu a ideia?

Vinny: A ideia surgiu há cinco meses atrás, quando eu e o João (meu sócio) estávamos indo jogar bola, e passamos aqui na frente do terreno, que estava com uma placa de “Aluga-se”. Quando passamos uns 5 metros dali, o João se virou pra mim e falou “cara, bora abrir um bar?” Daí eu olhei de volta pra ele e simplesmente disse “vamos, ué”. Daí entramos pra conhecer o lugar, nos surpreendemos pra caramba, cancelamos tudo que a gente tinha pra fazer naquele dia, e depois varamos a noite pra montar uma planilha com tudo que precisávamos para montar o bar.

dsc08911

FALA!: Por que o nome Fraternidade 211?

Vinny: Eu morava numa república em cima do Fil [bar tradicional da Maria Antônia], e lá a gente vivia como uma família mesmo. Éramos moradores de 4 apês diferentes dentro do mesmo prédio, só que a gente sempre ficava junto, brigando e se divertindo juntos. No final da faculdade nós nos separamos, cada um foi pra um canto diferente, e aí um desses brothers me deu a ideia de nome para o bar, que seria Fraternidade em homenagem a época de república, da família que a gente tinha. A princípio eu queria deixar como Fraternidade 503, por que era o número do meu apê, só que a gente achou que ia ficar muito preso num conceito de “panelinha”, tipo, “somos a galera da república”, e não é isso que a gente quer. Por conta disso, colocamos 211 para representar o próprio número do estabelecimento na rua Maria Antônia, e pra deixar claro que é um bar feito pra todo mundo, principalmente para os Mackenzistas.

dsc08904

FALA!: É o primeiro bar feito de Mackenzista para Mackenzista?

Vinny: Com certeza. O bar é também um espaço para os Mackenzistas, e não apenas um estabelecimento para vir tomar cerveja. A gente quer que os alunos se sintam em casa aqui dentro.

Vou até citar o exemplo do Comando Mackenzista, que armazena os seus instrumentos aqui no bar. Em 2013, o Mackenzie passou por alguns problemas e teve que obrigar a nossa atlética a retirar os instrumentos de lá, e aí tivemos que guardar surdos, caixas e tudo mais em nossas próprias casas, durante dois anos e meio. Daí, assim que pintou a oportunidade de abrir o bar, eu já comuniquei a galera do Comando de que os instrumentos poderiam ficar aqui, e que se depender da gente pode ficar pro resto da vida.

dsc08934

Além do Comando, também estamos fechados em parceria com a Invasão Vermelha. Nós fizemos o novo uniforme da torcida e colocamos a nossa logo na camisa oficial deles.

O bar foi feito pra você se sentir bem, independente de quantas cervejas você vai tomar.

FALA!: Você resolveu abrir um bar por não gostar do curso de Direito no Mackenzie?

Vinny: Então velho, a maioria das pessoas saem da faculdade pensando “e agora, o que eu vou fazer da vida?”, e eu fui uma dessas pessoas.

Meu último ano na faculdade foi desesperador, por que eu não sabia o que eu queria de fato, e até pensei em largar o Direito no último ano do curso. Por mais que eu ame Direito, comecei a pensar que eu iria fazer aquilo pelo resto da minha vida, sendo que eu não conseguia me enxergar como advogado, encostando a barriga no fórum todo dia.

Eu ainda tenho o sonho de dar aula no Mackenzie, por que não quero ser advogado mas também não quero ser dono de bar pro resto da vida. Quero fazer um mestrado e dar aula no Mack.

dsc08921

FALA!: E você já tinha experiência pra gerir um bar?

Vinny: Nenhuma. Eu tenho bastante experiência em fazer eventos, como fiz vários do Mackenzie, mas com bar eu nunca tive. A galera costuma achar que a vida deve ser muito boa, mas eu fico a semana inteira sem tomar um gole de cerveja, enquanto todos os meus amigos tão lá fora tomando uma haha.

João Henrique

FALA!: Cara, como foi a aceitação da sua família ao querer abrir um bar?

João: Então cara, na verdade a minha mãe também ajudou a financiar o bar, então por parte da família eu tenho total apoio. Minha mãe é funcionaria pública, e aí um certo dia eu liguei pra ela e marquei um almoço pra nós dois. Ao longo da conversa, eu soltei a ideia “então mãe, sabe aquela sua economia de anos e anos? Então, vamos abrir um bar?”

Primeiro ela não quis nem me ouvir, mas daí mostrei todo o plano de negócios que eu e o Vinny montamos, e isso convenceu ela.

dsc08929

FALA!: Você já teve experiência antes para abrir um bar?

João: Nunca. Eu estou me formando agora em Direito, sou filho de mãe solteira, trabalho desde os meus 14 anos, já trabalhei com eventos, fiz estágio na área do Direito, já fui DJ, já trabalhei em rádio, em buffet, fui diretor de comunicação do Centro Acadêmico João Mendes (do curso de Direito do Mackenzie), e hoje eu tenho um bar.

dsc08931

FALA!: E como vocês têm levado a administração? Tá tudo correndo bem?

João: Cara, por enquanto está tudo fluindo muito bem. Já recebemos a visita de um monte de gente: a prefeitura, da polícia, do corpo de bombeiros, e ninguém achou defeito. É óbvio que no começo nós tivemos alguns problemas devido a nossa inexperiência no ramo, mas são coisas que nós já ajustamos. Se você comparar o nosso bar com os da vizinhança, você vai ver alguns diferenciais, como o banheiro limpo e decorado, ou o preço da cerveja que é muito mais em conta. Como a gente também é universitário, a gente não quis montar um bar pra ficar rico, e sim pra levar uma vida, a gente quer viver e cobrar o preço justo das coisas, até por que a gente não achava certo ser explorado, e por isso a gente não quer explorar ninguém.

dsc08917

FALA!: Como você e o Vinicius se conheceram?

João: Já tem um bom tempo. A gente criou uma irmandade durante a nossa campanha para chapa do Centro Acadêmico na faculdade. Nós administramos o C.A juntos, dividimos apê, e isso criou uma confiança entre a gente.

FALA!: Quais são os futuros planos para o bar?

João: Quando a gente foi conhecer o terreno pra alugar acabamos nos surpreendendo com o tamanho do espaço, e aí surgiu uma ideia de montar uma balada no fundo do bar. Mas isso é cena para os próximos capítulos.

FALA!: Vocês tem alguma promoção aqui no bar?

João: Temos sim. Todo mundo que vier aqui e comprar a cerveja artesanal Madalena, vai ganhar 20 impressões gratuitas em uma gráfica aqui na própria Maria Antônia. A nossa proposta é fechar mais parcerias como esta, que fizemos com a startup JaCopiei, e trazer mais vantagens para todo mundo que vier aqui.

dsc08904
O bar foi aberto há pouco mais de 1 mês.

 

dsc08918
Além das bebidas, o bar também oferece espetinhos, porções e refeições para o almoço.

 

dsc08913
Vinny e João são fãs de HQ, e por isso resolveram decorar os banheiros com centenas de páginas dos seus antigos gibis. PS: no banheiro feminino estão em destaque as personagens femininas.

 

O bar se encontra na rua Maria Antônia, número 211, e fica aberto das 10:00h até 1:00h da manhã.

Por: Marcelo Gasperin – Fala! Universidades

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

2 Comentários

  1. 2 anos ago

    Gostei.

  2. Magali Lacerda
    2 anos ago

    Sou ex Mackenzista e no meu tempo de Mack não tinha esse bar. Acho que vou ser obrigada a juntar minha turma e fazer uma visitinha nesse bar.

Tags mais acessadas