Eleições 2020: dilema das redes e do combate à pandemia no resultado
Menu & Busca
Eleições 2020: dilema das redes e do combate à pandemia no resultado

Eleições 2020: dilema das redes e do combate à pandemia no resultado

Home > Notícias > Política > Eleições 2020: dilema das redes e do combate à pandemia no resultado

As eleições municipais deste ano foram adiadas por conta da pandemia do novo coronavírus, que já registrou mais de 135 mil mortes no Brasil. As datas das votações serão no dia 15 de novembro e, se for necessário, o 2º turno será no dia 29 do mesmo mês – inicialmente, aconteceriam em 4 (1º turno) e 25 de outubro (2º turno). Em 2020, os 5570 municípios poderão eleger seus vereadores e prefeitos para os próximos 4 anos.

Após muito debate, o Congresso Nacional aprovou a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que permitiu o novo calendário das eleições deste ano. O projeto foi uma iniciativa do Presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respectivamente presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

Com a aprovação da PEC, começou o estudo de como fazer as eleições da forma mais segura possível, tanto para eleitores quanto para os mesários. Luís Roberto Barroso, que também é ministro do STF, se assegurou na consultoria de médicos e especialistas, para achar o melhor modelo.

eleições 2020
Luís Roberto Barroso, ministro do STF e presidente do TSE. | Foto: Reprodução.

Eleições municipais em 2020

Recentemente, o Tribunal anunciou as medidas que vão do uso obrigatório de máscara à disponibilização de álcool em gel para todos os envolvidos na votação. Entre as ações, destaca-se a criação do horário preferencial para idosos, das 7h às 10h, e o ganho de mais uma hora para a votação – as zonas eleitorais fecharão às 17h. Nas orientações, também há a sugestão para que o eleitor leve sua própria caneta e a famosa “cola”, com os números dos candidatos em um papel.

Como forma de promover o distanciamento na votação, a biometria não será utilizada como meio de identificação este ano. As campanhas na TV, rádio e Internet já começaram. O médico Drauzio Varella e o biólogo Atila Iamarino estrelam os materiais veiculados que incentivam o voluntariado para se tornar mesário, e falam sobre as medidas adotadas para a prevenção do contágio.

Drauzio Varella
O Dr. Drauzio Varella em uma campanha que incentiva pessoas a serem mesários voluntários. | Foto: Reprodução.

Depois das eleições de 2018, o TSE vem agindo no combate às notícias falsas na Internet, as chamadas fake news. Então, neste ano é possível ver uma preocupação com o tema nas propagandas do órgão federal. Se antes as redes sociais eram vistas como complemento para as campanhas eleitorais, hoje, sabemos que são plataformas essenciais para os resultados finais das urnas. 

De olho nisso, os três poderes acompanharão de perto as eleições municipais deste ano, já que podem servir como parâmetro para os próximos anos. Isso porque a geração 2004 já poderá começar a dar sua contribuição, e é esse grupo que movimenta bastante a Internet, inclusive em debates de desigualdade racial e de gênero no Brasil.

A grande questão é: será que os movimentos positivos das redes trarão reflexos no resultado das urnas?

_______________________________
Por Lucas Soares – Fala! UFRJ

Tags mais acessadas