'O Mínimo Para Viver': as verdades expostas pelo filme
Menu & Busca
‘O Mínimo Para Viver’: as verdades expostas pelo filme

‘O Mínimo Para Viver’: as verdades expostas pelo filme

Home > Entretenimento > Cultura > ‘O Mínimo Para Viver’: as verdades expostas pelo filme

 

O Mínimo Para Viver é uma produção original da Netflix e fala sobre um problema enfrentado por muitos na sociedade, principalmente pelas mulheres. Para a grande maioria escutar “Como você está magra” é um elogio muito bem vindo a qualquer momento. Entretanto, uma parcela da população sofre calada com doenças causadas pela magreza excessiva e pela distorção de imagem.

O Mínimo Para Viver: sinopse

Ellen é uma jovem de 20 anos que sofre de anorexia. Após idas e vindas às clínicas de reabilitação ela embarca em uma jornada de autoconhecimento após conhecer o Dr. William Beckham, um médico não convencional que faz de tudo para ajudar a garota a enfrentar seu problema e superá-lo. A jovem então passa por um novo tratamento para poder retomar sua vida e ser feliz.

A Resenha

O Mínimo Para Viver é dirigido por Marti Noxon e estreou recentemente na Netflix, causando polêmica nas redes sociais. Ele conta a história de uma adolescente, atuada por Lily Collins, que sofre com anorexia e luta diariamente para sobreviver.

A atriz Lily Collins interpreta Ellen em O Mínimo Para Viver, uma jovem com sérios problemas de saúde causados pela magreza. | Foto: Reprodução

O enredo é comovente, as cenas são realistas e mostram como pessoas que passam por esse problema burlam as regras para serem magras, independente do estado de sua saúde. Há contagem de calorias, abdominais e táticas que muitos leigos podem vir a não conhecer. Por isso, uma parcela das pessoas que assistiram O Mínimo Para Viver alega que ele seria uma espécie de “manual de como ser anoréxica”, ensinando um maior número de pessoas a fazer o mesmo.

Lily Collins vive a personagem Ellen em O Mínimo Para Viver. | Foto: Reprodução

Vale a ressalva que a intenção do filme não é essa, a mensagem passada é a de que é preciso falar sobre um tema que a sociedade se cala, mostrando que muitas mulheres e homens, nas mais diversas idades, podem ser anoréxicos. Além do que, é retratada toda a questão familiar da personagem que por muitos momentos é caótica, o que agrava a situação da personagem.

Em entrevista para o Digital Spy, a atriz Lily Collins, defendeu o longa dizendo que em sua adolescência sofreu de anorexia e que, na época, não achou muitas pessoas que falassem sobre o tema, por isso, quis fazer o filme. No processo de emagrecimento para o papel, escutou muitos dizeres sobre sua forma física extremamente magra, mas com o tom de beleza, mesmo estando apenas pele e osso. Percebendo, só assim, como o mundo está louco.

Elenco

O Mínimo Para Viver possui um elenco com diversos nomes populares em Hollywood. A atriz Lily Collins foi a primeira a ser escalada para o longa-metragem. Marti Noxon, decidiu convidar a atriz por acreditar que Collins possuía o perfil que ela desejava para a personagem principal, Ellen, inspirada na diretora que enfrentava distúrbios alimentares na época.

Keanu Reeves ingressou na produção logo em seguida para dar vida ao Dr. William Beckham. Sua personagem ganha destaque ao longo do filme, sendo responsável pela evolução de Ellen e sua melhora. Após Reeves, Carrie Preston, Lili Taylor, Alex Sharp, Liana Liberato, Brooke Smith e Ciara Bravo se juntaram ao elenco de O Mínimo Para Viver.

Ficha Técnica: O Mínimo Para Viver

Título Original: To The Bone
Duração: 1h47min
Lançamento: 14 de julho de 2017
Distribuidora: Netflix
Dirigido por: Martin Noxon
Classificação: 14 anos
Gênero: Drama
País de Origem: EUA

 

______________________________________________

Por Julia Dal’Ava – Fala! Cásper

0 Comentários

Tags mais acessadas