Home / Colunas / Cinema / Filmes para ver na sexta-feira 13

Filmes para ver na sexta-feira 13

 Por Lucas Ignacio e Vinicius Santos  – Fala!Cásper

 

Pra você que vai ficar em casa nessa sexta-feira 13, o Fala! separou alguns filmes do gênero de horror. Chama os amigos pra conferir essa lista:

 

Invocação do Mal (2013)

Para começar nada melhor que um dos filmes de terror mais aclamado dos últimos anos. Narrando uma das histórias de exorcismo realizado por Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga, respectivamente), o filme mantém os moldes dos clássicos de terror como jumpscares, mas ao mesmo tempo trazendo novos ares para o gênero que já estava saturado. Um ótimo filme que gerou spin offs como Anabelle e A Freira (estreia prevista para 6 de setembro de 2018).  

Pânico(1996)

Entrando no gênero dos filmes slasher temos Pânico. Dirigido por Wes Craven, um dos maiores diretores de filmes de terror e criador do icônico  Freddy Krueger. O filme possui as mesmas características de qualquer outro filme de terror, entretanto ele aposta mais no gore, as mortes são bem violentas e gráficas. Para aqueles que já são fans de filmes como Sextafeira 13 ou A Hora do Pesadelo, esse é com certeza uma boa pedida.  

Sobrenatural (2010)

Voltando para os filmes envolvendo espíritos temos Sobrenatural. Dirigido por James Wan (que também dirigiu Invocação do Mal e o primeiro Jogos Mortais) o filme segue a mesma fórmula do primeiro recomendado da lista, um tempo do filme serve para nos apegarmos aos personagens, para termos mais empatia com eles e em seguida o show de sustos – muito bem trabalhados – acontece, deixando o espectador com o coração acelerado até o fim do filme.

Halloween (1978)

Para comemorar  que esse ano estreia o novo filme de um dos clássicos slasher vale muito ver o primeiro filme para entender como tudo começou. Dirigido por  John Carpenter (Aventureiros do Bairro Proibido), o enredo conta a história de  Michael Myers, um psicopata que aos 6 anos mata a irmã a facadas e, depois de 15 anos, foge do manicômio para voltar a aterrorizar o halloween, perseguindo Laurie Strode e seus amigos.

Corrente do Mal (2014)

Fugindo um pouco dos sustos e assassinos em série, temos filmes como Corrente do Mal, apesar do nome clichê, o filme é muito bom. Ele foge bastante das convenções do gênero, sem ficar dependente de sustos jogados ou mortes violentas, ao invés disso o filme preza pela atmosfera de terror, possuindo uma tensão constante ao invés de sustos toda hora (mesmo possuindo uns aqui e ali). O “vilão” do filme é uma força maligna sexualmente transmissível, pode parecer algo ridículo, mas o roteiro muito bem trabalhado transforma isso em algo incrível. esse filme encaixa-se no polêmico gênero do Pós-terror, assim como  O Babadook, A bruxa  e Sombras da Vida. Para aqueles que buscam um filme de terror em que o enredo seja algo importante, Corrente do Mal é a pedida perfeita.  

It: a Coisa (2017)

Quando crianças começam a desaparecer na cidade de Derry, um grupo de amigos começa a ser perseguidos por uma entidade em forma de palhaço chamada Pennywise (Bill Skarsgård), que tenta de todos os jeitos conseguir matar o grupo e consumir o medo deles, Bill Denbrough (Jaeden Lieberher), um dos meninos do grupo, percebe que eles não escolha e que precisam lutar contra a coisa porque ela não vai para até matar todos eles. Um dos clássicos de Stephen King, traz consigo toda a carga dos anos 80 que voltou aos holofotes com produções como Stranger Things.

Annabelle 2: A Criação do Mal (2017)

Doze anos após terem filha morta por um carro, um artesão de bonecas (Anthony LaPaglia) e sua esposa (Miranda Otto) decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira (Stephanie Sigman) e seis meninas desalojadas de um orfanato. Ele diz que só tem um quarto trancado (que pertencia era de sua filha) e o quarto de sua esposa estariam fora dos limites para as meninas. A garota aleijada, Janice (Talitha Eliana Bateman), consegue entrar no quarto da filha do casal durante a noite e encontra uma boneca trancada dentro de um armário. Depois que ela toca na sala, ela é assombrada por uma força maligna um amedrontador demônio do passado: Annabelle. Se procura algo no gênero “ James Wan”(apesar desse filme não ter sido dirigido por ele) mas ja viu todos, este é uma boa pedida para quem procura algo que fuja do habitual mas ainda lembre os bons filmes do gênero.

Hereditário (2018) 

Mesmo após a morte da reclusa avó, ela permanece como se fosse uma sombra sobre a família Graham, especialmente sobre a sua neta solitária, Charlie (Milly Shapiro), por quem ela sempre teve uma fascinação incomum. Com o terror tomando conta da casa e de suas vidas, a família explora os lugares mais escuros para escapar do destino que herdaram. Outro exemplo de filme em que a atmosfera criada é mais importante que os sustos. Apesar de em alguns momentos o filme ser um pouco lento, vale muito a pena conferi-lo, principalmente pela sequência final de tirar o fôlego.

Todo Mundo Quase Morto (2004)

Nem só de sustos vive o cinema, existe também os filmes “terrir”(o nome é autoexplicativo), e Todo Mundo Quase Morto é um dos maiores exemplos dele. O enredo conta a história de  Shaun (Simon Pegg)  que trabalha como vendedor e divide uma casa com Ed (Nick Frost), seu melhor amigo, e Pete (Peter Serafinowicz). Ele costuma ir sempre ao pub local, mas Liz (Kate Ashfield), sua namorada, está cansada de lá. Além disto ela sempre reclama que ele não se separa de Ed, apesar de suas piadas bobas e seu desinteresse em fazer algo útil. Para resolver a questão Shaun aceita marcar um encontro com Liz em outro restaurante, mas se esquece de fazer a reserva. Irritada, ela decide terminar com ele. Shaun, arrasado, se embebeda no seu pub predileto ao lado de Ed, sem notar que as pessoas à sua volta estão se tornando zumbis, devido a um estranho fenômeno. Dirigido por Edgar Wright,  o filme dosa muito bem a comédia com o “terror”, então caso sua intenção seja rir um pouco, esse é o filme para você.

O Espelho (2013)

Tim Russell (Brenton Thwaites) e Kaylie Russell (Karen Gillan) são dois irmãos traumatizados pela morte inexplicável dos pais. Quando Tim sai de um hospital psiquiátrico, após anos internado, ele tem certeza de que a causa da tragédia familiar é um grande espelho que acompanha a família há séculos, e Kaylie é a 1ª a falar com Tim ao sair do hospital para falar de seu plano para descobrir a verdade. Cercados por diversos eventos e ataques paranormais, os dois tentam provar que o objeto é o responsável pela sangrenta história de sua família. Dirigido por Mike Flanagan,  o filme não possui muitos sustos previsíveis, assim como alguns dos outros itens da lista, a prioridade dele é criar uma atmosfera de tensão, objetivo que ele alcança com facilidade.

Confira também

Reciclagem transforma 35 buticas em uma folha A4

Por Sarah Américo – Fala!Anhembi   O cigarro é um dos vícios comuns entre os ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *