'Dunkirk' - Leia a crítica do filme de Christopher Nolan
Menu & Busca
‘Dunkirk’ – Leia a crítica do filme de Christopher Nolan

‘Dunkirk’ – Leia a crítica do filme de Christopher Nolan

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > ‘Dunkirk’ – Leia a crítica do filme de Christopher Nolan

Christopher Nolan é conhecido mundialmente por ser um dos diretores mais bem-sucedidos em Hollywood hoje, e seu último filme lançado nos cinemas (antes do atual Tenet, que foi lançado este mês em meio à pandemia), foi o grande sucesso Dunkirk, de 2017.

Atuando como diretor, produtor e roteirista do longa de drama histórico, Nolan foi nomeado, no Oscar de 2018, em 8 categorias, incluindo Melhor Edição, Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som, para as quais levou a estatueta.

Dunkirk
Pôster do filme Dunkirk. | Foto: Reprodução.

Dunkirk – leia a crítica

Dunkirk é o nome do filme e da cidade francesa onde se passa a trama, baseada em fatos reais. Em meio à Segunda Guerra Mundial, em 1940, forças britânicas e francesas ficaram encurraladas por uma divisão alemã, e para tentar salvar os soldados que estavam presos, sem chance de serem levados em grandes navios, centenas de corvetas, navios de transporte e até barcos de pesca foram usados para que o “milagre de Dunquerque” pudesse se realizar: quase 340 mil vidas foram salvas. 

Para maior dinâmica na narrativa do filme – e daí que se deu o merecido Oscar de Melhor Edição – o diretor de A Origem (2010) e Interstellar (2014) optou por mostrar histórias simultâneas em meio à batalha na cidade portuária, que ocorrem em terra, ar e mar.

A primeira, e mais predominante no filme, acompanha o jovem Tommy (Fionn Whitehead) que consegue fugir de soldados alemães e acaba na praia com as tropas aliadas. A segunda acompanha a Marinha Real britânica e todos as pequenas embarcações que são convocadas para ajudar os soldados presos na costa. O ator Cillian Murphy, que já participou de vários outros filmes de Nolan, interpreta o “soldado traumatizado” que se encontra numa tensa sequência em alto mar.

A terceira e última história, no ar, é contada por meio dos combates entre aeronaves. O piloto Farrier (Tom Hardy) e a Força Aérea Real cruzam o Canal da Mancha para auxiliar os soldados presos em Dunquerque. A trajetória de Farrier é uma das mais emocionantes do filme, digna de um filme por si só, lotada de obstáculos e reviravoltas que fazem o espectador grudar na cadeira.

A maestria da narrativa se torna completa com a ajuda não só do elenco de peso e grandiosidade da direção de arte – impecável em sua reconstrução histórica -, mas sim, da edição de Lee Smith, colaborador regular de Nolan, juntamente com a trilha sonora icônica de Hans Zimmer, um compositor alemão renomado.

Os prêmios que Dunkirk recebeu da academia são pontualmente os fatores mais fortes do filme: cortes dinâmicos ou mais estáticos para influenciar as emoções, a música épica, o som de bomba-relógio que contribui muito para o suspense e a urgência da trama. Nos sentimos como deviam se sentir os soldados: confusos, ansiosos, tensos, com falta de ar, sempre indo e vindo entre batalhas e calmarias.

Querendo ou não, essa é a intenção de toda produção artística: fazer com que o público sinta e reflita na pele sobre o que é apresentado e, é claro, Christopher Nolan com seu time de craques, não poderia deixar por desejar, e por isso Dunkirk é considerado um dos melhores filmes da última década. 

Sinopse e trailer

Soldados aliados da Bélgica, do Império Britânico e da França são cercados pelo exército alemão e evacuados durante uma violenta batalha na Segunda Guerra Mundial.

Sinopse pelo IMDb.

Ficha técnica de Dunkirk

Título Original: Dunkirk
Lançamento: 21 de julho de 2017 (Reino Unido)
Duração: 107 minutos
Direção: Christopher Nolan
Classificação: 14 anos
Gênero: Guerra, Drama
Origem: EUA, França, Reino Unido, Holanda

____________________________
Por Victória Clemente – Fala! Mack

Tags mais acessadas